30 ANOS DE “O EXTERMINADOR DO FUTURO”

 

     terminator_remastered_bd

               Voltar ao passado para mudar o futuro: A premissa já virou clichê no campo da ficção científica e recentemente foi a linha narrativa de “X Men – Dias de um Futuro Esquecido” baseada na HQ de mesmo nome, de autoria de Chris Claremont & John Byrne, publicada originalmente no início dos anos 80. Três anos depois de sua publicação original, James Cameron usou esse artifício para criar um dos mais populares filmes da década, “O Exterminador do Futuro” (The Terminator) que completa agora 30 anos e chega ao mercado nacional de blu-ray.

term 2

    Na época, James Cameron (muito antes de triunfar em Hollywood) trazia um orçamento modesto de $6.500.000 para contar a história de um ciborgue futurista, enviado ao passado para matar a jovem Sarah Connor que dará a luz a John Connor, destinado a se tornar o líder da raça humana na luta contra as máquinas que dominarão o mundo. O roteiro assinado pelo próprio Cameron junto com sua então esposa Gale Ann Hurd bebia da fonte de autores como Isaac Azimov (autor de Eu Robô) e Harlan Ellison, autor do episódio “Soldier” da clássica série de Tv “The Outer Limits”, que também trata da viagem no tempo como forma de repaginar o futuro. Cameron não foi original, mas foi criativo por diluir toda a filosofia e papo científico em um filme de ação crescente, que sendo passado no então presente de 1984 mantinha os custos baixos. Arnold Schwarzennegger, na época recém saído do sucesso de “Conan” pediu a Cameron  o papel de Kyle Reese, o protetor de Sarah Connor, também vindo do futuro. Contudo, Cameron sugeriu a Schwarzenegger que ficasse com o papel do robô assassino, que até hoje é seu papel mais icônico. Segundo reza a lenda, Cameron teria dito “Esse filme não é sobre o herói, é sobre o vilão !”. Linda Hamilton vinha de pequenos papeis na Tv e no cinema quando foi escohida para viver Sarah Connor, papel que chegou a ter os nomes de Debra Winger, Carrie Fisher, Michelle Pfeiffer, Kelly McGillis e Sharon Stone. Já Kyle Reese ficou com o então também desconhecido Michael Biehn, preenchendo a vaga que quase foi de Bruce Willis e do cantor Sting, inicialmente sondados.

term came

                O filme, lançado nos Estados Unidos em Outubro de 1984, chegou ao Brasil em Março do ano seguinte com a popularidade de Schwazenegger crescendo graças ao sucesso de Conan. O ex campeão de fisioculturismo treinou  com armas, praticando tiro ao alvo com os olhos vendados para ter os reflexos rápidos e precisos como uma máquina, mas ainda teve que esperar por alguns meses para começar a filmar pois estava comprometido com “Conan o Destruidor” (1984) que filmava com Richard Fleischer. Enquanto esperava por seu astro, Cameron trabalhou em um roteiro para um filme de ação que se tornaria anos depois “Aliens o Resgate” (1986). Curiosamente, um dos nomes sondados para o papel do exterminador foi O.J.Simpson, ex atleta e ator que faria os três filmes “Corra que a Polícia vem ai” e que anos depois acabaria com a carreira ao matar sua esposa. Irônico, pois Simpsom foi desconsiderado para o papel porque os produtores o achavam incapaz de encarnar um assassino de sangue frio. Outros nomes pensados para o papel do robô assassino foram Mel Gibson, Michael Douglas, Kevin Kline e Tom Selleck. Ficou para o ator austríaco o papel que apesar de praticamente não ter falas no filme (seu forte sotaque incomodava aos produtores) ter a honra de entrar para o AFI 100 Heroes & Villains figurando tanto como vilão como herói, já que na continuação do filme Schwarzenegger volta como o robô do bem.

i ll be bk

              Anos depois de “O Exterminador do Futuro”, James Cameron já divorciado de Gale Anne Hurd (sua segunda esposa) casou-se com Linda Hamilton com quem teve uma filha. O sucesso do filme impulsionou a carreira do diretor, de origem canadense, o que poderia não ter acontecido já que os produtores tentaram interferir nas filmagens. Estes queriam forçar Cameron a encerrar o filme com a cena da explosão do tanque, mas Cameron brigou e conseguiu impôs a impressionante sequência seguinte em que Arnold perde sua aparência humana e persegue Sarah em sua forma robótica, assumindo seu visual de máquina fria e irrefreável. Cameron também teve problemas com o autor Harllan Ellison que o processou por plágio do roteiro de “Soldier”, episodio da serie de TV “The Outer Limits”. O assunto foi resolvido com um acordo fora dos tribunais que Cameron se resentiu por ter sido forçado a aceitar, no qual reconhecia Harlan Ellison como origem da ideia por trás do filme. 

term 1

            O lucro de $38.400.000 no território americano deu o aval para a continuação “O Exterminador do Futuro 2 : O Julgamento Final”, que reaproveita as ideias que Cameron não pôde utilizar no primeiro filme por falta de tecnologia para reproduzir os efeitos especiais. O filme foi um sucesso ainda maior e popularizou de vez a história que ainda renderia a seguir mais 2 filmes e uma série de TV entitulada “Terminator: The Sarah Connor Chronicles” que teve vida curta na telinha. Aguarda-se para ano que vem o reboot da franquia com o anunciado “Terminator:Genysis”, também com Arnold Schwarzegger. Alguém ainda duvida da frase proferida pela máquina, ideia que partiu de seu interprete, ao final do filme : “I’L BE BACK!”. 

 

 

 

 

 

o-exterminador-do-futuro cartazz

ESTREIAS DA SEMANA : 28 DE AGOSTO DE 2014

LUCY

Consegue resistir a esse olhar ?

Consegue resistir a esse olhar ?

(Lucy) Fr. 2014. Dir: Luc Besson. Com Scarlett Johansson, Morgan Freeman, Ação. Mulher, acidentalmente, tem droga experimental inserida em seu organismo e passa a desenvolver 100% de seu cérebro. Lucy (Johansson – a Viúva Negra do filme dos “Vingadores”) procura o Professor Norman (Freeman – de “Truque de Mestre”), um especialista no cérebro humano, para ajudá-la a controlar as habilidades sobre-humanas que começa a manifestar e com as quais pretende se vingar de seus algozes. Filme de ação do hábil diretor Francês Luc Besson (Imensidão Azul, O Quinto Elemento) que consegue inserir estilo próprio misturando sua ideias pessoais ao ritmo hollywoodiano. O próprio Besson definiu esse novo trabalho como uma mistura de “A Origem” com “2001 – Uma Odisseia no Espaço”. Ele pode ser visto no filme em um rápida aparição como um médico parisiense. O filme seria a princípio feito com Angelina Jolie no papel principal, mas esta acabou recusando o convite. O filme é bem movimentado e não foge aos cilchês do gênero, mas consegue ser uma boa alternativa de diversão.

MAGIA AO LUAR

Acredite se quiser

Acredite se quiser

(Magic in the Moonlight) EUA 2014. Dir:Woody Allen. Com Colin Firth, Emma Stone, Comédia Dramática. Mágico ilusionista ganha a vida desmascarando falsos médiums. É contratado para descobrir os truques de uma jovem com poderes sobrenaturais, mas acaba tendo a própria razão posta a prova ao se deixar encantar pela bela jovem. Segundo longa de Woody Allen filmado na França, depois do Oscarizado “Meia Noite em Paris” (melhor roteiro original em 2011). Um filme de Woody Allen é sempre bem vindo por carregar inventividade e uma capacidade narrativa envolvente. Aqui as presenças dos sempre ótimos Colin Firth (O Discurso do Rei) e Emma Stone ( a Gwen Stacy de “O Espetacular Homem Aranha”) são um grato encontro em cena, muito bem encenado na cidade das luzes.

ERA UMA VEZ EM NOVA YORK

Conflitos amorosos

Conflitos amorosos

(The Immigrant) EUA 2013. Dir: James Gray. Com Joaquin Phoenix, Marion Coitllard, Jeremy Renner, Dagmara Dominczyk. Drama. Na Nova York de 1921,  imigrante polonesa (Coitllard) cai na lábia de um picareta que a obriga a se prostituir. Em meio às desilusões e dificuldades, ela vem a se envolver com o primo dele. O triângulo formado entre Phoenix – Coitllard – Renner leva os personagens a um desfecho trágico, tendo a Nova York dos loucos anos 20 como pano de fundo. A ótima Marion Coitllard será reconhecida em filmes como “Piaf”, “Meia Noite em Paris” e “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge).

A 100 PASSOS DE UM SONHO

Chef também

Chef também

(The Hundred Foot Journey) EUA 2014. Dir: Lasse Halsstrom. Comm Helen Mirren, Drama. Na França, familia indiana abre um restaurante ao lado de um  conceituado estabelecimento, pertencente a uma autoritária mas talentosa chef com quem se cria o conflito advindo da concorrência pela clientela parisiense. A amizade com o filho de seu rival vai mudar o rumo da convivência entre os concorrentes. Adaptado do romance de Richard C. Morais chega às telas agora bem perto de outro filme a tratar do mundo dos chefs de cozinha, a comédia “Chef” de Jon Favreau, que estreou a pouco mais de uma semana. A excelente Helen Mirren trabalhou em filmes como “RED – Aposentados & Perigosos” , ” A Lenda do Tesouro Perdido 2″ , e o Oscarizado “A Rainha”.

NO OLHO DO TORNADO

Twisted !

Twisted !

(Into The Storm) EUA 2014. Dir: Steven Quale. Com Richard Armitage, Sarah Wayne Calliess. Suspense. Grupo de estudantes persegue o rastro de destruição de um tornado na cidade de Silverton. Filme catástrofe misturado com ação que deve impressionar pelo realismo das cenas com o tornado. O ator Richard Armitage é o anão Thorin Escudo de Carvalho de “O Hobbit”. e Sarah Wayne Callies trabalhou na série “The Walking Dead”. 

por adilson69

IN MEMORIAN: RICHARD ATTENBOROUGH

richard al

Morreu neste domingo, de causa ainda não divulgada, o ator e diretor Richard Attenborough (1923-2014), mais lembrado como o milionário John Hammond de “Jurassic Park – Parque dos Dinossauros” (1992). Richard Sanuel Attenborough foi premiado com o Oscar de melhor diretor em 1982 por “Gandhi” demonstrando ser um hábil cinebiógrafo, o que confirmou ao realizar “Chaplin” em 1992. Seu filho, Michael, também é diretor atuando na TV. Dickie (como era chamado pelos amigos) também dirigiu dramas (Um Grito de Liberdade) e musical (CHorus Line). Que descanse em paz !! 

por adilson69

ESTREIAS DE 21 DE AGOSTO DE 2014

OS MERCENÁRIOS 3 

os-Mercenarios-3

(The Expendables 3) EUA. 2014. Dir:Patrick Wilson. Com Sylvester Stallone, Jason Statham, Arnold Schwarzenegger, Wesley Snipes, Antonio Banderas, Terry Crews, Dolph Lundgren, Jet Li, Harrison Ford, Kelsey Grammer, Mel Gibson. Ação. fCurioso lembrar que quando “Tropoa de Elite” vazou para a internet antes de sua estreia nas telas, mesmo assim o filme se firmou um grande sucesso de bilheteria. O mesmo não ocorreu com essa terceira aventura dos dispensáveis soldados da fortuna liderados por Barney Ross (Stallone). Embora, apontado como a razão desse fracasso o fato adicional que a formula de ação dessa geração já está repetitiva, o filme não é tão ruim assim. Na verdade, é bem empolgante apesar de seu ritmo irregular. Começa bem movimentado, desacelera, volta a incrementar a missão para cair novamente e se reerguer no ato final com todas as pompas e circunstancias. Devemos lembrar que é filme pipoca e mesmo os mais jovens podem gostar principalmente por confrontar duas gerações diferentes de mercenários. A história pode ser até clichê : Barney reune nova equipe para caçar Conrad Stonebanks (Gibson) – que foi co-fundador do grupo e agora é um implacável comerciante de armas, mas diverte, revive, para quem viveu os anos 80, o clima dos filmes de “exercito de um homem só”, como Rambo, Comando para Matar e outros estrelados pela velharia que leva no bom humor o reconhecimento que o mundo não será salvo simplesmente por fortões bem intencionados, canastrões de carisma suficiente para fazer todos lembrar que o cinema de ação não precisa depender de super herois. Há espaço para todos se o revival se justificar. 

SEX TAPE – PERDIDO NA NUVEM

sex_tape_xlg

(Sex Tape) EUA 2014. Dir: Jake Kasdan. Com Cameron Diaz, Jason Segel, Rob Cordroy, Rob Lowe. Comédia. Casal filma sua relação sexual na qual reproduzem várias posições vistas em um livro. O problema é que o arquivo vaza e eles – para evitar o escândalo – precisam tentar recuperar as gravações. A história é bem bobinha, tentando ganhar destaque através das cenas de nudez do casal Jason Segel & camercon Diaz, que voltam a trabalhar juntos pela segunda vez dirigidos por Jake Kasdam (Filho de Lawrence Kasdan, roteirista de “Caçadores da Arca Perdida” -1982 e diretor em “Silverado” -1985 e “Wyatt Earp” – 1992). Juntos eles fizeream “Professora sem classe” há dois anos, mas a graça pouco resiste quando as situações são tão apelativas, mesmo sabendo que Cameron Diaz é uma gata.

ESTREIAS DA SEMANA : 14 DE AGOSTO DE 2014

O QUE SERÁ DE NOZES

nozes

(The Nut Job) CAN-EUA-CS. 2014. Dir:Peter Lepeniotis. Com Wll Arnett, Liam Neeson, Brendan Fraser. Animação. Expulso do parque onde morava, esquilo malandro reune um grupo de amigos para invadir loja cheia de nozes e outras frutas necessárias para passar o inverno. Lembra um pouco a premissa de “Os Sem Floresta”, essa animação adapta o premiado curta Surly Squirrel de 2005, do mesmo diretor, O sucesso lá fora já garantiu a promessa de uma sequência para 2016. Diversão para toda familia.

AS TARTARUGAS NINJAS 

Tartarugas

(Teenage Mutant Ninja Turtle) EUA 2014. Dir:Jonathan Liebsman. Com Megan Fox, Will Arnett, Alan Ritchson. Ação. Quatro tartarugas (Donatello, Micheangelo, Rafael e Leonardo) são antigidas por estranha radiação que os fazem desenvolver inteligência. Crescendo nos esgotos da cidade, são treinados na arte do ninjutsu pelo mestre Splinter (voz de Tony Shaloub, o Monk da TV) , um rato que sofreu a mesma anomalia. As quatro usam suas hablidades para enfrentar a gang do Destruidor que ameaça a cidade e contam com a ajuda da dedicada reporte April (Fox). Criado nos quadrinhos em 1984 por Kevin Eastman e Peter Laird, os personagens se popularizaram na tv em um desenho animado que durou nove anos. Três filmes já foram produzidos em 1990, 1991 e 1993 além de uma animação em 2007, o que faz desse novo filme um “reboot”, comforme tendência de mercado que recicla o que já deu certo antes. O filme vai divertir principalmente aqueles que acompanharam o desenho das tartarugas que adoravam comer pizza entre uma luta e outra com katanas e nunchakus. O filme foi lançado nos Estados Unidos semana passada e já se promete uma sequência para breve dada a bilheteria alcançada. Megan Fox volta aos blockbusters depois de um tempo na geladeira. Santa tartaruga !!!!

CHEF

Chef

(Chef) EUA 2014. Dir:Jon Favreau. Com Jon Favreau, Dustin Hoffman, Gary Sandling, Oliver Platt, Sophia Vergara. Comédia. Chef de restaurante de prestígio vive se desentendendo com o dono do lugar (Hoffman) e acaba perdendo o emprego quando crítico culinário arrasa com o cardápio servido. Para sobreviver pede a ajuda de sua ex-esposa que o convence a abrir um trailler de lanches que começa a fazer sucesso e com isso se reaproxima de sua família. O diretor e ator Jon Favreau (Homem de Ferro, Homem de Ferro 2, Cowboys & Alienigenas) envereda pela seara das comédias românticas, voltadas para o público em geral.

IN MEMORIAN : LAUREN BACALL

Lauren Bacall

A Lista dos injustiçados por nunca terem sido contemplados com um Oscar está a fantástica Lauren Bacall (1924-2014) falecida ontem aos 89 anos, um dia depois de termo pedido Robin Wiliams. Lauren, nascida Betty Joan Perksy, encarnou a sofisticação e o glamour de seu início como modelo (foi capa da Harper’s Bazzaar) além do talento e da versatilidade com a qual viveu papéis inesquecíveis nas telas. Começou a carreira cinematográfica em “Uma Aventura na Martinica” (1944) ao lado de Humphrey Bogart com quem veio a se casar pouco depois. Ao lado de Bogart, com quem teve dois filhos, ainda trabalhou em “A beira do Abismo” (1946) e “Paixões em Fúria” (1948). Bogart e Lauren formavam um casal 20 na Hollywood dos anos 40 e ambos usaram de seu prestígio ao congresso norte-americano nos anos 50 para protestar contra a caçada MacCarthista que prejudicou a carreira de diversos colegas da industria cinematográfica. Lauren esteve ao lado de outros grandes nomes como Henry Fonda (Médica bonita e solteira) em 1964, Paul Newman (Harper, o caçador de aventuras) em 1968, Gregory Peck (Teu nome é mulher) em 1957, Albert Finney (Assassinato no Expresso do Oriente) em 1974, Marilyn Monroe (Como Agarrar um Milionário) em 1953, James Garner (O Fã Obsessão Cega) em 1988 entre outros.

Bacall And Bogart

 

Foi indicada ao Oscar uma única vez, em 1997 em “O Espelho tem duas Faces” em que fez o papel de mãe de Barbra Streisand, mas perdeu para Juliette Binoche por “O Paciente Inglês”. Chegou a ganhar em 2010 um Oscar honorário pelo conjunto da obra, além de outros prêmios como Golden Globe, Bafta (O Oscar Inglês) etc. Casou-se pela segunda vez com o ator Jason Robards em 1961, quatro anos depois da morte de Bogie com quem esteve até o fim, e teve com ele um filho. Nos últimos anos foi se afastando do cinema. Sua morte deixa o vazio de uma excelente intérprete cujo valor merecia maior reconhecimento. Fica imortalizado em película o brilho daquele olhar felino, penetrante e voz roca sensual que conquistou a imortalidade. Que sua passagem seja iluminada !!

Lauren_Bacall-today_thumb

IN MEMORIAN : ROBIN WILLIAMS

hook

Existem alguns atores que admiramos como se fossem um grande amigo ainda que não os conheçamos pessoalmente. É como se formasse uma afinidade mágica entre o fã e o intérprete de tantos papéis marcantes. É com um grande pesar que registro aqui no blog a passagem de Robin Williams: Peter Pan, Adrian Cronauer, John Keating, Jack, Ted Roosevelt, Armand, Popeye, Patch Addams. Robin McLaurin Williams nasceu em 21 de Julho de 1951 em Chicago, Illinois. Estudou Ciências Políticas antes de ingressar na Julliard School of Drama, onde fez teatro junto com o ator Christopher Reeve de quem ficou muito amigo. Foi Robin quem arrancou de Chris Reeve o primeiro sorriso depois do acidente que deixou o ex-Superman tetraplégico: Robin entrou no quarto de Reeve vestido de médico, simulando sotaque russo e fazendo uma série de piadinhas.

Mork-and-Mindy

No início de carreira, Robin fez a série de Tv “Mork & Mindy” (1978-1982) na qual fazia um alienígena visitante contracenando com Pam Dawber. A série apresentou o talentoso ator ao público que nos anos seguintes se acostumou a nos fazer rir e a chorar com sua versatilidade. Sua primeira grande chance no cinema foi em Popeye (1980) de Robert Altman. Conquistou sua primeira indicação ao Oscar em 1985 com “Bom Dia Vietnã“, de Barry Levinson. Em meio a vários filmes sobre o Vietnã, Robin Williams surge nas telas como um disc-jockey que descobre o lado humano sofrido do conflito, papel perfeito para um ator com sua desvairada verborragia e excelente timing para improvisação. Fica na mente a sequência em que Williams dubla a belíssima “What a Wonderful World” de Louis Armstrong. Chorei com Williams ao final de “Sociedade de Poetas Mortos” (1989) de Peter Weir, mostrando que o ator é capaz de transmitir uma sensiblidade capaz de despertar sentimentos diversos. Foi assim também com “Amor Além da Vida” (1998) filme de mensagem espírita, baseado na obra de Richard Matherson e embebido de um romantismo contagiante.

baba quase perfeito

Em vários filmes Williams provou sua versatilidade como “Uma Babá Quase Perfeita” (1993) de Chris Columbus, um grande marco entre os papéis cômicos que fez e “Gênio Indomável” (1997) pelo qual conquistou o Oscar de melhor ator coadjuvante pela atuação sóbria e contida de um psicólogo. Williams era como se fosse uma criança e isso ele soube mostrar como ninguém como Peter Pan em “Hook” (1991) de Steven Speiberg e Jack Powell, a criança que envelhece mais acelerado em “Jack” (1996) de Francis Ford Coppola. Dublou o gênio da lâmpada na animação da Disney “Alladim” (1992) e o pinguim Ramon de “Happy Feet” (2006). Quando seus detratores o acusavam de fazer mais do mesmo, Williams surpreendeu como o assassino de “Insômnia”  (2002) e o psicopata de “Retratos de uma Obsessão” (2002). Em tempos mais recentes roubou a cena de Ben Stiller em “Uma Noite no Museu” (2006) onde interpretou o presidente Ted Roosevelt.

Sociedade dos poetas mortos

Jamais esqueceremos esse ator maravilhoso, que brilhou com uma intensidade única, sua energia transbordando além do que as palavras de um script poderia transmitir. Descanse em paz nobre amigo que jamais vou poder conhecer pessoalmente. A imortalidade lhe foi concedida nos filmes como somente os deuses do Olimpo poderiam almejar. Oh Capitão, meu Capítão !!

por adilson69

ESTREIAS DA SEMANA : 7 DE AGOSTO DE 2014

VESTIDO PARA CASAR

Leandro vestido

Bra 2014. Dir: Gerson Sangeintto. Com Leandro Hassum, Fernanda Rodrigues, Marcos Veras, Renata Dominguez. Comédia. Leandro Hassum nunca escondeu a admiração por Jerry Lewis que inclusive participou de seu último filme (Até que a Sorte nos Separe 2). Seu histrionismo é mais que bem vindo em seu novo trabalho. Típica comédia de erros, o filme traz Hassum no papel de Fernando, um noivo atrapalhado que – às vésperas do casório – esbarra em afetada socialite acompanhada do amante. Esta usa o incidente para explorar a inocência do pobre Fernando para cubrir o seu caso de amor adúltero. No momento em questão chegam os seus sogros que não estão muito convictos de que Fernando seja o melhor partido para sua bela filha. Confirmando que muitas das vezes não é a piada em si, mas como ela é contada que faz a graça, Hassum usa e abusa de sua persona, caras, bocas e voz para arrancar gargalhadas. Para que uma comédia funcione, tal habilidade é vital ainda que se recorra aos clichês do gênero e fique, por vezes, a impressão de se estar rindo de uma mesma piada. Isso não deveria ser visto como demérito, mas como uma boa opção de entretenimento, simples, direto, careteiro sim mas que nos deixe vestido, ops, prontos para rir.

THE ROVER – A CAÇADA

the rover

(The Rover) Aust. 2014. Dir: David Michod. Com Robert Pattinson, Guy Pearce. Em um futuro próximo, homem (Pearce) persegue a gang que roubou seu carro através do deserto australiano, acompanhado do jovem membro (Pattinson) abandonado por seus comparsas. Percebe-se a tentativa de Robert Pattinson  de fazer o público esquecer de sua imagem de galã vampiro da saga “Crepúsculo”. Para quem gosta de “road movies” com muita ação, lembra um pouco “Mad Max” .

 

 

 

por adilson69