ANIVERSÁRIO DE DOIS ANOS

charlie-chaplin2

Há dois anos comecei a compartilhar nesse espaço meu amor pelo cinema. Informações e opiniões foram passadas, sinopses dos lançamentos, artigos comemorativos e biografias de importantes artistas têm passado por esse blog. E tudo isso, agradeço a vocês meus amigos pela força. Não é fácil manter uma atividade de blogueiro movido apenas pela vontade de falar do que se gosta e de ler com vocês tantas coisas legais que envolvem a maior das diversões. É com grande prazer que anuncio que a partir de agora o blog tem uma página no facebook . O link segue abaixo :

https://www.facebook.com/pages/Blogcineonline/381394408642295

A página é cortesia de meu grande amigo, incentivador e agora colaborador Fabio Bocco. Fica assim aberta mais uma porta para mantermos contato e divulgar o que está passando nas telas e o que está correndo no mundo do cinema. E pensar que tudo isso começou para mim quando minha mãe me levou ao cinema pela primeira vez para assistir “Branca de Neve & Os Sete Anões” . Você se lembra qual foi o primeiro filme que você assistiu no cinema ? Responda e troque uma ideia pelo face e quem sabe, não descobrimos coisas interessantes a respeito.

branca

A todos vocês que me visitam aqui, e agora no face, meu muito obrigado. Continuemos pois o show deve continuar !!! Thank You! Grazia ! Muchas Gracias ! Danke ! ….

Anúncios
por adilson69

ESTREIAS DA SEMANA : 25 DE SETEMBRO

A BELA & A FERA

a bela e a fera

(La Belle & La Bête) FR-ALEM 2014. Dir: Christopher Gans. Com Vincent Cassell, Lea Seydoux, André Dussollier. Adaptação do conto infantil francês de , sendo a animação da Disney de 1991 uma das melhores versões da história, impressa na memória afetiva de muitos. A própria Disney já anunciou a intenção de fazer uma versão live action. Enquanto esta não vem, é possível se deliciar com essa co-produção franco alemã dirigida e co roteirizada por Christophe Gans de filmes como “O Pacto dos Lobos”(2002) e “Terror em Silent Hill” (2006) . Gans já demonstrou talento para produções comerciais e de apelo popular e tem aqui a sua disposição um orçamento de 33 milhões de euros. A história é conhecida: Bela é filha de um camponês que é capturado por um príncipe amaldiçoado e transformado num horrendo monstro. Bela se oferece para ser companhia da fera em troca da liberdade de seu pai e acaba por envolver sentimento com aquela criatura de aspecto assustador, porém de alma nobre. Na versão dublada em Português, a bela Paola de Oliveira empresta sua voz para Bela.

O PROTETOR

protetor

(The Equalizer) EUA 2014. Dir: Antoine Fuqua. Com Denzel Washington, Chloe Grace Moretz, Ação. Robert McCall (Washington) é um ex espião que busca se redimir de seu passado obscuro vivendo uma vida normal de cidadão. Torna-se necessário voltar à velha forma quando aceita proteger uma jovem prostituta (Moretz) ameaçada pela máfia russa. Fuqua e Washington já trabalharam juntos no premiado “Dia de Treinamento” e estão para fazer um terceiro trabalho juntos em breve com a refilmagem de “Sete Homens e um Destino”. Muita ação se reserva para esta adaptação de uma série de TV dos anos 80, não muito conhecida no Brasil, que trazia o já falecido ator Edward Woodward no papel agora vivido por Denzel Washington, mas que quase ficou a cargo de Russell Crowe, inicialmente ligado ao projeto.

SIN CITY – A DAMA FATAL

SIN CITY P

(Sin City – A Dame to Kill For) EUA 2014. Dir: Robert Rodriguez & Frank Miller. Com Josh Brolin, Mickey Rourke, Eva Green, Jessica Alba, Joseph Gordon Levitt. Adaptação de três arcos de histórias da conceituada Hq “Sin City” que já gerou o primeiro filme de 2005. Seu autor, o prestigiado Frank Miller divide a direção com Robert Rodriguez mais uma vez. Recentemente, o filme foi antecipado com a polêmica do cartaz promocional que trazia a belíssima Eva Green com os seios desnudos. Seu papel que dá título ao filme seria interpretado por Angelina Jolie, mas Eva (Cassino Royale, 300 A Ascenção do Império) entrou em seu lugar como uma mulher do passado de Dwight (Brolin) e que o arrastará para uma trama diabólica, típica do gênero noir que os quadrinhos de Frank Miller homenageiam.  Curiosa mudança é a entrada de Josh Brolin no papel que foi de Clive Owen no primeiro filme. Nesse caso, a mudança é justificada por uma operação plástica. Outra substituição é o ator Dennis Heybert no lugar do já falecido Michael Clarke Duncan. Para os fans da Hq uma novidade: duas das histórias que são usadas no filme são inéditas e escritas de forma a se entrelaçar ao material original. Demorou quase dez anos para que Robert Rodriguez conseguisse fazer uma sequência para “Sin City” , o que talvez esfrie seu lançamento entre o público não iniciado em quadrinhos, principalmente por não se tratar de uma história de super heróis.

CANIBAIS

The-Green-Inferno-11fev2013-01

(The Green Inferno) EUA 2014. Dir: Eli Roth.Com Aaron Burns, Ariel Levy,  Kirby Blisss Blanton, Lorenza Izzo. Terror. Filme B de terror, do mesmo diretor de “O Albergue 2” (2007) que também co-roteiriza o filme. Grupo de ativistas americanos viaja até selva peruana para protestar contra o desmatamento e proteger tribo local. Contudo, a tribo os aprisiona para comê-los já que são canibais.

SERÁ QUE ?

What-If-612x344

(What If) EUA 2014. Dir: Michael Dawse. Com Daniel Redcliffe, Zoe Kazan. Rafe Spall. Comédia Romântica. Adaptação da peça “Cigars and toothpaste” de T.J.Tawe e Michael Rinaldi com Daniel Redcliffe tentando mais uma vez se livrar do estigma de Harry Potter. Aqui Daniel vive um rapaz entediado com uma sucessão de namoros ruins até fazer amizade com uma jovem que vive com seu namorado. Logo, os dois inevitavelmente vão descobrir que sentem algo mais além de amizade.

por adilson69

FESTIVAL DO RIO 2014

    Começa nesta quarta-feira dia 24 de Setembro começa o Festival do Rio que exibirá 350 filmes, de mais de 60 países diferentes, inclusive filmes brasileiros, até 8 de Outubro. Exibidos em  30 salas pela cidade, o Festival começará com a exibição do documentário “O Sal da Terra”, de Win Wnders e Juliano Salgado.

Dentro da mostra Première Brasil, dez longas de ficção competem pelo principal prêmio do festival. São eles: “Ausência”, “Casa Grande”, “Love Film Festival”, “O Fim de Uma Era”, “O Fim e os Meios”, “O Outro Lado do Paraíso”, “O Último Cine Drive-in”, “Obra”, “Prometo Um Dia Deixar Essa Cidade” e “Sangue Azul”.

o sal da terra

Na competição de documentários estão “À Queima Roupa”, “A Vida Privada dos Hipopótamos”, “Campo de Jogo”, “Esse Viver Ninguém me Tira’, “Favela Gay”, “Meia Hora e as Manchetes que Viram Manchete”, “My Name is Now, Elza Zoares”, “O Estopim”, “Porque Temos Esperança” e “Samba & Jazz”.

“Garota Exemplar”: Adaptação do best-seller de Gillian Flynn, que narra o desaparecimento de uma mulher no dia de seu aniversário de casamento. O protagonista é Ben Affleck, ator cuja carreira ganhou novo fôlego após “Argo”, e a direção é do norte-americano David Fincher, duas vezes indicado ao Oscar.

“Trinta”: Promete ser concorrida a sessão única do filme de Paulo Machline, que será realizada no Teatro Municipal do Rio. O longa narra a trajetória do carnavalesco Joãosinho Trinta (interpretado por Matheus Natchergaele), da infância à produção de seu primeiro desfile na escola de samba Acadêmicos do Salgueiro.

“Mapas para as Estrelas”: Novo filme do celebrado diretor canadense David Cronenberg, pode render uma indicação ao Oscar para a atriz Juliane Moore, já premiada em Cannes. Em uma sátira sobre a vida em Hollywood, Cronenberg conta a história da família Weiss, encabeçada por um psicólogo que fez fortuna com livros de auto-ajuda e uma mulher que se ocupa da carreira do filho, um astro mirim de 13 anos.

Cantinflas

“Cantinflas : Cinebiografia do grande comediante mexicano Mario Moreno, conhecido internacionalmente como Cantinflas. Morto em 1993, Cantinflas trabalhou ao lado de David Niven no clássico “A Volta ao Mundo em 80 Dias” em 1956. O ator espanhol Óscar Jaenada interpreta Cantinflas em uma admirável personificação desse ícone do cinema mexicano.

“Boyhood – Da Infância à Juventude”: Um dos filmes mais comentados do Festival de Sundance e premiado em Berlim, é dos projetos mais pessoais do diretor Richard Linklater. Foi filmado em 39 dias, mas durante 12 anos, acompanhando o crescimento de um menino dos 5 aos 18 anos. Assim, o ator Ellar Coltrane envelhece na tela como na vida real.

boyhood

Coloco abaixo o link do site oficial do Festival com os detalhes das mostras, data, horário e local dos filmes. Um boa oportunidade para se assistir filme que nem sempre chegam ao circuito comercial e outros que poderão concorrer ao Oscar. O Rio se abre à Sétima Arte. Cinéfilos, aproveitem !!!

http://www.festivaldorio.com.br/

por adilson69

ESTREIAS DA SEMANA : 17 DE SETEMBRO DE 2014

MAZE RUNNER – CORRER OU MORRER

The-Maze-Runner-Movie

(Maze Runner) EUA 2014. Dir: Wes Ball. Com Dylan O’Brian, Will Poulter, Kaya Scodelario, Thomas Brodie Sangster. Ficção Científica / Aventura. Adaptação do livro homônimo de James Dashner escrito em 2010 e que se popularizou entre o público jovem, gerando uma trilogia que já se sabe será filmada se o filme der o lucro desejado. A história mostra jovens que, sem saber como, são levados a um labirinto mortífero onde somente o mais habilidoso e forte sobreviverá. O jovem Thomas (O’Brian) inadvertidamente torna-se o líder do grupo para levá-los a liberdade sonhada. Orçado em 40 milhões de dólares, o filme traz como protagonista Dylan O’Brian, da série de tv “Teen Wolf” e que também será reconhecido como um dos nerds em “Os Estagiários”.

MESMO SE NADA DER CERTO

mesme se

(Begin Again) EUA 2014. Dir: John Carney. Com Keira Knightly, Adam Levine, Mark Ruffalo, Catherine Keener, Hailee Steinfeld. Romance. Casal de namorados (Knightly e Levine) compõem músicas juntos há bastante tempo. Um dia se separam quando Dave (Levine) recebe uma sedutora proposta de trabalho, e Greta (Knightly) amarga o abandono cantando à noite em bares. É quando conhece um produtor musical falido (Ruffalo) que se encanta com sua voz e se envolverá com ela. Dirigido e roteirizado por John Carney, o filme aborda segundas chances no campo pessoal e profissional, o que é sempre pano para manga para um bom roteirista desenvolver uma história que envolva o público. Keira Knightly teve que aprender a tocar violão para o papel, e teve para isso a ajuda de seu marido na vida real que é músico. Ela ficou com o papel que chegou a ter o nome de Scarlet Johansson cogitado.

ISOLADOS

isolados

Bra 2014. Dir: Thomas Portela. Com Bruno Cagliasso, Regiane Alves, José Wilker, Juliana Alves. Suspense. Casal em crise (Cagliasso & Alves) se muda para região serrana do Rio de Janeiro para passar uma temporada de descanso e reascender a relação. Contudo, ele descobre relatos de violentos ataques na região e esconde tudo de sua mulher.  O filme foi co-roteirizado por Mariana Vilmond, filha do ator José Wilker que faleceu em Abril desse ano. Esse é um dos últimos trabalhos do ótimo ator e chegou a ser exibido mês passado no Festival de Gramado. O público certamente reconhecerá elementos de vários filmes do gênero que contam histórias passadas em locais sombrios e com mistérios envolvendo pessoas comuns. O que não é demérito nenhum já que o cinema nacional tem feito ótimos filmes, explorando roteiros interessantes com o elenco respeitável de nossos artistas.

LIVRAI-NOS DO MAL

livrai nos do mal

(Deliver us from evil) EUA 2014. Dir: Scott Derrickson. Com Eric Bana, Olivia Munn, Joel McHale, Edgar Ramirez. Terror. Adaptação do livro “Beware the Night” de Ralph Sarchie, o filme é dirigido pelo mesmo que fez “O exorcismo de Emily Rose” e “A Entidade”. Policial (Bana) tem intuição especial para descobrir crimes horríveis, geralmente com elementos sobrenaturais. Com a ajuda de um padre (Ramirez), ambos serão levados ao limite da loucura no rastro de uma verdade escondida envolvendo possessão e demônios.

UM MILHÃO DE MANEIRAS DE PEGAR NA PISTOLA

a-million-ways-to-die-in-the-west-1

(A Million Ways To Die in the West) EUA 2014. Dir: Seth MacFarlane. Com Seth MacFarlane, Charlize Theron, Amanda Seyfried, Neil Patrick Harris, Liam Nesson. Comédia de Faroeste . Em cidade do velho oeste, criador de ovelhas foge de tiroteio e deixa sua namorada. Ao encontrar mulher misteriosa (Theron) se envolve com ela a medida que vai recuperar a coragem perdida, que será posta a prova quando descobrir que o ex-marido dela é um terrível fora da lei. Seth MacFarlane de “Ted” escreve, dirige e atua nessa paródia de westerns valorizada por um ótimo elenco. Amanda Seyfried  (de “Mamma Mia’ e ” Lovelace” )  faz a namorada interesseira de MacFarlane, Neil Patrick Harris (do seriado “How I met your mother”) faz o conquistador barato, Liam Neeson é o fora da lei que se torna o antagonista de  McFarlane. Todos uma colagem de estereótipos bem comuns ao gênero parodiado e defendidos por grandes nomes, incluindo dois vencedores do Oscar (Neeson & Theron). A bela atriz Charlize Theron teve que usar uma peruca no filme pois tinha raspado as belas madeixas para seu próximo filme (Mad Max: Road Fury). A ideia do filme surgiu para McFarlane (criador de”” Family Guy” e diretor de “Ted”) durante uma conversa com amigos sobre como teria sido de fato viver no velho oeste, tendo inclusive escrito uma novelização de seu próprio roteiro que publicou como livro, o primeiro de sua carreira. O filme dá aquela ideia de ser abertamente uma grande brincadeira entre amigos, com participações especiais (cameos) de outros astros como Jamie Foxx, Christopher Lloyd (o Dr. Emmet Brown do clássico “De Volta Para o Futuro”) e Patrick Stewart (O Professor Xavier dos X Men) que faz a voz da ovelha voadora !! Enfim, nada além de uma boa comédia, sem sutilezas que nunca foram a marca registrada de McFarlane. Já é a segunda vez que o filme tem sua data de estreia no Brasil adiada.

por adilson69

MAIS ESTREIAS EM 11 DE SETEMBRO

RIO, EU TE AMO

Rio eu te amo

Bra-FR 2013. Dir:Fernando Meirelles, Carlos Saldanha, Jose Padilha, Stephen Elliot, Andrucha Waddington, Im Sang-soon entre outros. Com Marcelo Serrado, Wagenr Moura, Fernanda Montenegro, Rodrigo Santoro, Claudia Abreu, Tonico Pereira Drama. – Filme episódico, ou seja dividido em várias mini-histórias tendo em comum o cenário carioca. Exemplar nosso do filme cartão postal, franquia que já trouxe antes “Paris, eu te amo” e “Nova York, eu te amo”. O problema de filmes assim costuma a ser a dificuldade de  manter uma regularidade: Algumas das histórias contadas se sobressaem mais naturalmente do que outras, e revelam atrativos para gostos diferentes. No caso desse exemplar que traz a nossa cidade maravilhosa como personagem oni-presente é que algumas destas soam meio que artificiais em relação a outras. Curioso que a Arquidiocese do Rio tenha tentado embargar o episódio de Padilha (o diretor de Tropa de Elite 1 e 2 e o novo Robocop) que traz Wagner Moura conversando com o Cristo Redentor, símbolo de nossa cidade. Assim como esse, o Pão de Açucar, Copacabana e o Teatro Municipal também aparecem a medida que se desenrolam histórias, entre elas uma autobiográfica assinada por Stephen Elliot, o diretor de “Priscilla, a Rainha do Deserto” que viveu uma história de amor com seu guia para a trilha do Pão de Açucar. Embora prevaleçam histórias que fazem relatos do cotidiano, sobra espaço para uma curiosa participação de Tonico Pereira como um vampiro do Vidigal.

WINTER – O GOLFINHO 2

winter 2

(Dolphin Tale 2) EUA 2014. Dir: Charles Martin Smith. Com Morgan Freeman, Ashley Judd, Harry Connick Jr. Drama. – Baseado em fatos reais já mostrados em parte no primeiro filme. Nessa sequência, o golfinho perdeu sua mãe adotiva e corre o perigo de ser enviado para outro aquário a não ser que seus amigos humanos possam encontrar um golfinho fêmea para ele. O filme retoma o mesmo diretor e elenco do filme de 2011. Uma curiosidade, o diretor e ator Charles Martin Smith é um dos intocáveis do filme clássico de Brian De Palma.

TRÊS DIAS PARA MATAR

3 dias para matar

(Three Days to Kill) EUA 2014. Dir: McG. Com Kevin Costner, Amber Head, Connie Nielsen, Hailee Steinfield. Ação. – Com pouco tempo de vida, um ex agente secreto aceita uma última missão que pode levá-lo a uma droga experimental que pode salvar sua vida. Enquanto corre contra o tempo ainda procura encontrar a filha com quem não mantem contato há muito tempo. Kevin Costner está de volta a um papel de protagonista, mostrando fôlego em um filme co-roteirizado por Luc Besson (Lucy).

TRÊS DIAS PARA MATAR

ESTREIAS DA SEMANA : 11 DE SETEMBRO DE 2014

O DOADOR DE MEMÓRIAS 

giver

(The Giver) EUA 2014. Dir: Philip Noyce. Com Brenton Thwaits, Jeff Bridges, Meryl Streap, Katie Holmes, Alexander Skarsgard, Taylor Swift. Ficção. Em um futuro aparentemente utópica, as guerras, as doenças, as mazelas morais foram erradicadas da raça humana, bem como os sentimentos e o calor das emoções. Para preservar a paz e o status quo desta sociedade, as memórias coletivas do mundo são armazenadas e mantidas em uma única pessoa que as carrega durante um certo tempo. Agora é a vez de um jovem de 12 anos provar seu valor para ser o novo guardião dessas lembranças que escondem certas verdades que mudarão sua vida. Premissa curiosa, adaptada do romance de Lois Lowry, que também traz Jeff Bridges (Coração Louco), como produtor e coadjuvante em um elenco que reúne famosos como Meryl Streap (no papel de vilã)  e Katie Holmes. Apesar de despertar comparações com filmes como “Jogos Vorazes” e “Divergente”, a história de Lois Lowry é bem menos pop, sem se deixar levar pelos clichês do filme de ação, mas em compensação seguindo um ritmo mais parado, monótono, talvez para tentar explorar as subleituras filosóficas e fugir do estigma de sub produto para adolescentes. Merece, apesar de irregular, uma conferida.

UM AMOR DE VIZINHA

amor de vizinha

(And so it goes) EUA 2014. Dir: Rob Reiner. Com Michael Douglas, Diane Keaton. Comédia dramática. Oren, é um rico corretor de imóveis egocêntrico e solitário (Douglas) que recebe a visita do filho com quem não fala há anos. Este vai logo embora e deixa a neta de Oren sob sua guarda, o que mudará a rotina daquele homem aparentemente tão insensível. Para ajudá-lo, Oren receorre a ajuda de Leah (Keaton), uma mulher de alto astral e grande força que será fundamental no processo de humanização de Oren. Embora convencional em sua história, o filme de Rainer (Harry & Sally, A história de nós dois) ganha o telespectador pela presença em cena de Michael Douglas & Diane Keaton, dois veteranos que dispensam apresentações e tem talento suficiente, para mesmo com um roteiro que é mais do mesmo nos filmes do gênero pode divertir e falar ao coração dos sensíveis. 

OS CAVALEIROS DO ZODÍACO : A LENDA DO SANTUÁRIO

lenda-do-santuário3

(Saint Seya : The Legend of Sanctuary) EUA 2014. Dir: Keichi Sato. Com vozes de  Nobuhito Okamoto, Kenji Nojima. Animação. Adaptação, em forma de longa metragem, da série de animação japonesa que fez muito sucesso no Brasil há uns 20 anos atrás. Seya é um jovem que veste a armadura de Pégasus e se junta a outros guerreiros para tomar em uma disputa galáctica. A história da animação é adaptação de um mangá , escrita e desenhada por Masami Kurumada entre 1986 e 1991. O uso da atual tecnologia digital atualiza o visual dos personagens e tenta criar um espetáculo atraente para uma nova geração, na mesma medida que atrai os antigos fans.

ESTREIAS DA SEMANA : 4 DE SETEMBRO

Hercules (Hercules) EUA 2014. Dir:Brett Ratner. Com Dwayne Johnson, John Hurt, Ingrid Bolso Bernal, Rufus Sewell, Ian McShane, Joseph Fiennes, Irina Shayk. Aventura.

herc rock

Enésima adaptação do mito de Hércules, o semi deus, filho de Zeus e a mortal Alcmena. O filme estrelado por Dwayne Johnson, vulgo “The Rock”, não envereda pelos aspectos mitológicos do personagem, embora cenas de flashback mostram seus notórios 12 trabalhos. O filme se baseia na obra em quadrinhos de Steve Moore “Hercules – The Tracian Wars” que reimagina os caminhos de Hercules após suas missões de expiação impostas pelo rei Eristeu. Hercules é humanizado, representado como um forte e determinado guerreiro que por conta de seu passado turbulento se torna um mercenário. Seus serviços são contratados pelo rei da Trácia até que Hercules descobre que nem tudo é conforme lhe foi apresentado. O filme tem ação dosado com humor e sequências bem dirigidas por Brett Ratner (XMen – O Confronto Final, Roubo nas Alturas) e The Rock faz juz ao seu carisma em cena para os filmes do gênero. Não é nenhuma obra prima, nem espere que seja um primor de fidelidade aos elementos mitológicos sempre diluídos nos filmes de Hercules (Leia o texto postado ontem aqui), mas sim que seja um agradável filme pipoca. Diversão despretensiosa bem vinda para os que apreciarem o gênero.

SE EU FICAR (If I Stay) EUA 2014. Dir: R.J.Cutler. Com CHloe Grace Moretz, Jamie Blackley, Liana Liberato,  Stacey Keach. Drama.

se eu ficar

Adaptação do livro de Gayle Forman com elementos da doutrina espírita. A jovem Mia é uma música que sofre um acidente de carro que a mata junto com seus pais. Seu espírito, contudo, se recusa a ir para o além vida. Enquanto seu corpo permanece em coma, Mia reflete sobre o que viveu, o amor pelo também jovem músico Adam e sobre os fatos acerca de seu acidente. Chloe Garce Moretz (Carrie, Kick Ass) tem demonstrado talento para construir uma carreira sólida e tem nesse papel (que quase ficou com Dakota Fanning e Emily Browning) oportunidade para mostrar o que sabe fazer em cena, além dos palcos já que também atua no teatro. 

ANJOS DA LEI 2  (22 Jump Street) Dir: 2014. Dir: Chris Miller & Phil Lord) Com Jonah Hill, Channing Tatum, Ice Cube, Dave Franco. Comédia de ação.

anjos da lei 2

Adaptação do clássico seriado de Tv dos anos 80 que lançou a carreira de JOhnny Depp, “Anjos da Lei” foi adaptado em 2012 com sucesso, sabendo misturar ação e humor, sem se levar demais a sério em sua premissa de mostrar dois policiais recém formados infiltrados em uma escola. A sequência os transfere para a faculdade e ainda conta com a excelente química entre Hill & Tatum, também produtores do longa. A dupla de diretores, também do filme anterior, muda o cenário e agita a vida sentimental dos personagens, que por vezes invertem situações do primeiro filme para “acrescentar” algum ar de novidade, que até pode funcionar se você gosta da dupla.

30 ANOS DE “GATINHAS & GATÕES”

      "Sixteen Candles" Molly Ringwald, Michael Schoeffling © 1984 Universal

      Alguém lembra como era ser adolescente nos anos 80 ? Não havia internet, celulares, smart TVs ou computadores. Horrível e impensável para quem hoje está com 15 ou 16 anos. Mas, ainda que fosse assim, a juventude da década de Rocky e Rambo foi divertida e curtida adoidado por quem viveu a época. Não tínhamos redes sociais com milhares de “amigos”, mas nos entrosávamos em brincadeiras de rua, paquerávamos em festas embaladas ao som de RPM, Cindy Lauper, Sting, Madonna e Michael Jackson. Não éramos fissurados em nos autofotografar em selfies, mas trazemos na memória momentos que registrávamos em Polaroid. Nessa época em que jogar Atari ou Genius era o máximo, o diretor, roteirista e produtor John Hughes registrou em película os anseios, os medos e as alegrias de toda uma geração em vários filmes como “O Clube dos Cinco” (The Breakfast Club) de 1985, “Mulher Nota 1000” (Weird Science) de 1985 e “Gatinhas & Gatões” (Sixteen Candles) lançado no circuito brasileiro em Julho de 1984, ou seja, há 30 anos.

gatinhas e gatoes amhall

         A história do filme girava em torno de Samantha Baker (Molly Ringwald)  às vésperas de completar dezesseis anos. Samantha é apaixonada pelo mauricinho da escola, o jovem Jake Ryan (Michael Schoeffling) que namora a patricinha metida a besta Carolyn (Haviland Morris). Como se não bastasse o fato de que se sente de lado pois a irmã mais velha está para se casar e está atraindo toda a atenção para si, o garoto mais esquisito da escola, o nerd Ted (Anthony Michael Hall), está lhe assediando.

         John Hughes demonstra sensibilidade e equilíbrio para tratar de humor e drama ao lidar com assuntos como virgindade, popularidade, abandono e sexualidade juvenil. Curioso, assistir ao filme e comparar com a atual juventude “fone no ouvido e celular na mão” e ver o quanto tanta coisa mudou, não apenas entre os jovens, mas em sua forma de interagir com o mundo ao seu redor. Conflitos entre gerações sempre existiram e Hughes sabia como tratar o assunto sem ofender a inteligência de ninguém. O filme seguinte do diretor, “O Clube dos Cinco”, aprofundaria ainda mais essas interações. Molly Ringwald foi a atriz símbolo dessa geração e ficou com o papel de Samantha Baker que quase ficou com Ally Sheedy. Curiosamente, Sheedy e Ringwald contracenariam em “O Clube dos Cinco” já no ano seguinte. Também estaria junto com elas em “O Clube dos Cinco”, Anthony Michael Hall, o incansável nerd que corteja Samantha e de quem sai a fala que foi incluída pelo AFI (American Film Institute) entre as 100 frases mais memoráveis do cinema: “Pode me emprestar sua calçinha, por favor ?”, diz um desesperado Ted a Samantha que com isso vai impressionar os colegas de escola a alcançar uma sonhada popularidade. Curiosamente, nos bastidores de “Gatinhas & Gatões”, Molly e Anthony não se deram muito bem, mas depois de levados pelo diretor Hughes para visitar uma loja de discos (o precursor do CD) começaram a se confraternizar ao descobrir as afinidades que não sabiam ter. O filme ainda tem John Cusack (2012, O Juri) em papel menor.

        Lamentável que a juventude atual não tenha no cinema um porta voz como John Hughes que daqui a algum tempo nos faça olhar e refletir, talvez sentir saudades, mas de qualquer forma, nos faça lembrar que só se tem dezesseis anos uma vez na vida.

por adilson69

HERCULES NAS TELAS DO CINEMA

     hercules reeeves

    Muito antes que os super-heróis dos quadrinhos dominassem a produção cinematográfica, personagens de grande força e poder já chamavam a atenção do público. Antigas mitologias foram fontes inesgotáveis de heróis como Jasão, Maciste, Perseu e … o maior deles, o lendário Hércules ! A vida do semideus grego Héracles (rebatizado pelo romanos como Hércules) começa quando Zeus (o senhor do Olimpo) desce à Terra e seduz a mortal Alcmena, esposa de Anfitrião. Dessa noite de amor nasce Hercules, de força sobre-humana somente superada pelo seu temperamento arredio, violento e pomposo, muito diferente do personagem retratado pelo cinema. O Leão do Olimpo, alcunha recebida depois de matar o Leão de Neméia, um de seus famosos doze trabalhos, sempre foi um mito reconstruído como forma de agradar os amantes dos épicos que se proliferaram na década de 50. Na época os produtores procuravam meios para competir com a televisão e investiram nos grandes espetáculos recriando impérios como a antiga Roma, abusando de imagens panorâmicas, grandes batalhas e feitos extraordinários. Enquanto Hollywood realizou “Ben Hur” , “Os Dez Mandamentos” e “Quo Vadis”, mas coube a Itália trazer Hercules para as telas em “As Façanhas de Hércules” ( Le Fatiche di Ercole) de Pietro Francisci estrelado por Steve Reeves (1926-2000)  que inaugurou o sub-gênero ‘Sandálias & Espada’ : Filmes realizados com orçamentos bem menores e atuações consideradas risíveis pela crítica. O público, no entanto, gostava, e não demorou para que o mercado americano importasse esses filmes. O próprio Steve Reeves, ex-campeão de fisioculturismo, vinha de tentativas mal-sucedidas de tentar o estrelato em Hollywood, tendo sido testado para o papel de Sansão no filme de Cecil B. de Mille “Sansão & Dalila”, mas o papel acabou com Victor Mature. O ator havia ganhado o título de Mr.Universo, mas assim como outros, ganhou poucas chances de mostrar algum talento fora papéis que exigissem truculência e brutalidade. Reeves voltou ao papel de Hercules dois anos depois em “Hercules & A Rainha da Lídia” (Ercole e la Regina de Lídia) de 1959. Ambos os filmes se apropiaram de alguns elementos mitológicos, mas reapresentados de forma mais palatável para o público em geral. Assim, os filmes de Reeves usaram respectivamente pálidos trechos do poema “Os Argonautas” de Apollonius Rhodios e “Edipo” de Sófocles para costurar uma aventura que exaltasse a força física e a honra de um guerreiro nobre. A fórmula funcionou e outros filmes vieram no rastro. Após Reeves foi a vez do ex-Tarzan Gordon Scott (1926-2007) viajar a Europa e viver o semi deus em “ Hercules & o conquistador” (Ercole contro Morlock) de 1960 de Giorgio Ferroni. A resposta do público foi tão positiva que foi encomendada uma co-produção entre americanos e europeus para transformar os feitos de Hercules em série de TV, estrelada por Gordon Scott, mas o projeto ficou só no piloto entitulado “Hercules & A Rainha de Tróia” (Hercules & The Princess of Troy”) dirigido por Albert Band em 1965. Em 1960, outro Hércules foi o também fisioculturista Mickey Hargitay em “Os Amores de Hércules” (Gli Amote di Ercole) dirigido por Carlo Bragaglia. Hargitay contracena com sua esposa, a famosa atriz Jayne Mensfield.

herc_princess_troy

 

Dan Vadis foi o quarto Hercules em “O Triunfo de Hercules” (Il Triunfo di Ercole) de 1964, dirigido por Alberto di Martino. Vadis apareceu em vários filmes de Gladiadores na Itália e, quando o ciclo se extinguiu, voltou aos Estados Unidos onde trabalhou em papeis menores em diversos filmes. No mesmo ano, os produtores Italianos trouxeram o ator americano Mark Forest para interpretar o herói mitológico em “Hercules contra os Filhos do Sol” (Ercole contro el figli del sole) que voa alto na imaginação ao colocar o filho de Zeus em plena America do Sul em meio à civilização Inca. Entre os coadjuvantes, Giulianno Gemma (ídolo dos Western Spagheti)  no papel do príncipe dos Incas. O público não ter se incomodava com as liberdades tomadas e, logo Forest voltou em “Hercules & O Leão e Thebas” (Ercole et Leone di Theba) que coloca Hercules como guardião da belíssima Helena de Tróia, vivida por Yvonne Furneaux (que trabalhou em “A Doce Vida” de Fellini). Outra variação do mitológico guerreiro foi Alan Steele em dois filmes :  “Hercules Contra Roma” (Ercole contro Roma), de 1964 e “Hercules contra os Homens da Lua” (Ercole e la Regina di Samar) onde o herói enfrenta alienígenas !! que ressuscitam a múmia de uma Rainha para destruir os italianos. Outros interpretem incluem Brad Harris em 1962 em “A Fúria de Hercules” (La Fúria di Ercole) dirigido por Gianfranco Parolini, Kirk Morris (que era italiano) em 1963 em “Hercules, Sansão & Ulysses” (Ercole sfida Sansone) que o reúne com outros heróis lendários e Reg Park em dois filmes :  “Hercules na Conquista da Atlântida” (Ercole Allá conquista di Atlantide) e “Hercules no centro da Terra” (Ercole al centro della Terra) ambos de 1961. No primeiro o Leão do Olimpo chega à lendária cidade para enfrentar sua maléfica Rainha que planeja dominar o mundo e o segundo, dirigido pelo respeitado cineasta italiano Mario Bava, mostra o herói em busca de sua esposa em um reino subterrâneo dominado por um Imperador louco interpretado por Christopher Lee. Com o final dos anos 60 se encerrou o ciclo “Sandálias & Espadas” que gerou muitos fãs, mas que brincaram com a figura do filho de Zeus que a cada produção se distanciava cada vez mais da figura histórica que, na antiguidade, batizou o estreito de Gilbratar, conhecido então como os Pilares de Hércules.

lou fer

          Em 1969, houve uma produção B mais cômica estrelada pelo futuro Terminator Arnold Scwarzenegger (que então usava o nome Arnold Strong) chamada “Hercules em Nova York” (Hercule in New York) que nada acrescenta ao personagem. Hércules também foi coadjuvante em dois filmes americanos: a aventura épica “Jasão & O Velo de Ouro” (Jason & The Argonauts) de 1963 vivido por Nigel Green e que conta com os impressionantes efeitos de stop-motion do mestre Ray Harryhausen e a paródia “Os Três Patetas Encontram Hercules” (The Three Stooges Meet Hercule) de 1962 onde o papel ficou com Samson Burke. Com o objetivo de resgatar o glamour daquelas aventuras, o diretor italiano Luigo Cozzi contratou Lou Ferrigno (o Hulk do clássico seriado de TV) que foi Mr. Universo e, curiosamente perdeu o título de Mr.Olympia para Schwarzenegger, para reviver o herói Olimpiano em 1987 no filme “Hercules 87” (Hercules) em que este contracena com o ex-interpréte do herói Brad Harris, este no papel de um gladiador. O filme deu um relativo sucesso, o suficiente para gerar uma sequência “As Aventuras de Hercules” (Le Avventure Dell incredible Ercole) do mesmo diretor que agora coloca o personagem na busca de sete raios de Zeus roubados do Olimpo.

            Hércules foi usado em três animações: A primeira foi em 1963 produzida pelo Oriolo Studios associada a Trans-Lux e ACT (Adventure Cartoons for Television) entitulada “O Poderoso Hércules” (The Mighty Hercules). Nele, o herói combatia as forças do mal com a super-força adquirida por um anel e contando com o auxílio do centauro Newton. A animação fazia uma leitura bem infantilizada do herói mitológico e agradou as crianças da época alcançando a marca de 130 episódios de 5 minutos de duração cada, tendo sido exibido no Brasil através do SBT. Em 1977, o herói olimpiano foi jogado em uma aventura espacial no desenho para TV “Sentinelas do Espaço” (Space Sentinels). Durante um longo tempo o personagem perdeu espaço tanto na TV como no cinema. A Disney o adaptou para um longa animado produzido em 1997. “Hercules” do estúdio de Mickey & Donald alcançou grande sucesso, sendo indicado a prêmios e gerando até uma série animada. Na versão da Disney, Hércules é filho de Zeus e Hera, sendo adotado por Alcmena e Anfitrião.

kevin sorbo

           Em 1994, o produtor e diretor Sam Raimi (da primeira trilogia do “Homem Aranha” com Tobey McGuire) juntou-se ao produtor Robert Tapert para realizar  telefilmes que formassem um pacote voltado para canais regionais. Assim, ambos resgataram o personagem mitológico em 5 filmes que traziam Kevin Sorbo como Hercules e o veterano Anthony Quinn como Zeus. A grande audiência desses filmes levaram a Universal a encomendar a série de Tv “Hercules – the Legendary Journeys”. Entre 1995 e 1999, Kevin Sorbo conquistou o público como um semi deus altruísta, dedicado a reparar o mal causado pelos deuses. Em vez de um herói consumido pela tragédia, o Hercules de Kevin Sorbo é um homem honrado e justo que perdeu sua família, mas não pelas próprias mãos, e que cruza o mundo da antiguidade com o amigo Iolaus sempre enfrentando terríveis desafios. O tom é de aventura e humor, principalmente pela pegada pop que Raimi deu às história ao fazer referências a elementos da atualidade.  O sucesso da série ainda gerou a spin-off “Xena – a Princesa Guerreira” estrelada por Lucy Lawless, que fez ainda mais sucesso que a série de Sorbo. Ainda houve o seriado “O Jovem Hercules” (Young Hercules), estrelado por Ryan Gosling,  também produzido por Raimi & Tapert mostrando a juventude do herói que é mostrado frequentando a Academia de Quiron, que na mitologia era o centauro que ensinou a Hercules a arte da guerra. A ideia de mostrar um Hércules mais jovial foi usada no filme de Renny Harlin “Hércules” (The Legend of Hercules) com o personagem encarnado pelo inexpressivo Kellan Lutz, que fez parte do elenco da saga “Crepúsculo”. O filme reinventa a juventude de Hercules, distanciando-o por completo de suas raízes mitológicas e aproximando-o mais da premissa de um Gladiador genérico. Agora, o personagem volta às telas vivido por Dwayne Johnson, vulgo “The Rock” no filme “Hercules”, dirigido por Brett Ratner (X Men: O Confronto Final) que também ignora os elementos míticos em favor de uma outra reinvenção, adaptada da HQ de 2008 “Hercules: The Thracian Wars” , de Steve Moore. A história, situada cronologicamente após os doze trabalhos, retrata o herói como um homem desiludido, desprovido de qualquer fator divino, liderando um grupo de mercenários que se rebela contra um rei cruel que ameaça o mundo antigo.

herc desenho

           Que ninguém duvide que esta não será a última vez que veremos o herói mitológico nas telas, ainda que desprovido de seus elementos originais que não só tratam de divindade, mas sobretudo, provação e redenção de uma figura trágica, atormentada cuja maior virtude é a de simplesmente sofrer como um humano.