LOUCADEMIA DE POLÍCIA – 30 ANOS

         Nos primórdios do cinema, a figura do policial já era parodiada em uma série de curtas mudos da Keystone, produzidos entre 1912 e 1917. Estes eram retratados como trapalhões em correrias  a pé ou perseguições a carro, causando mais caos do que ordem. Ao longo das décadas seguintes, o cinema restituiu a aura de glamour dos oficiais da lei através de super tiras como Dirty Harry e outros, ao menos até 16 de Abril de 1984 quando os policiais voltaram a ser a grande piada com o lançamento de “Loucademia de Polícia” (Police Academy) que completa agora exatos trinta anos.

Cabe a eles manter a lei e a desordem

Cabe a eles manter a lei e a desordem

O filme, já lançado no Brasil no formato do Blu Ray, foi dirigido por Hugh Wilson que reuniu uma trupe impagável : Carey Mahoney (Steve Guttenberg de “Coccon” e “Três Solteirões e um bebê”) como o folgadão boa praça; Karen Thompson (Kim Catrall de “Sex & The City”) como a patricinha bonita; Moses Hightower (Bubba Smith) como o gigante de força bruta e coração ingênuo; Eugêne Tackleberry (David Graf) como o paranóico viciado em armas entre outros. A entrada dessa trupe é explicada logo no início do filme: Devido ao baixo contingente e ao alto índice de criminalidade, a prefeito decide abolir todos os critérios para seleção de oficiais da polícia levando um time de abilolados a entrar para a academia do abestalhado Comandante Lassard (George Gaynes) e contrariando o implacável e durão Tenente Harris (G.W.Bailey) que a todo o custo intensifica as semanas de treinamento para convencer os amalucados recrutas a desistir, principalmente um desafeto em especial, o próprio Mahoney. Curiosamente, Bailey interpretou tipo idêntico no filme “Manequim – a magia do amor”  (1987) perseguindo Kim Catrall.

Os primeiros tiras loucos

Os primeiros tiras loucos

As situações vão se sucedendo ao ritmo de uma gag por minuto a medida que outros personagens vão ganhando a simpatia do público, principalmente o recruta Jones (Michael Wislow), que com sua boca é capaz de reproduzir qualquer som uma verdadeira beatbox. De sua habilidade partem vários momentos de humor e até mesmo a salvação da turma quando atacados por uma turba enfurecida. No elenco feminino, destacam-se a Sargento Callahan (Leslie Easterbrooks) que a principio é o braço direito de Harris e se revela, por trás de sua fachada de mulher durona, uma amante fogosa e voluptuosa e a cadete Hooks (Marion Hamsey) cuja voz baixa e personalidade extremamente retraída parece nada adequado ao posto. Entre os cadetes, dois tornam-se aliados de Harris, os puxa sacos Copeland (Scott Thomson) e Blanks (Brant von Hoffman) que protagonizam uma das melhores piadas do filme quando são levados a crer que haverá uma festa dos recrutas e acabam parando em um clube barra pesada no qual são arrastados para uma noitada de dança e …. daquelas, mesmo contra a vontade.

Louca dança

Louca dança

O filme, da Warner Brothers, foi feito ao longo de 40 dias e quase teve Bruce Willis ( que na época era um desconhecido e nem havia ainda estourado na Tv na série “A Gata & o Rato”) no papel principal, para o qual ainda teve considerado os nomes de Michael Keaton e Tom Hanks antes de Steve Guttenberg assinar para o papel de relutante oficial da academia. O orçamento de $4,500,000 tornou-se uma arrecadação de mais de $81 milhões e já no ano seguinte viria a sequência que deixaria de fora quatro personagens: Thompson (Kim Catrall) – interesse romântico de Mahoney , o falso italiano George Martin (Andrew Rubin) que vem a provocar a transformação inesperada da Sargento Callahan , o bonachão cadete Barbara (Donovan Scott) e o maior rival dos recrutas o Tenente Harris (Bailey) que voltaria no quarto filme. Foram ao todo mais 6 continuações, uma série de tv e uma série animada derivadas do sucesso do filme, que foi lançado no Brasil duas semanas após a estreia norte-americana, atípico para a época em questão.

Hilaria beatbox

Hilaria beatbox

Falou-se, pouco tempo atrás, de uma possível refilmagem como novo elenco e aparições especiais do elenco original, exceto pelos já falecidos David Graf, o Tackleberry, e Bubba Smith, o Hightower. Para quem quiser rever ou ver 96 minutos de metralhadora giratória de gags, o filme além de ser ocasionalmente reprisado na TV, já se encontra em Blu Ray. Boa pedida para uma tarde qualquer que se queira matar o tempo e o mau humor.

ESTREIA DA SEMANA : 27 DE MARÇO

RIO 2. (Rio 2) EUA 2013. Dir: Carlos Saldanha. Vozes : Jesse Eisenberg, Anne Hathaway, Rodrigo Santoro. Animação.

Rio 2 é Amazônia 1

Rio 2 é Amazônia 1

Quando o primeiro Rio estreou há pouco mais de dois anos, foi uma grande surpresa. A história era divertida e muito bem costurada para valorizar as belezas da cidade maravilhosa. Tudo funcionou perfeitamente apesar dos personagens humanos derem menos interessantes e a trilha sonora de Sergio Mendes e Carlinhos Brown (que na época foi indicada ao Oscar) contagiava. Não que essa segunda aventura das aves Blue & Jade seja ruim,. mas o impacto não é o mesmo e a troca do cenário carioca pela Amazônia não resulta nada além de uma diversão regular. Sim, faz rir, principalmente a vilania insana da cacatua Nigel mas a troca dos vilões do primeiro filme (os traficantes de animais) pelos madereiros serve mais como clichê de uma mensagem ecológica bem vinda é claro, mas que perde em originalidade. Na história, as aves Blue & Jade viajam para a Amazônia com seus três filhotes para encontrar outras araras azuis, e com isso, acabam encontrando o pai de Jade (que no começo vai implicar com o genro, o desastrado Blu) e o ex-namorado dela metidinho a galã. Tudo bem previsível, mas que não impede que pais e filhos tenham um bom tempo juntos no cinema.

por adilson69 Com a tag

ESTREIAS DA SEMANA : 20 DE MARÇO

S.O.S MULHERES AO MAR

Avassaladoras ao mar !!

Avassaladoras ao mar !!

Br. 2014. Dir: Cris D’Amato. Com Giovanna Antonelli, Reynaldo Gianechinni, Thalita Caruto, Fabíula Nascimento, Marcello Airoldi, Emmanuelle Araújo. Comédia.  Adriana ( a atriz Giovanna Antonelli que também é produtora) embarca em um cruzeiro, com a ajuda da irmã (Nascimento) e da fiel empregada (Caruto), para reconquistar seu ex- marido Eduardo (Airoldi). O problema é que Eduardo está acompanhado da nova namorada (Araújo), uma estrela famosa da TV. O filme foi gravado em um cruzeiro real com passagens pela Itália, em Roma e Veneza. Giovanna Antonelli solta a voz cantando em um dueto com o cantor ítalo-espanhol Sergio Muniz e volta a trabalhar com Reynaldo Gianechinni, com quem fez “Avassaladoras” em 2002 e com quem divide a cena na atual novela das nove da Globo.

PRENDA-ME

Interessante e eficiente

Interessante e eficiente

(Arrétez-Moi) Fr. 2013. Dir: Jean Paul  Lilienfeld. Com Sophie Marceau, Miou Miou, Marc Barbé. Drama / Suspense. Mulher aparece em uma delegacia e pede para ser presa pela morte do marido dez anos atrás. Através de idas e vindas no tempo, o depoimento dela revela uma série de abusos sofridos nas mãos do marido. O filme se desenvolve através do embate entre a atormentada mulher e a descrente policial que duvida desse tardio ataque de consciência e do que isso pode esconder. Adaptação do livro “ Les Lois de la Gravité”, essa produção faz um curioso da câmera para filmar a agressão da mulher do ponto de vista da vítima.

O GRANDE HERÓI

Missão real.

Missão real.

(Lone Survivor) EUA 2013. Dir: Peter Berg. Com Mark Walbergh, Taylor Kitch, Emile Hirsch, Eric Bana, Ben Foster. Ação. Durante a Guerra do Afeganistão, em 2005, destacamento de soldados participa de operação para capturar Bin Laden e enfrenta diversos perigos em um território inóspito e perseguidos pelos homens do Al-Qaeda. A operação retratada pelo diretor Peter Berg (de “Battleship: A Batalha dos Mares”) existiu na vida real e se chamava “Red Wings” (Asas Vermelhas) e a narrativa parte das experiências do oficial Marcus Letrell (Walbergh) que escreveu o livro que serviu de base para essa adaptação. As sequências são muito bem filmadas, ao menos o suficiente para justificar sua indiacação aos Oscars de melhor edição de som e mixagem de som.

por adilson69

ESTREIAS DA SEMANA : 13 DE MARÇO DE 2014

CONFORME JÁ ANUNCIADO ANTES, A PARTIR DESSA SEMANA, AS ESTREIAS NO CIRCUITO COMERCIAL PASSAM A ACONTECER ÀS QUINTAS. AQUI ESTÃO AS INFORMAÇÕES DOS PRIMEIROS FILMES LANÇADOS NA NOVA DATA QUE PASSA A VIGORAR:

ALEMÃO

A Ocupação do Alemão

A Ocupação do Alemão

Br. 2014. Dir: José Eduardo Belmont. Com Caio Blat, Gabriel Braga Nunes, Marcello Mello, Cauã Raymond, Antonio Fagundes, Otavio Muller.

Dramatização da ocupação do morro do Alemão para instalação de uma UPP. O filme acompanha cinco policiais infiltrados entre os moradores do local para implementar a invasão e enfrentando o chefe do tráfico, Playboy (Cauã Raymond em papel de vilão) que descobre o plano das forças de segurança e revida encontrando e matando os policiais. O filme foi rodado dentro do Complexo do Alemão com o roteiro tendo sido escrito por Gabriel Martins um mês após a invasão real.

JUSTIN & A ESPADA DA CORAGEM

Nova animação

Nova animação

(Justin & The knights of Valour) EUA 2013. Dir: Manuel Sicilia. Vozes: Freddie Highmore,  Olivia Williams, Saoirse Ronan, Alfred Molina, Antonio Banderas, Mark Strong. Animação.

Justin é filho do conselheiro da Rainha e sonha em ser um cavaleiro, principalmente quando descobre que seu avô foi o mais nobre membro da guarda real. Justin contraria a vontade de seu pai e parte em sua aventura e vai se encontrar com diversos perigos. Animação razoável e competente co-produzido por Antonio Banderas (que empresta sua voz para Sir Clorex. A voz original de Justin (que tem um quê de Soluço dos Vikings de “Como Treinar seu Dragão”) ficou a cargo de Freddie Highmore (o Norman Bates da série “Bates Motel”). Curiosamente, o nome do vilão Heraclio (Strong) é uma homanagem ao editor espanhol Heraclio Fournier.

NINFOMANÍACA – VOLUME II

A história se encerra

A história se encerra

(Nymphomaniac) 2013. Dir: Lars Von Trier. Com Charlotte Gainsbough, Christian Slater, Shia LaBeouf, Jamie Bell, Stellan Skarsgard,  Uma Thurman, Connie Nielsen, William Dafoe.

A primeira parte foi lançada em Janeiro, complementada agora para os que querem ver a conclusão da história de Joe (Gainsbough), viciada em sexo, e que narra sua vida para um homem mais velho.   O dinamarquês Lars Von Trier goza de uma reputação de intelectual, mas isso só disfarça suas fragilidades como contador de histórias, aqui com forte apelo erótico, e – portanto – não voltado para o público em geral, mas tem seu público.

NEED FOR SPEED – O FILME

Velozes sim Furiosos Não

Velozes sim Furiosos Não

(Need for Speed – The Movie) EUA 2014. Dir: Scott Waugh. Com Aaron Paul, Anthony B. Harris, Dominic Cooper. Ação. Adaptação do popular game pega uma carona óbvia no sucesso da franquia “Velozes & Furiosos”. A história bem rasa, já que serve de mera desculpa para cenas de perseguição em alta velocidade, é sobre um piloto de corridas ilegais em busca de vingança pela morte de seu melhor amigo, pela qual leva a culpa e é preso. Nada mais clichê !

REFÉM DA PAIXÃO

Romance no dia do trabalho

Romance no dia do trabalho

(Labour Day) EUA 2014. Dir: Jason Reitman. Com Kate Winslet, Josh Brolin, Tobey Maguire, James Van Der Beek. Drama. Em uma cidade pequena, no final do verão, mulher e seu filho de 13 anos têm suas vidas modificadas radicalmente quando um fugitivo ferido é acolhido por ambos. Com os eventos se desdobrando no feriado do dia do trabalho americano (primeira segunda-feira do mês de Setembro), a mulher e a criança se envolvem afetivamente com o hóspede misterioso, o que mudará a vida de todos profundamente. O filme é dirigido por Jason Reitman (Juno) , filho de Ivan Reitman, diretor do clássico “Os Caça-Fantasmas”. Baseado no livro “Fim de Verão” de Joyce Maynard, escritora norte-americana que escreveu “Um Sonho sem Limites” (1995) onde também atuou. Uma curiosidade: Em papel menor aparece James Van Der Beek do antigo seriado “Dawson’s Creek”. Alguém lembra ?

por adilson69

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Nesta data parabéns a todas vocês que sempre estiveram ao nosso lado, nos impulsionaram, nos guiaram. Se por trás de todo grande homem há uma grande mulher, seria melhor refazemos o popular dito e dizer que ao lado de um grande homem só pode haver uma grande mulher. No cinema já tivemos princesas, vilãs, bruxas, rainhas, mulheres comuns, domésticas, femme fatales, deusas, guerreiras, … uma infinita lista de papéis que poderia ilustrar a data. Foi Mae West que disse nos anos 30 que quando era boa era ótima, mas quando era má era melhor ainda. Assim atingimos uma dimensão ainda maior do que antes, pois nossas mulheres são assim multifacetadas, pluralizadas, versáteis em seus papéis de mães, amigas, irmãs, esposas, amantes, profissionais, lutadoras, divas, de um polo a outro, de um extremo a outro, o mundo e as artes, em geral, nada seria o mesmo sem a força dessas herdeiras de Gaia. A vocês, e a minha esposa em especiaal, feliz dia internacional da mulher. Abaixo, papéis femininos inesquecíveis que ilustram que o mundo é das mulheres :

annie hall

1. Annie Hall em “Noivo Neurótico Noiva Nervosa”. Woody Allen sempre foi muito hábil para retratar as mulheres no cinema. Embora, Cate Blanchett tenha esse ano sido consagrada em todas as premiações , fico com Diane Keaton pela sua inesquecível Annie Hall, musa do confuso e inseguro Alvin Singer (o próprio Allen) no clássico filme de 1977.

merida

2. Princesa Merida em “Valente”. Em 2012, a Disney mostrou uma princesa que em vez de cumprir seu papel de princesa prometida, tomou o próprio destino em suas mãos. Mesmo que aos troncos e barrancos, em meio a confusão, Merida mostrou a determinação de construir seu próprio final feliz, livre, sem o peso e as amarras impostas por sua condição real.

bonequinha

3. Holly Golightly em “Bonequinha de Luxo”. Nos anos 60, a beleza encantadora e cativante de Audrey Hepburn fez de uma beijo na chuva, co-protagonizado por George Peppard e um “gato”, uma inesquecível cena romântica ao som de Henry Mancini. Na hora em que as fragilidades emergem, Holly mostra a coragem – ainda que só ao final – de encarar a si própria sem glamour e se permitir ser humana.

Film Title: Mamma Mia!

4. Meryl Streap em “Mamma Mia”. Ao cantar “The winner takes it all” , antes do casamento de sua filha Sophie (Amanda Seyfried) , Donna (Streap) faz uma catarse de suas mágoas passadas e se eleva elegante e vitoriosa por sua força e determinação de garantir a felicidade de sua filha. Tendo como cenário o litoral de uma ilha grega, a sequência mexe com homens e mulheres que já tiveram em suas histórias momentos semelhantes de negação e sacrificio, mas sabem superar e se sobresair ainda mais fortes.

0719-fonda_full_600

5. Jane Fonda. Em vez de destacar um papel forte específico, o que no caso de Jane Fonda são vários, prefiro destacar seu nome por sua militância contra a guerra do Vietnã – que embora tenha ocorrido várias décadas atrás – deixou um legado do papel transformador da mulher na sociedade e que beleza não precisa estar presa a estereótipos de futilidades. Jane Fonda fez de sua bandeira uma inspiração que falta nas atrizes de hoje, a de lutar por uma causa.

Lynda C

6. Lynda Carter, a “Mulher Maravilha”. Desconhecida pela nova geração, Lynda Carter – nos distantes anos 70 – foi e permanece até hoje a encarnação dos ideais de justiça e força feminina representadas pela personagem dos quadrinhos – criada pelo psicólogo William Moulton Marston – que resume o poder das mulheres e seu simbolismo de dignidade e força heróica.

jogos-vorazes-atriz

7. Jennifer Lawrence em “Jogos Vorazes”. Em tempos recentes a personagem Katniss Everden (Lawrence) da franquia “Jogos Vorazes” tem sido o maior exemplo entre as jovens de mulher forte e questionadora que subverte as regras para gritar pela liberdade e pela vida. Um modelo positivo  muito bem vindo em tempos que os valores são tão distorcidos.

gravidade

8.Sandra Bullock em “Gravidade”. Outro exemplo vindo da atualidade é o papel da Dra Ryan Stone (Bullock) em “Gravidade”. De inicio uma mulher desiludida e sem nada a perder, ela se torna uma lutadora e redescobre a força para viver ao mudar sua perspectiva do mundo, tanto literalmente quando figurativamente, Sandra Bullock nos faz querer também mudar e se transformar ainda que forças maiores queiram nos puxar para baixo. Uma lavagem de nossa própria alma.

ange

9. Angelina Jolie. Outro caso que vai espalhar a pessoa real em vez de uma interpretação especifica. A atuação de Jolie como embaixadora da Unicef é inspiradora e valorosa, um exemplo de humanitarismo em prol das crianças do mundo. Se possível fosse clonar o que Jolie faz em escala mundial, haveria menos sofrimento, como o cantor Michael Jackson disse na canção “Heal the World”. Merecida premiação de Jolie com o “Jean Hersholt” por suas ações.

froz

10. Elsa e Anna em “Frozen – Uma Aventura Congelante”. Embalada pela contagiante canção “Let it go”, as irmãs Elsa e Anna são maravilhosos exemplos para fechar essa seleção de mulheres que se permitem libertar , de tudo e assumir sua verdadeira essência da qual nada há para se envergonhar.

por adilson69
Nota

 

TINKER BELL – FADAS & PIRATAS

Nova Aventura com a magia do Pirlimpimpim

Nova Aventura com a magia do Pirlimpimpim

(Tinker Bell – The Pirate Fairy) EUA 2014. Dir: Peggy Holmes. Vozes : Christina Hendricks, Mae Whitman, Tom Hiddlestone.

Tinker Bell e suas amigas embarcam em uma jornada para recuperar o pó mágico das fadas que foi roubado pela rebelde Zarina, aliada dos piratas de Skull Rock. Animação, dos Estúdios Disney, voltada para a família e retomando a fada Tinker Bell (que já foi conhecida no Brasil como Sininho) como a protagonistas de novas aventuras. As anteriores foram “Tinker Bell – Uma Aventura no Mundo das Fadas” (2008) e “Tinker Bell – O Segredo das Fadas” (2012). Desta última, a Disney contratou a mesma diretora, Peggy Holmes, para comandar uma aventura de piratas, que reaproxima a personagem de suas origens (do clássico “Peter Pan” da década de 50) e com direito a participação do vilanesco Capitão Gancho, dublado aqui por Tom Hiddlestone, o Loki dos filmes de “Thor” e “Vingadores”. Bom programa para quem curte a animação, e mesmo que adulto pois cultivar uma criança dentro de você é a principal magia de Peter Pan.

ATÉ O FIM

Sundance Kid & O Mar

Sundance Kid & O Mar

(All is Lost) EUA 2014. Dir:J.J.Chandor. Com Robert Redford.

Marinheiro experiente sofre um acidente em alto mar que avaria seu veleiro. Com dificuldade ele faz reparos mas ainda fica sujeito às intempéries em sua luta pela sobrevivência. O filme, orçado em $9.000.000, é de difícil assimilação para o público em geral pois é centrado em um único personagem que não fala uma única palavra. Há momentos em que lembra “O Velho & O Mar” mas sem o lirismo dos versos de Hemingway. Tecnicamente é elogioso. inclusive fazendo uso do som para substituir os diálogos e fazendo o telespectador cúmplice da luta do personagem contra a força maior da natureza. A Academia reconheceu o primor técnico indicando o filme apenas na categoria melhor edição de som (na qual foi derrotado por “Gravidade”), mas lamentavelmente ignorou Redford na categoria de melhor ator. Este, aos 77 anos, se demonstra com vigor admirável para segurar o filme e dar uma lição sobre o que significa uma determinação férrea.

300 – ASCENÇÃO DO IMPÉRIO

a vilã Eva Green

a vilã Eva Green

(300 – Rise Of An Empire) EUA 2014. Dir: Noam Murro. com Rodrigo Santoro, Sullivan Stapleton, Eva Green, Lena Hedley. Épico.

Em paralelo aos eventos do filme anterior, Xerxes (Santoro) avança seus domínios pela Grécia e sua armada, comandada pela implacavel Artemisia (Green)  enfrenta o exército do General Themistocles (Stapleton). O filme não é bem uma sequência do filme de Zach Snyder de 2006, mas uma história que segue os eventos deste e iniciado pela decapitação de Leonidas e que mostra a transformação de Xerxes em um Deus. Santoro retoma o personagem mas ainda não se torna o centro da trama que explora as maquinações da ambiciosa Artemisa (Eva Green de “Cassino Royale”). As batalhas seguem a cartilha do cinema digital, mas isso não torna o resultado superior ao primeiro filme. ou sequer marcante entre os demais do gênero. Diversão descompromissado e sem o apuro histórico que se pode pressupor.

WALT NOS BASTIDORES DE MARY POPPINS

Hanks & Thompson

Hanks & Thompson

(Saving Mr.Banks) EUA 2014. Dir: John Lee Hancock. Com Tom Hanks, Emma Thompson, Paul Giamatti.

o filme dramatiza a relação entre o empresário Walt Disney (Tom Hanks) e a escritora australiana P.L.Travers (Thompson) , autora de “Mary Poppins” que relutou durante muito tempo permitir que Disney o adaptasse para as telas. A relação, sabe-se foi conturbada, mas o filme segue uma linha “feijão com arroz”, sem aprofundar a personalidade de ambas as celebridades e, como de costume em filmes de premissa similar, fica difícil saber o que é fato e o que é ficção. O embate entre Disney e Travers explora os clichês do gênero personagem boa praça enfrenta personagem sisuda, mas sabe na hora H reverter a antipatia inicial por Travers em algo mais palatável para o público. Ao final dos créditos é usada a voz da autora, falecida em 1996 em discussões a respeito da adaptação. O resultado desse duelo já é sabido foi o belíssimo filme de 1965 feito com Julie Andrews e Dick Van Dyke e que foi eleito 6º  entre os melhores musicais do cinema do AFI (American Film Institute) e Oscarizado em cinco categorias, incluindo melhor atriz para Julie Andrews, além de outras honrarias que inevitavelmente farão justiça ao esforço de Disney.

ESTREIAS DA SEMANA : 7 DE MARÇO

por adilson69

Vencedores do Oscar 2014

Os vencedores da noite

Os vencedores da noite

 

Melhor Filme : 12 Anos de Escravidão

Melhor Diretor : Alfonso Cuarón “Gravidade”

Melhor Ator :Mathew McGoughney “Clube de Compras Dallas”

Melhor Atriz: Cate Blanchett “Blue Jasmine”

Melhor Ator Coadjuvante : Jared Leto “Clube de Compras Dallas”

Melhor Atriz Coadjuvante: Lupita Nyong’o “12 Anos de Escravidão”

Melhor Roteiro Original : Spike Jonze “Ela”

Melhor Roteiro Adaptado :12 Anos de Escravidão

Melhor Montagem :Gravidade

Melhor Fotografia : Gravidade

Melhor Figurino : Catherine Martin “O Grande Gatsby”

Melhor Maquiagem :  Adruitta Lee & Robin Mathews “Clube de Compras Dallas”

Melhor Mixagem de Som  Gravidade

Melhor Edição de Som : Gravidade :

Melhor Efeitos Visuais: Gravidade

Melhor Filme em Língua Estrangeira : The Great Beauty (Italia)

Melhor Trilha Sonora :Gravidade

Melhor Canção Original : Frozen – Uma Aventura Congelante

Melhor Animação : Frozen – Uma Aventura Congelante

Melhor Documentário Longa :20 Feet From Stardom

Melhor Documentário Curta : The Lady in Number 6

Melhor Curta de Animação : Mr. Hublot

Melhor Curta Metragem : Helium

Melhor Design de Produção : O Grande Gatsby