GALERIA DAS ESTRELAS : PAUL NEWMAN

Ele sempre foi um dos atores que mais admirei e o primeiro filme dele a que assisti, lembro, foi justamente um dos seus papéis mais icônicos: ‘ BUTCH CASSIDY & SUNDANCE KID ” , de 1969, quando Paul Newman já tinha 44 anos e já contava com uma carreira sólida. Seus cabelos loiros e os olhos azuis lhe garantiram a admiração das mulheres de seu tempo. Seu ar de gozador era um reflexo do grande brincalhão que era fora das câmeras. No início de sua carreira, foi comparado a Marlon Brando, ao que declarou depois :

UM DIA VOCÊS VÃO TER DE RECONHECER QUE É O BRANDO QUE SE PARECE COMIGO

Paul_Newman

Paul Newman nasceu em 26 de Janeiro de 1925 em Cleaveland, Ohio, segundo filho do casal Theresa e Arthur Newman. A boa aparência e o porte atlético lhe abriram as portas  na escola, primeiro no time de Rugby, e depois, no teatro. Foi durante a montagem de uma peça que conheceu Jaqueline Witte, sua primeira esposa e mãe de seu primeiro filho Scott. Quando seu pai morreu, não quis assumir os negócios de família, a loja de seu pai em Cleaveland, e resolveu investir na carreira de ator. No início dos anso 50, recém chegado a Nova York, conseguiu trabalho na TV e se matriculou no Actor’s Studio. Dividindo seu tempo entre  a Tv e o teatro, Paul Newman chamou a atenção na montagem da peça “Pic Nic”, que estreou em Fevereiro de 1953 e se tornou um grande sucesso de público e crítica, conseguindo da Warner Bros um contrato de 1,000 dólares por semana para estrear no cinema “O CÁLICE SAGRADO ” (The Silver Chalice), filme bíblico feito como plágio de “O Manto sagrado” e que foi um grande fracasso na época. O próprio Paul Newman sempre o apontava como uma péssima atuação, mas que não impediu a Warner de lhe oferecer um novo contrato. Em 1956, o diretor Robert Wise convence a MGM a dar a Paul Newman o papel do lutador Rocky Graziano em “ MARCADO PELA SARJETA ” (Somebody Up There Likes Me), uma história real e comovente que o levou a passar semanas treinando com boxeadores profissionais, incluindo o próprio Graziano. Foi esse o papel que fez todos notarem o talento de Paul Newman e que lhe trouxe melhores oportunidades como o lendário pistoleiro Billy The Kid em “UM DE NÓS MORRERÁ ” ( The Left Handed Gun) e o sedutor Ben Quick em ” O MERCADOR DE ALMAS ” (The Long Hot Summer) onde conhceu e se apaixonou pela atriz Joanne Woodward, então com 28 anos, com quem se casaria e com quem teria três filhos. No mesmo ano  conseguiu sua primeira indicação ao Oscar pelo papel do amargurado Brick em “GATA EM TETO DE ZINCO  QUENTE  ” ( Cat on a Hot Tin Roof) contracenando com a belíssima Elizabeth Taylor. Paul já estava se empenhando em provar que seu valor como ator não residia em sua aparência física. Certa vez publicou em um jornal um anuncio fúnebre falso que dizia :

“AQUI JAZ PAUL NEWMAN, MORTO AINDA JOVEM PORQUE SEUS OLHOS, DE REPENTE, FICARAM CASTANHOS”

PaulNewman4

NEWMAN & LIZ TAYLOR

A década de 60 começou para Paul Newman buscando novos desafios. Reiscindiu seu contrato com a Warner e decidiu tomar o rumo da própria carreira independente dos grandes estudios, cujo dominio sobre os atores já começava a declinar. Não temeu experimentar papéis diversos: O jogador de bilhar amoral em “DESAFIO À CORRUPÇÃO” (The Hustler) em 1961, o escritor beberrão e mulherengo que se envolve com a guerra fria em ” OS CRIMINOSOS NÃO MERECEM PRÊMIO ” (The Prize) em 1963, o detetive pilantra Lew Harper em ” O CAÇADOR DE AVENTURAS ” (Harper) em 1966, o presidiário rebelde e icorruptível em ” REBELDIA INDOMÁVEL ” (Cool Hand Luke) EM 1968 entre outros. Trabalhou com grandes diretores como Alfred HItchcok em ‘ CORTINA RASGADA” (Torn Curtain) em 1966, com quem conta-se não se deu muito bem, foi dirigido por John Houston duas vezes em ” ROY BEAN O HOMEM DA LEI ” (The Life and Times of Judge Roy Bean) em 1972 e “O EMISSÁRIO DE MACKINTOSH ” (The Mackintosh Man) EM 1973, este último vivendo um tipo de James Bond mais sério. Dois de seus grandes triunfos foram vividos ao lado de Robert Redford: Na segunda metade da década de 60, o prestígio de Paul Newman lhe deu mais um campo de atuação, o de co-produtor. O projeto, em conjunto com a 20th Century Fox,  era inspirado nos arquivos da famosa agência  de detetives Pinkerton sobre dois dos últimos foragidos do velho oeste. A história traria Paul Newman como Sundance Kid, mas este preferiu o papel de Butch. Rumores indicavam que Steve McQueen, que rivalizava na mídia com Paul, co-estrelaria o filme, outras indicavam Marlon Brando, o que atrasava o cronograma das filmagens. Paul indicou o então desconhecido Robert Redford e fincou o pé que a chance seria dele contra a vontade da Fox. O filme foi um sucesso internacional e gravou na eternidade a sequência em que anda de bicicleta com Katherine Ross ao som de “Raindrops keep falling on my head”. Esta é uma das minha sequências favoritas! Com Redford, Newman descobriu uma alma gêmea para sua visão política, uma amizade que ainda rendeu mais um grande filme: “GOLPE DE MESTRE” (The Sting), também dirigido por George Roy Hill de “Butch Cassidy”, uma parceria de iguais que marcou a carreira de ambos. Ainda  no final da década de 60 fez “500 MILHAS” (winning) onde Newman fez um piloto de corridas e descobriu assim uma grande paixão que perseverou por toda sua vida. Newman chegou a ser dono de uma equipe e competiu na famosa 24 Horas de Le Mans, chegando ao segundo lugar.

A década de 70 trouxe altos e baixos em sua vida: Seu filho mais velho Scott morreu de overdose de drogas. O ator ainda inaugurou o “Hole in The Wall Gang”, usando o nome da quadrilha de Butch Cassidy, para ajudar crianças doentes. Criou uma fábrica de molhos, a “Newman’s Own” cuja renda foi toda vertida para obras de caridade. Foi democraata ativo, participando de campanhas eleitorais, além de ter sido ferrenho crítico do governo de Richard Nixon que o considerava um de seus maiores inimigos em uma lista negra que incluia nomes como o próprio Robert Redford, Jane Fonda, Burt Lancaster etc..  Apesar de todo o prestígio, nunca se achava grande ator. Dizia que Brando, Olivier, Guiness e sua própria esposa aeram melhores intérpretes que ele.  Assumiu o papel de produtor e diretor do drama “RACHEL, RACHEL” em 1968 estrelado por sua mulher. Foi indicado 9 vezes como melhor ator, ganhando em 1986 por “A COR DO DINHEIRO” (The Color Of Money) , de Martin Scorcese, no qual voltou a interpretar o jogador de bilhar Eddie Felson que vivera em “DESAFIO À CORRUPÇÃO” (The Hustler).

GANHAR UM OSCAR É COMO CORTEJAR UMA MULHER BONITA POR ANOS. UM DIA FINAMENTE ELA SE RENDE, MAS AÍ VOCÊ É QUEM DIZ ‘DESCULPE, MAS AGORA CANSEI'”

The-Color-Of-Money-gal-4311.jpg

PAUL NEWMAN & TOM CRUISE EM “A COR DO DINHEIRO”

Também escreveu, dirigiu e atuou em ” MEU PAI MEU AMIGO ” (Harrry & Son) onde expurgou os sentimentos de culpa pela morte de seu filho mais velho. Outro papel de destaque foi o heróico arquiteto que ajuda os sobreviventes de um incêndio em um arranha-céu em ‘ INFERNO NA TORRE” (The Towering Inferno) em 1974. Nele, Newman e Steve McQueen finalmente atuaram em um mesmo filme, sendo que McQueen exigira que seu nome viesse na tela acima do de Newman. Livre dos escessos de estrelismo típico, Paul Newman seguiu em frente em projetos diferenciados, sempre explorando papéis diversos, provando sua versatilidade e talento para compor personagens como o advogado alcoolatra em ” O VERDEDITO ” (The Verdict) em 1983, um policial honesto combatendo as drogas em ‘ 41ª DP – iNFERNO NO BRONX ” (Fort Apache The Bronx) em 1982, um detetive aposentado em “FUGiNDO DO PASSADO ” (Twilight) em 1998, um gangster em “ESTRADA PARA A PERDIÇÃO” (Road To Perdition) em 2002 e, entre outros, seu último papel, o de voz do personagem Doc Brown na animação da Pixar “CARROS‘ (Cars) em 2006. Depois de sua morte, por câncer, em 2008, ficou o legado de um ator que sempre foi fiel às suas convicções políticas e artísticas, superou os limites da velocidade, mas sem nunca esquecer de sua humanidade e do empenho em usar sua fama para ajudar as pessoas.

GOSTARIA DE DEIXAR A LEMBRANÇA DE ALGUÉM QUE TENTOU ACOMPANHAR SUA ÉPOCA, AJUDAR AS PESSOAS A SE COMUNICAREM ENTRE SI, … SEM CANTAR VITÓRIAS, MAS SEM NUNCA SE DEIXAR ABATER PELAS DERROTAS.

Sunadanc-Butch-460_999944c

NEWMAN “BUTCH CASSIDY ” & REDFORD “SUNDANCE KID” – PARCERIA DE IGUAIS.