IN MEMORIAN : SHIRLEY TEMPLE

Shirley, a pequena estrela

Shirley, a pequena estrela

                              Eu nunca assisti, admito, aos filmes de Shirley Temple. Sua imagem, no entanto, foi perpetuada por décadas, sempre evocando inocência e graciosidade com seus cachinhos dourados (em torno de 56 cachos) e olhar encantador. Assim também foi o caso de muitas pessoas que a conheceram sem ter tido a oportunidade de assistir a seus filmes. Shirley Jane Temple, nascida em 23 de Abril de 1928,  chegou ao estrelato Hollywoodiano quando tinha menos de 6 anos e alcançou um grau de popularidade tão grande que chegou a ganhar um Oscar honorário quando tinha apenas sete anos. Filmes como “A Princesinha” (The Little Princess, 1939) , “A Pequena Orfã” (Curly Top- 1935) ou “Pobre Menina Rica” (Poor Little Rich Girl – 1936) deixaram sua marca na cidade dos sonhos. A queridinha da América com seu talento precoce se destacou numa terra em que egos inflados e estrelismos se propagavam na mídia da época, não apenas atuando mas também cantando e dançando. O papel de Dorothy no clássico “O Mágico de Oz” (The Wizard of Oz – 1939) foi oferecido primeiro a ela, antes de Judy Garland, mas seu contrato com a Fox a impediu de fazer o filme da Metro. A bilheteria de seus filmes era enorme e grande trunfo da Fox, que chegou a lhe pagar $50,000 por filme na época. Trabalhou também ao lado de astros do porte de Fred Astaire, Gary Cooper e John Wayne, entre outros.

Shirley Temple adulta

Shirley Temple adulta

             Seu status de celebridade a levou até a cerimônia do Oscar de 1937 para entregar um Oscar e mais sete estatuetas menores nas mãos de Walt Disney por “Branca de Neve & Os Sete Anões”. Abandonou a carreira de atriz prematuramente, aos 22 anos e no final dos anos 60 tornou-se diplomata para o governo norte-americano em Gana e na Tchecoslováquia. Nos anos 70 foi eleita para cargo nas Nações Unidas e também fez parte da mesa de diretoria dos Estúdios Disney. Ex-estrela mirim, ex-embaixatriz, esposa, mãe, avó e bisavó, Shirley Temple teve vários papéis em sua vida e os edificou com dignidade, nunca se envolveu – por exemplo – em escândalos fosse como figura pública ou em sua vida particular. Faleceu ontem, dia 10 de Fevereiro, aos 85 anos deixando como legado maior um exemplo de que a doçura e a integridade são as melhores ferramentas para fazer do mundo um lugar melhor. Descanse em paz, Shirley Temple.

A mesma doçura de sempre.

A mesma doçura de sempre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s