FELIZ 2017 A TODOS

vector-happy-new-year-2017-with-fire-cracker

DESEJO A TODOS  UM ANO NOVO DE MUITAS FELICIDADES. AGRADEÇO A TODOS PELO ANO QUE SE ENCERRA E FICA AQUI OS MELHORES VOTOS PARA QUE O ANO DE 2017 NOS TRAGA REALIZAÇÕES, PAZ, SAÚDE E MUITAS ALEGRIAS. OBRIGADO A TODOS E MUITA LUZ

Anúncios

IN MEMORIAN: DEBBIE REYNOLDS

161228-debbie_reynolds-mbe-448p_1bd28274390ccdc9eff0675974082907-nbcnews-ux-2880-1000

O ANO DE 2016 ESTÁ SE ENCERRANDO DE FORMA CADA VEZ MAIS LAMENTÁVEL. DEPOIS DE PERDERMOS CARRIE FISHER, AGORA RECEBEMOS A NOTÍCIA DA MORTE DE SUA MÃE, A ATRIZ DEBBIE REYNOLDS. FAMOSA PELO PRINCIPAL PAREL FEMININO DO CLÁSSICO “CANTANDO NA CHUVA” (SINGIN’ IN THE RAIN) , O DA ASPIRANTE A ATRIZ E CANTORA KATHY SELDEN, QUANDO ENTÃO TINHA 2O ANOS. MARY FRANCES REYNOLDS (SEU VERDADEIRO NOME) NASCEU EM 1º DE ABRIL DE 1932 NO TEXAS E FEZ PARTE DA ELITE DE HOLLYWOOD. DESCANSE EM PAZ.

PREVIEW 2017 NOS CINEMAS

moana

COMO É COMUM NOS MESES DE JANEIRO ANIMAÇÕES E FILMES FAMILIA TOMAM ESPAÇO DO CIRCUITO COMERCIAL. JANEIRO DE 2017 TRARÁ A ESTREIA DE “MOANA”, A NOVA PRINCESA DISNEY, QUE TRAZ O REFORÇO DE DWAYNE JOHNSON COMO O SEMI-DEUS MAUI EM SEU MAR DE AVENTURAS. A PRIMEIRA PRINCESA POLINESIA DA DISNEY É O PRIMEIRO GRANDE LANÇAMENTO DO ANO NOVO E VEM COM A RECEITA DE SUCESSO DA DISNEY, JÁ TENDO ESTREADO NOS ESTADOS UNIDOS COM BILHETERIA ASSOMBROSA. A ILLUMINATION STUDIOS QUE EM 2016 EMPLACOU “PETS – A VIDA SECRETA DOS BICHOS” E “SING – QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA” VOLTA EM 2017 COM SEU PRINCIPAL PERSONAGEM, O DIVERTIDO GRU E SEUS MINIONS EM “MEU MALVADO FAVORITO 3” (DESPICABLE 3) PREVISTO PARA AS FÉRIAS DE MEIO DE ANO. A DREAMWORKS REVISITA O DIA DOS MORTOS MEXICANO EM “COCO”.  A SONY ANIMATION TRAZ DE VOLTA  AS CRIATURINHAS AZUIS FAVORITAS DE CRIANÇAS E ADULTOS EM “SMURFS –A VILA PERDIDA”, DESTA VEZ SEM ATORES, TOTALMENTE EM ANIMAÇÃO DIGITAL, ENTÃO NÃO ESPEREM REENCONTRAR NEIL PATRICK HARRIS QUE TRABALHOU NOS DOIS PRIMEIROS FILMES DOS PERSONAGENS DO ARTISTA BELGA PEYO.  JÁ A FOX ANIMAÇÃO PROMETE DIVERTIR BAIXINHOS E ADULTOS EM “O PODEROSO CHEFINHO” (BOSS BABY). A DISNEY AINDA VOLTA COM “CARROS 3” (CARS 3) PROMETIDO PARA AS FÉRIAS DE JULHO. COMO A ANIMAÇÃO EXISTE FORA DO PADRÃO DISNEY, OS ARGENTINOS TRAZEM O PERSONAGEM “CONDORITO” E NÓS, BRASILEIROS, TEMOS A ADAPTAÇÃO DE “PEIXONAUTA”, BEM SUCEDIDA SÉRIE DO DISCOVERY KIDS.

fast8

PARA OS FANS DOS FILMES DE AÇÃO, O ANO COMEÇA COM VIN DIESEL DE VOLTA AO PAPEL DO AGENTE SECRETO AMANTE DE ESPORTES RADICAIS XANDER CAGE EM “XXX – REATIVADO” (XXX – REACTIVATED). MAS OS FANS DE DIESEL ESTÃO ANSIOSAMENTE AGUARDANDO REVER SEU DOMINIC TORETTO EM “VELOZES & FEROZES 8” (THE FAST & THE FURIOUS 8 – FATE OF THE FURIOUS), O PRIMEIRO SEM PAUL WALKER, E COM O REFORÇO DA BELDADE CHARLIZE THERON NO PAPEL DA VILÃ QUE VAI VIRAR A CABEÇA DE TORETTO, E COLOCÁ-LO CONTRA SEUS AMIGOS. O FILME AINDA TRAZ DWAYNE JOHNSON NOVAMENTE COMO O AGENTE LUKE HOBBS E JASON STATHAM DE VOLTA AGORA, APARENTEMENTE, DO LADO DOS MOÇINHOS. DWAYNE JOHNSON AINDA APARECE EM 2017 NA ADAPTAÇÃO DA SÉRIE “BAYWATCH” AO LADO DE ZAC EFRON E ALEXANDRA DANDDARIO, MOSTRANDO QUE HOLLYWOOD NÃO ESQUECEU O MOTE DAS SÉRIES DE TV DO PASSADO COMO FONTE DE MATERIAL PARA ADAPTAÇÃO. OUTRO PRODUTO DA TELINHA ADAPTADO É “CHIP’S” QUE REUNE O DESCONHECIDO DAX SHEPHARD & MICHAEL PEÑA NOS ICÔNICOS PAPEIS DOS POLICIAIS RODOVIARIOS JOHN BAKER E FRANK PONCHIRELLO. KEANNU REEVES SE REENCONTRA COM LAWRENCE FISHBURNE (MATRIX) EM “JOHN WICK – UM NOVO DIA PARA MATAR” (JOHN WICK – CHAPTER TWO). MICHAEL FASSBENDER – O MAGNETO DOS XMEN – ESTRELA E PRODUZ A ADAPTAÇÃO DOS GAMES “ASSASSIN’S CREED”, CO-ESTRELADO PELA MARAVILHOSA MARION COITLARD. A EXCELENTE ATRIZ FRANCESA TAMBÉM ESTRELA AO LADO DE BRAD PITT “ALIADOS” (ALLIED) DIRIGIDO POR ROBERT ZEMECKIS. DENZEL WASHINGTON VOLTA AO PAPEL DE ROBERT MCCALL EM “O PROTETOR 2” (THE EQUALIZER 2). JÁ TARON EGERT SE JUNTA A UM SUPER ELENCO QUE INCLUI CHANNING TATUM, JULIANNE MOORE E HALLE BERRY EM “KINGSMAN – THE GOLDEN CIRCLE”.

WONDER WOMAN

OS SUPER HEROIS CONTINUARÃO A DOMINAR AS TELAS E O ANO NOVO PROMETE OS AGUARDADOS FILMES DA “MULHER-MARAVILHA” (WONDER WOMAN) E “LIGA DA JUSTIÇA” (JUSTICE LEAGUE) QUE TEM A MISSÃO DE PROVAR QUE A WARNER CONSEGUE EMPLACAR SEU UNIVERSO CINEMATICO DE HEROIS DEPOIS DA AVALANCHE DE CRITICAS NEGATIVAS ACUMULADAS EM 2016 COM “BATMAN X SUPERMAN – A ORIGEM DA JUSTIÇA” E “ESQUADRÃO SUICIDA”. A MARVEL NÃO DORME NO PONTO E CONTRA ATACA COM “HOMEM ARANHA VOLTA AO LAR” (SPIDER MAN HOMECOMING) E “THOR RAGNAROK”, ESTE ÚLTIMO REUNINDO O DEUS DO TROVÃO E O INCRIVEL HULK. JÁ HUGH JACKMAN SE DESPEDE DO MUTANTE FAVORITO DE TODOS NO FILME “LOGAN”, TERCEIRO DO WOLVERINE. MUITO ESPERADO É “GUARDIÕES DA GALAXIA – VOLUME II” (GUARDIANS OF THE GALAXY – VOLUME II) REUNINDO O GRUPO DO SENHOR DAS GALAXIAS E AS CONFUSÕES PROVOCADAS PELO BEBÊ GRUT. NO TRAILLER, AÇÃO E HUMOR NÃO FALTARÃO NO FILME DE JAMES GUNN.

passage

MUITO AGUARDADO JÁ PARA O INICIO DO ANO É A FICÇÃO CIENTIFICA “PASSAGEIROS” (PASSENGERS) QUE REUNE OS AMADOS CHRIS PRATT E JENNIFER LAWRENCE EM UMA HISTÓRIA DE ADÃO E EVA FUTURISTA ESCRITA POR JON SPAITHS, O MESMO QUE FEZ O ROTEIRO DE “PROMETHEUS”. A PROPÓSITO DESTE, RIDLEY SCOTT PROMETE LIGAR OS PONTOS ENTRE O FILME DE 2012 E O PRIMEIRO ALIEN DE 1979, CONFORME JÁ DIVULGADO O TRAILLER DE “ALIEN O PACTO” (ALIEN COVENANT).  OUTRA GRANDE OBRA DO GÊNERO RETOMADA É “BLADE RUNNER 2049”, PRODUZIDO POR RIDLEY SCOTT E DIRIGIDO POR DENNIS VILLENEUVE QUE NO ANO QUE ACABA ATRAIU ELOGIOS COM SEU “A CHEGADA”. MILLA JOJOVICH SE DESPEDE TAMBÉM DE SUA ALICE NO CAPÍTULO FINAL DA FRANQUIA “RESIDENT EVIL 6”. A WARNER RETOMA UM DOS ÍCONES DOS FILMES DE MONSTRO EM “KONG – A ILHA DA CAVEIRA” (KONG – SKULL ISLAND) COM TOM HIDDLESTONE (LOKI) E SAMUEL l. JACKSON. CHARLIE HUNMAN PROTAGONIZA “REI ARTHUR – A LENDA DA ESPADA” (KNIGHTS OF THE ROUND TABLE) DIRIGIDO POR GUY RITCHIE QUE PROMETE EXPLORAR AS LENDAS ARTURIANAS EM UMA SÉRIE DE FILMES. OS FANS DE ANIME AGUARDÃO COM ANSIEDADE AS BELAS FORMAS DE SCARLETT JOHANSSON EM “VIGILANTES DO AMANHÔ (GHOST IN THE SHELL). DEPOIS DE UMA SEQUENCIA DE INSUCESSOS JOHNNY DEPP VOLTA A SE VESTIR COMO O CAPITÃO JACK SPARROW EM “PIRATAS DO CARIBE – A MALDIÇÃO DE SALAZAR” (PIRATES OF THE CARIBBEAN – DEAD MEN TELL NO TALES), REUNINDO-O AO ELENCO DOS PRIMEIROS FILMES KEIRA KNIGHTLY, GEOFFREY RUSH E ORLANDO BLOOM. MUITA AÇÃO É PROMETIDO PARA O INICIO DO UNIVERSO DE MONSTROS DA UNIVERSAL QUE SE INICIARÁ COM TOM CRUISE, RUSSELL CROWE E SOFIA BOUTELLA EM “A MUMIA” (THE MUMMY) PREVISTO PARA JUNHO. O FUTURO DA ESPECIE HUMANA É COLOCADO EM QUESTÃO EM “PLANETA DOS MACACOS –A GUERRA” (WAR OF PLANET OF THE APES) . LUC BESSON PLANEJA NOS LEVA A UMA MOVIMENTADA AVENTURA NA ADAPTAÇÃO DAS HQS “VALERIAN & A CIDADE DOS MIL PLANETAS”, POUCO CONHECIDA AQUI NO BRASIL. CLARO QUE UM DOS MAIS AGUARDADOS É “STAR WARS – EPISODIO Viii”, QUE CERTAMENTE FARÁ UMA EMOCIONANTE HOMENAGEM A CARRIE FISHER EM SEU CANTO DE CISNE DAS TELAS.

larissa-manoela-sera-filha-de-ingrid-guimaraes-em-filme

O CINEMA NACIONAL TEM MARCELO ADNET E DANTON MELLO EM “PENETRAS 2 – QUEM DÁ MAIS” PROMETENDO DIVERTIR. DOCE REENCONTRO É A VOLTA DE RENATO ARAGÃO E DEDÉ SANTANA (QUE NAS DÉCADAS DE 70 E 80 ERAM OS REIS DA BILHETERIA NACIONAL NOS FILMES DOS TRAPALHÕES) COM A ADAPTAÇÃO DO ESPETÁCULO “OS SALTIMBANCOS TRAPALHÕES”. PARA AS CRIANÇAS A ADAPTAÇÃO DA SÉRIE “DETETIVES DO PREDIO AZUL”. LARISSA MANOELA, QUE FOI UM FENÔMENO DE POPULARIDADE EM 2016, SE REUNE COM INGRID GUIMARAES EM “FALA SERIO MÃE”. JULIANA PAES, MARCELO FARIA E LEANDRO HASSUM REVISITAM A OBRA DE JORGE AMADO EM “DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS”.

lalalanddestaque

COMO É A ÉPOCA DE INDICADOS AO GLOBO DE OURO E O OSCAR TEMOS O ELOGIADO MUSICAL “LA LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES” (LA LA LAND) COM O CASAL RYAN GOSLING E EMMA STONE. NATALIE PORTMAN IMPRESSIONOU ESSE ANO NA CINEBIOGRAFIA DA EX PRIMEIRA DAMA JACKELINE KENNEDY. O FILME EM QUESTÃO, “JACKIE” ESTÁ PROGRAMADO PARA ESTREAR NO BRASIL AINDA NO PRIMEIRO TRIMESTRE. OUTRA CINEBIOGRAFIA MUITO COMENTADA EM 2016 E QUE CHEGA ATÉ NÓS EM 2017 É “ATÉ O ÚLTIMO HOMEM” (HACKSAW RIDGE) SOBRE UM SOLDADO QUE SE RECUSOU A USAR UMA ARMA E MATAR DURANTE A SEGUNDA GUERRA. O FILME É ESTRELADO POR ANDREW GARFIELD, EX-HOMEM ARANHA E DIRIGIDO PELO POLÊMICO MEL GIBSON QUE RETOMA A VELHA FORMA POR TRÁS DAS CÂMERAS. A SEGUNDA GUERRA TAMBÉM É O TEMA DE “DUNKIRK”, DE CHRISTOPHER NOLAN.  A HISTÓRIA DE DOIS PADRES JESUITAS É O TEMA DA VOLTA DO MESTRE MARTIN SCORCESE À DIREÇÃO EM “SILÊNCIO” (SILENCE). MICHAEL KEATON É O VILAO ABUTRE DO NOVO FILME DO HOMEM ARANHA, MAS MOSTRA SEU TALENTO NO PAPEL DO FUNDADOR DO MACDONALD’S EM “FOME DE PODER” (THE FOUNDER).

IT.jpg

PARA QUEM GOSTA DE TERROR, O ESPIRITO DE SAMARA VOLTA COM SEDE DE VINGANÇA EM “CHAMADOS” (RINGS). A CASA ASSOMBRADA MAIS FAMOSA DO CINEMA É REVISITADA EM “AMITYVILLE- THE AWAKENING”. OUTRO RETORNO É DA BONECA AMALDIÇOADA EM “ANNABELLE 2”, DIRIGIDO POR DAVID SANBERG QUE EM 2016 CHAMOU A ATENÇÃO PELO RESULTADO OBTIDO EM SUA ESTREIA EM “QUANDO AS LUZES SE APAGAM”. FALANDO EM TERROR, O MESTRE STEPHEN KING TEM RESERVADO DUAS ADAPTAÇÕES: O PRIMEIRO LIVRO DA SÉRIE “A TORRE NEGRA” (THE BLACK TOWER) COM IDRIS ELBA E MATHEW MACOUGHNEY E A VOLTA DO PALHAÇO PENNYWISE EM “IT”.

OUTROS LANÇAMENTOS PREVISTOS:

CINQUENTA TONS MAIS ESCUROS ¶ A GRANDE MURALHA ¶ A LEI DA NOITE ¶ TINHA QUE SER ELE ¶ POWER RANGERS ¶ A CABANA ¶O CÍRCULO ¶  DIARIO DE UM BANANA 4 ¶ TRANSFORMERS : O ÚLTIMO CAVALEIRO ¶ DEIXE A NEVE CAIR ¶VIDA ¶ SEXTA FEIRA 13 ¶A ESCOLHA PERFEITA 3 ¶

IN MEMORIAN : CARRIE FISHER

carrie-fisher

ESTA É UMA NOTICIA QUE EU GOSTARIA DE NUNCA TER QUER POSTAR AQUI, MAS COMO TODOS JÁ DEVEM ESTAR SABENDO, PERDEMOS A ATRIZ CARRIE FISHER. APESAR DE MINHA TRISTEZA, NOSSA TRISTEZA, FICA PARA A ETERNIDADE O TALENTO DE UMA ATRIZ QUE MESMO VINDO DE UMA FAMILIA DE ARTISTAS, SENDO FILHA DE DEBBIE REYNOLDS (ATRIZ DO CLÁSSICO “CANTANDO NA CHUVA”) E DO CANTOR EDDIE FISHER, TRILHOU SEU PRÓPRIO CAMINHO SEJA COMO SEU ICÔNICO PAPEL DE PRINCESA LEIA ORGANA OU COMO ESCRITORA. SEU LIVRO “POSTCARDS FROM THE EDGE” NO QUAL NARRA SEUS CONFLITOS COM A MÃE FAMOSA VIROU O FILME “LEMBRANÇAS DE HOLLYWOOD” (1990)ESTRELADO POR MERYL STREAP E SHIRLEY MACLAINE. RECENTEMENTE PUBLICOU ” MEMORIAS DE UMA PRINCESA: OS DIARIOS DE CARRIE FISHER”, SEU OITAVO LIVRO, NO QUAL REVELA TER TIDO UM CASO COM HARRISSON FORD DURANTE AS FILMAGENS DE STAR WARS. RESPIRANDO POR APARELHOS DESDE SEXTA FEIRA PASSADA QUANDO FOI SOCORRIDA, CARRIE TEVE UMA SEGUNDA PARADA CARDIACA QUE A LEVOU DESSE PLANO. PARA MIM É COMO SE EU TIVESSE PERDIDO AQUELA NAMORADINHA DE INFÂNCIA, QUANDO AOS 19 ANOS ESTRELOU O PRIMEIRO FILME, ENTÃO CHAMADO DE “GUERRA NAS ESRELAS”, E EU COM 8 ANOS QUERIA SER HAN SOLO, EMPUNHAR UM SABRE DE LUZ COMO LUKE E BEIJAR A BELA PRINCESA QUE SALVOU AQUELA GALÁXIA HÁ MUITO MUITO TEMPO ATRÁS. SAUDADES FICAM E ANO QUE VEM SEU ULTIMO FILME, O OITAVO EPISODIO DE STAR WARS. QUE SUA PASSAGEM SEJA DE LUZ BELA PRINCESA. VOCÊ NOS DEU A FORÇA E ESTA JAMAIS A ABANDONARÁ.

CLÁSSICO REVISITADO : OS 70 ANOS DE “A FELICIDADE NÃO SE COMPRA”

Não há quem nunca tenha passado por uma fase difícil na vida. Imagine então que em seu momento de maior desespero, um anjo desce à Terra para ajudá-lo. Assim é o clássico “A Felicidade Não Se Compra” (It’s a Wonderful Life) – um típico filme para uma noite de Natal – que completa agora setenta anos de seu lançamento original.

ocinemaantigoitsawonderfullife3

Falar de “A Felicidade Não se Compra” é falar de dois nomes emblemáticos da clássica Hollywood: O diretor Frank Capra e o ator James Stewart. Capra foi um dos mais importantes diretores de sua geração, sempre explorando o sonho americano, o homem comum em modernas fantasias urbanas. James Stewart um ícone do cinema que retomava então sua carreira após o fim da segunda guerra, na qual lutara. O filme, o favorito de Capra, foi gravado em 90 dias, o primeiro e único que o próprio diretor viria a financiar com seus próprios recursos. A história mostra a pacata cidade de Bedford Falls, onde o bondoso empresário George Bailey (Stewart), um homem de boa vontade que sempre ajudou a todos, se vê em sérios apuros financeiros, endividado e nas mãos do cruel banqueiro Henry F. Potter (Lionel Barrymoore). Acuado por seus credores e vendo sua esposa e filhos vulneráveis a tudo, George decide cometer suicídio, se jogando do alto da ponte. Nesse momento seu ato é contido por Clarence, um espírito desencarnado que para merecer suas asas de anjo precisa salvar George de sua decisão fatal. Clarence (Henry Travers) mostra então a George como seria a vida de todos na cidade se ele não tivesse existido, uma realidade de pesadelo onde o Sr.Potter oprime a vida de todos na cidade. George percebe o quanto sua vida é essencial para todos e desiste de seu desejo fatal, reconhecendo que sua vida é maior que os problemas que carrega. De volta ao mundo real, George recebe a ajuda de todos que ele no passado ajudara e consegue assim pagar suas dívidas, num gesto de bondade coletiva que contagia a todos ao redor.

felicidade.jpg

Tentem assistir ao filme sem chorar ao final, é um desafio. O filme consegue tocar individualmente cada um que já passou por tristezas na vida e revigora nossa força interna e capacidade de superação. Apesar de mensagem tão positiva o filme foi um fracasso de bilheteria em 1946, só sendo finalmente reconhecido quando foi redescoberto pelas reprises televisivas. Ainda assim foi indicado ao Oscar em várias categoria e chegou a ganhar o Golden Globe de melhor diretor. Para a atualidade, o filme de Capra ficou em 11º lugar na escolha do AFI dos 100 melhores filmes. A banda McFly chegou a adaptar as falas de George Bailey para sua esposa, interpretada por Donna Reed (esta em seu primeiro papel de protagonista nas telas), o que mostra que a força de determinados filmes não acaba com a passagem do tempo.

a-felicidade-nao-se-compra3

– O QUE VOCÊ QUER, MARY ? VOCÊ QUER A LUA ? BASTA DIZER E O A LAÇAREI PARA VOCÊ E A TRAREI PARA VOCÊ.

James Stewart tinha 38 anos na época das filmagens. O ator reprisou o papel em uma adaptação do filme feito para o rádio dois anos depois. O papel de George Bailey chegou a ser pensado para Cary Grant (antes de Frank Capra assumir o projeto) e Henry Fonda se interessou pelo papel que ficou com Stewart, conforme vontade de Frank Capra desde o começo. O filme é o único na história a ser baseado em um conto escrito em um cartão de natal por Philip Von Doren e consegue manter forte seu discurso anti-materialista e uma bela mensagem de quem “Nenhum homem é um fracasso”, conforme dito no filme que também era o favorito de seu protagonista. Uma lição que também tento incutir em minha vida, pois esta é tão maravilhosa quanto seu título original. Há 70 anos.

ESTREIAS DA SEMANA : 22 DE DEZEMBRO

MINHA MÃE É UMA PEÇA 2

minha-mae-e-uma-peca-2

Bra 2016. Dir: Cesar Rodrigues. Com Paulo Gustavo, Rodrigo Pandolfo, Herson Capri, Samantha Schmutz. Comedia. 

O primeiro filme de 2012 foi uma grata surpresa que projetou o nome do ator Paulo Gustavo, vindo de carreira bem sucedida no teatro. Paulo incorporou a própria história ao personificar a Dona Hermínia, uma mãe dedicada a seus filhos que aos troncos e barrancos passa por várias dificuldades na vida. Nesse segundo filme, também roteirizado por Gustavo,  Dona Hermínia virou apresentadora de Tv e se vê assediada pelo seu ex- marido enquanto se questiona sobre suas escolhas de vida e sua ligação com seus filhos. É a sexta vez que o diretor trabalha com o ator, que inclusive já o dirigiu em “Vai que Cola – O Filme”.

SING – QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA

sing.png

(Sing) EUA 2016. Dir:Garth Jennings. Com vozes de Scarlett Johansson, Reese Wintherspoon, Seth MacFarlane, Matthew McGoughney, Animação.

Um coala dono de um teatro às portas da falência cria um concurso de canto atraindo vários animais com sonhos de sucesso. A animação, dos mesmos realizadores de “Meu Malvado Favorito” e “Minions”, tem como grande atrativo os simpaticos animais interpretando canções de sucesso para várias gerações. Ao todo são cerca de 85 canções que inclui sucessos de Frank Sinatra, Eminem, Katy Perry e outros, uma escolha eclética passando por várias décadas e estilos. O estido Illumination tem conseguido se impor bem no competitivo mercado das animações cinematograficas, despois do recente “Pets” e embora esse novo exemplar não seja uma obra prima, consegue ser divertido para todos.

 

MAKE & REMAKE : A MOSCA – 30 ANOS

Uma das invenções do campo da ficção científica que nunca chegou próxima de acontecer foi o teleporte. Como divagar pelos limites da ciência sempre tem sido um mote rico para os autores do gênero, nos deparamos constantemente com histórias que procuram nos alertar para o preço a se pagar pela busca do conhecimento e pela ousadia de se tentar explorar novas fronteiras. Assim em 1958, e vinte seis anos depois, o cinema fez de uma mosca caseira um dos maiores monstros do gênero.

flyposter

No final da década de 60 a 20th Century Fox adquiriu os direitos do conto “The Fly” de George Langelaan publicado na Playboy norte americana em 1957. O escritor James Clavell (Shogun, Ao Mestre Com Carinho) ficou encarregado de adaptar o material para um orçamento de US$700.000. A direção coube a Kurt Newman, que também dirigira o clássico “Da Terra à Lua” (Rocketship X-M) em 1950 além de filmes de Tarzan (com Johnny Weissmiller e depois Lex Barker). Lamentavelmente, a adaptação do conto de Langelaan veio a se tornar o último trabalho de Newman, que faleceu pouco depois de terminá-lo. A história mostra o cientista Andre Delambre que entra em uma câmera de teletransporte sem saber que havia dentro uma mosca, e ao sair descobre que agora está com a cabeça e uma pata da mosca, enquanto esta está com seu braço e cabeça. Sob os efeitos da troca, o cientista vai aos poucos perdendo a sanidade, a medida que esgotam as possibilidades de encontrar a mosca reverter o processo. O ator David Hedison, que interpreta Andre, viveria anos depois o Capitão Crane do seriado de TV “Viagem ao Fundo do Mar”.

thefly-splsh

FINAL DO CLÁSSICO DE 1958

Sua passagem pelo filme é contida é quase anônima já que o ator não mostra seu rosto, sempre coberta com um manto para esconder o aspecto monstruoso da troca de cabeças. O excelente Vincent Price assume o centro da narrativa como François Delambre, o irmão do cientista que investiga os fatos insólitos que circundam a fantástica invenção de seu irmão. O filme de Newman é um dos melhores exemplares da ficção cientifica cinquentista, quando o gênero era sempre sinônimo de filmes B (baixo orçamento). Muito reprisado na TV durante as décadas de 70 e 80, o filme gravou na mente o desfecho com Price encontrando uma mosca presa a uma teia de aranha, prestes a devorá-la, uma mosca com a cabeça de um homem.

la-mosca.png

AS DUAS VERSÕES : 1986 & 1958

Em 1986, a Fox refilmou a história em um filme co-produzido pela Brooksfilms (do comediante Mel Brooks) e dirigido por David Cronemberg. O roteiro do próprio Cronemberg e Charles Edward Pogue atualizou a história agora protagonizada pelo anti-social Seth Brundle (Jeff Goldblum) que cria câmeras de teleporte de matéria sonhando em teletransportar pessoas, revolucionando a ciência. Quando Goldblum inicia um relacionamento com a repórter Verônica Quaife (Geena Davis), o brilhante cientista admite que não consegue teletransportar matéria orgânica. Depois de várias tentativas inclusive com um bife e depois com babuínos, o cientista segue decifrando o código genético de modo a conseguir reproduzi-lo. Enciumado com a relação pré-existente de Veronica com seu chefe Stathis Borans (John Getz), Seth passa pelo transmissor de matéria sem saber que junto leva uma mosca. Diferente do filme de 1958, que era mais fidelíssimo ao conto de George Langellan, o filme de Cronemberg faz uma transformação gradativa de Seth em mosca, desconstruindo sua humanidade em favor de um ser híbrido, mais monstro que homem. Na época, Cronemberg pensou na transformação como uma metáfora para a fragilidade do homem diante do envelhecimento e da morte, mas as plateias e a crítica especializada, na época, enxergaram uma representação da degradação física provocada pela AIDS. Seja qualquer uma destas analogias, estas só foram possíveis graças ao excelente trabalho de maquiagem de Chris Wallas, que demorava cinco horas para preparar Jeff Goldblum.

the_fly_pic_08_brundlestages-1024x497

A TRANSFORMAÇÃO EM BRUNDLE MOSCA

O trabalho de Walas foi reconhecido e premiado com um Oscar, e Walas conseguiu o feito de dirigir a sequência “A Mosca II” (The Fly II) de 1989. O filme também recebeu o Saturn Awards (renomada premiação para a ficção cientifica) como melhore filme, melhor diretorm ator, atriz e … a maquiagem de Walas. O filme chegou às telas americanas em Agosto de 1986, mas no Brasil só chegou em Abril do ano seguinte já que na época a janela de lançamentos era bem maior que hoje em dia. Lembro bem do impacto causado pelo filme e como as plateias, entre eu, reagimos a cada etapa da transformação de Seth Brundle, conforme um primo meu disse então “consagração do cinema nojo”, no melhor sentido, o de fazer a ficção parecer por um momento que seja a realidade

IN MEMORIAN : ZSA ZSA GABOR

zsa-zsa

A geração atual não a conhece, mas Zsa Zsa Gabor (1917 – 2016) – falecida nesse domingo últmo – foi uma das grandes estrelas do cinema e da Tv. Tendo estrelado a versão original de “Moulin Rouge” (1952) de John Houston, eu a conheci como a vilã Minerva, no último episódio da série “Batman” (1966-1969), aquela com Adam West e Burt Ward. Zsa Zsa Gabor também esteve em outras séries de Tv como “Mister Ed” e “Bonanza”. Em 1954 esteve a lado de Jerry Lewis e Dean Martin em “O Rei do Circo” (Three Ring Circus) e em 1958 esteve no clássico de Orson Welles “A Marca da Maldade” (Touch of Evil). A atriz húngara teve vida social agitada, ficando famosa por sua sensualidade e língua ferina com a qual teria dito certa vez “Nunca odiei um homem o suficiente para devolver-lhe suas jóias”. Sári Gábor, seu nome de nascimento, desapareceu em favor da persona que vestiu dentro e fora das telas, conferindo-lhe status de celebridade excêntrica. Casou-se nove vezes, tendo mantido casos com Frank Sinatra, Howard Hughes e Conrad Hilton, dono da famosa rede de hoteis Hilton. Publicou em 1992 sua auto-biografia “Uma Vida Não é Suficiente” com as memórias de suas aventuras com todos os excessos e peculariedades. Que descanse em paz e que sua passagem seja de luz.

CLÁSSICO REVISITADO: OS 30 ANOS DE “HIGHLANDER”

high_WLNGj4H.jpg

QUEM OUSA AMAR PARA SEMPRE ?

QUEM QUER VIVER PARA SEMPRE ?

(Who wants to live forever – Queen)

A imortalidade pode ser um devaneio humano ou um fardo terrível a se carregar através da passagem das eras. O autor Gregory Widen visitou um museu escocês e imaginou como seria se um guerreiro do passado estivesse vivo até hoje. Widen tinha 27 anos e ainda não tinha se graduado na Universidade da California quando escreveu a história que tornou-se sua tese, batizada de “Dark Knight”. Este foi vendido por US$500,000 para a Davis-Panzer Productions, que o adaptou para o cinema vindo a se tornar o filme hoje conhecido como “Highlander – O Guerreiro Imortal”, que esse ano completou 30 anos de seu lançamento original.

Em março de 1986 chegou aos cinemas americanos a história de Connor MacLeod, nascido no século XVI e ainda vivo na Nova York moderna. Membro de um antigo clã escocês, MacLeod é o principal suspeito de várias decapitações ocorridas na cidade. Tais mortes fazem parte dos embates entre a raça dos imortais, destinados a se degladiarem através da eternidade até cumprir a profecia que diz que só deve existir um. O filme foi marcante para a época com sua narrativa de videoclip, cortesia de seu diretor Russel Mulcahy que dirigira vários clips da banda Duran Duran. Mulcahy usou de cortes rápidos e trilha sonora pop marcada pelas canções da banda inglesa Queen. A principio esta faria apenas uma canção para o filme, mas depois de assistir uma cópia inacabada os membros da banda sentiram-se inspirados a compor mais. Assim o guitarrista Brian May fez “”Who wants to live forever ?”, o bateirista Roger Taylor compôs “A Kind of Magic” e Freddy Mercury escreveu “Princes of the Universe”.

highlander_01

O papel de Connor MacLeod quase ficou com Kurt Russell (mas este preferiu fazer “Os Aventureiros do Bairro Proibido”), Mel Gibson, Richard Gere, Patrick Swayze, Michael Douglas e Marc Singer, entre outros, antes da contratação do ator Christopher Lambert, que apesar de ter nascido em Long island, Nova York, foi educado na Europa para onde se mudou aos dois anos já que seu pai era um diplomata da ONU. Lambert havia feito o papel de Tarzan em “Greystoke” (1984) quando mal falava inglês. Em “Highlander”, o ator já dominava melhor o idioma mas ainda precisou de um fonoaudiólogo para poder disfarçar melhor seu sotaque. No filme, MacLeod é auxiliado por um imortal mais experiente, Edgar Villar Boas Ramirez, interpretado pelo ex 007 Sean Connery. Este filmou suas cenas em uma única semana pois sua agenda estava lotada na ocasião. A atriz Roxanne Hart ficou com o papel de Brenda, o interesse romântico do imortal e o vilão Kurge foi entregue a Clancy Brown, que um ano antes fizera Viktor Frankenstein em “A Prometida” (The Bride). Conta-se que durante as filmagens, Brown não desligava seu personagem e deixava todos no estúdio com medo. Na cena em que duela com o personagem de Sean Connery, Brown teria ferido Connery com a espada inadvertidamente.

highlander_01-jpg2

UM SONHO, UMA ALMA, UM PRÊMIO, UM OBJETIVO
UM OLHAR PRECIOSO DO QUE PODERIA SER
ISSO É UM TIPO DE MÁGICA.

(A kind of Magic – Queen)

Há várias diferenças entre o filme e o roteiro originalmente escrito por Widen: No original, MacLeod usa vários tipos de espada e no filme, o herói usa a Katana que pertencia a Ramirez. No texto escrito por Widen os imortais podem ter filhos e MacLeod teve 37 ao todo, mas no filme decidiu-se fazer dos imortais estéreis. A luz emitida pelo corpos dos mortos depois da decapitação também foi criada diretamente para o filme.

O que poucas pessoas sabem é que o filme não foi nenhum sucesso de bilheteria, tendo custado US$ 16 milhões mas só lucrando US$5,900,000 em território americano. Dois fatores ajudaram a popularizar o filme: Primeiro a bilheteria internacional, e depois o sucesso nas videolocadoras que tornavam-se uma fonte relevante para o sucesso de um filme diante do público. Apesar disso a sequência “Highlander II – The Quickening” (1992) foi desastrosa mudando o foco da narrativa e transformando os imortais em alienígenas exilados na terra, o que foi ignorado no terceiro filme “Highlander III – The Sorcerer” (1994). Ao longo da década de 90, o filme foi adaptado para os games, HQs e gerou duas séries de Tv, em uma das quais Christopher Lambert fez participação especial introduzindo outro imortal, seu primo Duncan MacLeod (Adrian Paul). Ambos ainda estrelariam juntos no cinema “Highlander – Endgame” (2000) que serve como epilogo para a série.

Recentemente tem sido divulgado um possível remake, que já teve o nome de Ryan Reynolds (Deadpool) atrelado ao projeto, mas este desistiu e nada de concreto foi anunciado além da certeza de que como um bom imortal, ele há de voltar.

highlander-victory

TRIVIA:

1) Durante as filmagens, Lambert e Connery se deram muito bem e na continuação de 1992 o personagem de Connery teve que ser ressucitado. Os dois atores costumavam se chamar pelo nome de seus personagens ,mesmo quando não estavam filmando.

2) Antes da banda Queen gravar a trilha sonora, Sting, David Bowie e a banda Marillion haviam sido cogitados.

3) Para as sequências de duelo, inspiradas no clássico “Os Duelistas” (1973) de Ridley Scott, as faíscas que saem das espadas foram produzidas ligando fios de baterias nas lâminas, que ao se chocarem tinham o positivo e o negativo se batendo.

4) Christopher Lambert teve aulas de esgrima com o campeão canadense Bobby Anderson.

5) Nick Nolte e Rutger Hauer foram pensados para o papel do vilão Kurgan.

6) A narração do filme foi gravada por Sean Connery no banheiro e enviada à produção já que foi acrescentada depois do fim de suas cenas.

 

 

 

 

 

ESTREIAS DA SEMANA: 15 DE DEZEMBRO DE 2016

ROGUE ONE – UMA HISTÓRIA STAR WARS

rogue-one

ROGUE ONE. EUA 2016. DIR: GARETH EDWARDS. COM FELICITY JONES, MADS MIKKELSEN, ALAN TUDYK, FORREST WHITAKER. FICÇÃO CIENTÍFICA.

QUANDO A DISNEY ADQUIRIU A FRANQUIA “STAR WARS” MOSTROU-SE NÃO SÓ CAPAZ DE DAR CONTINUIDADE À HISTÓRIA DE ONDE ELA PAROU EM “O RETORNO DE JEDI” COMO TAMBÉM DISPOSIÇÃO PARA APOSTAR EM DERIVADOS COMO ESSE “ROGUE ONE” E, EM BREVE, UM FILME MOSTRANDO A JUVENTUDE DE HAN SOLO. ESSE “ROGUE ONE” NA VERDADE É UMA AVENTURA EM UM HIATO EXISTENTE ENTRE O EPISÓDIO III – A VINGANÇA DOS SITH E O EPISÓDIO IV – UMA NOVA ESPERANÇA. O PLOT MOSTRA COMO A ALIANÇA REBELDE VEM A ROUBAR OS PLANOS DA ESTRELA DA MORTE QUE LEVARÁ OS REBELDES AO TRIUNFO MOSTRADO AO FINAL DO QUARTO EPISODIO. CLARO QUE LORD VADER TEM APARIÇÃO, PORÉM RÁPIDA DEMAIS PARA SATISFAZER SEUS FANS, MAS O FILME TRAZ PERSONAGENS NOVOS PARA MOVIMENTAR A AÇÃO. FELICITY JONES (A TEORIA DE TUDO) E A FILHA DO CIENTISTA CRIADOR DA ESTRELA DA MORTE (MIKKELSEN) E UM REBELDE RADICAL (WHITAKER) ENTRE OS NOVOS PERSONAGENS. ESTES CONDUZEM A TRAMA COM O PROPÓSITO DE LHE CONFERIR IDENTIDADE PRÓPRIA, LOGO NO FILME NÃO HÁ JEDIS NEM A CLÁSSICA TRILHA DE JOHN WILLIAMS NA ABERTURA. O FILME SE SUSTENTA COMO UM PRODUTO DE AÇÃO, SEM SE LIVRAR DO ESTILO VIDEO GAME NAS CENAS DE BATALHA E, PORTANTO, BEM AO GOSTO DA GERAÇÃO X BOX, MAS DIVERTE TAMBÉM AOS FANS DA TRILOGIA QUE INJETOU NOVO GÁS NO GÊNERO FICÇÃO CIENTÍFICA, E ALIMENTA NERDS COMO EU QUE ACREDITAM QUE A FORÇA ESTÁ CONOSCO. CLARO, ESTÁ COM A DISNEY, QUE GANHA MAIS UM PRODUTO MILIONÁRIO PARA LUCRAR, MAS ISSO É OUTRA HISTÓRIA.

SULLY – O HERÓI DO RIO HUDSON

sully

(SULLY) EUA 2016. DIR: CLINT EASTWOOD. COM TOM HANKS, AARON ECKHART, LAURA LINNEY. BIOPIC.

BASEADO NO LIVRO DE MEMORIAS “HIGHEST DUTY: MY SEARCH FOR WHAT REALLY MATTERS” (2011) DE CHESLEY SULLENBERG (OU SIMPLESMENTE SULLY), ESCRITO JUNTO A JEFFREY ZUSLOW E NARRANDO O EPISODIO REAL EM QUE O PRIMEIRO, PILOTO AEREO CONSEGUIU POUSAR SUA NAVE NO RIO HUDSON, EM NOVA YORK, DEPOIS DE UMA PANE NO MOTOR E , DEPOIS DE UMA OUSADA MANOBRA, SALVOU TODOS À BORDO. O FILME IA ESTREAR HÁ DUAS SEMANAS, MAS FOI ADIADO EM RESPEITO ÀS VÍTIMAS E FAMILIARES DESTAS APÓS O DESASTRE QUE VITIMOU O TIME DE FUTEBOL CHAPECOENSE. GOSTO DE CLINT EASTWOOD E SUA VERSATILIDADE JÁ GEROU FILMES QUE CONSGUEM SER ORA OBRAS PRIMAS COMO “OS IMPERDOAVEIS” ORA DIVERSÕES GARANTIDAS COMO “COWBOYS DO ESPAÇO”. NÃO É A PRIMEIRA VEZ QUE O EX DIRTY HARRY ENVEREDA PELO TERRENO DAS CINEBIOGRAFIAS, MAS CERTAMENTE ESTE ESTÁ ENTRE SEUS FILMES BEM SUCEDIDOS JUNTO AO PÚBLICO E CRÍTICA, AO MENOS NOS ESTADOS UNIDOS. RECENTEMENTE, O ASTRO TOM HANKS DECLAROU QUE EASTWOOD TRATA OS ATORES NO ESTUDIO COMO SE FOSSEM CAVALOS, O QUE CAUSOU CERTO MAL-ESTAR MAS NADA DE DIMENSÃO CAPAZ DE APAGAR O TALENTO DE HANKS, MAIS ENVELHECIDO PARA O PAPEL, OU O TALENTO DE SEU DIRETOR.

NERUDA

neruda

ARG / CHI / ESP / FR 2016. DIR: PABLO LARRAIN. COM LUIS GNECCO, GAEL GARCIA BERNAL, ALEJANDRO GOIC, ALFREDO COSTA, BIOPIC.

EXIBIDO NO FESTIVAL DE CANNES DESSE ANO, ESSA CINEBIOGRAFIA FAZ UM RECORTE NO TEMPO DE VOLTA AOS ANOS 40 QUANDO O POETA CHILENO PABLO NERUDA SE JUNTA AO PARTIDO COMUNISTA E POR CONTA DISSO PASSA A SER PERSEGUIDO PELO INSPETOR PELENCHONNEAU (BERNAL) COMO SE FOSSE UM RELES CRIMINOSO. O FILME INTERESSARÁ A UM PÚBLICO MENOR, MAS FAZ VÁRIAS REFERÊNCIAS HISTORICAS AO MOMENTO POLÍTICO SOCIAL NÃO SÓ DO CHILE MAS DA AMERICA LATINA NO PERIODO RETRATADO.

GOLDEN GLOBE 2017: OS INDICADOS

Nominations Announcement For The 74th Annual Golden Globe Awards

Os atores Laura  Dern, Don Cheadle e Anna Kendrick anunciaram na manhã de segunda feira a lista dos indicados para o Golden Globe 2017 em cerimônia a ser realizada domingo dia 8 de Janeiro próximo, com apresentação de Jimmy Fallon. Segue a lista :

Série Dramática
The Crown (Netflix)
Game Of Thrones (HBO)
Stranger Things (Netflix)
This Is Us (NBC)
Westworld (HBO)

 Série Cômica
Atlanta (FX)
Black-ish (ABC)
Mozart in the Jungle (Amazon)
Transparent (Amazon)
Veep (HBO)

 Minissérie ou Telefilme
American Crime – Série (ABC)
The Dresser – Telefilme (BBC/Starz)
The Night Manager – Minissérie (BBC/AMC)
The Night Of – Minissérie (HBO)
The People v. O.J. Simpson: American Crime Story – Série (FX)

the_people_v_o_j_simpson_american_crime_story-1

CUBA GOODING JR EM “THE PEOPLE VS. O.J.SIMPSON

Ator de Série Dramática
Rami Malek por Mr. Robot (USA)
Bob Odenkirk por Better Call Saul (AMC)
Matthew Reese por The Americans (FX)
Liev Schreiber por Ray Donovan (AMC)
Billy Bob Thornton por Goliath (Amazon)

 Ator de Série Cômica
Anthony Anderson por Black-ish (ABC)
Gael Garcia Bernal por Mozart in the Jungle (Amazon)
Donald Glover por Atlanta (FX)
Nick Nolte por Graves (Epix)
Jeffrey Tambor por Transparent (Amazon)

 Ator de Minissérie ou Telefilme
Riz Ahmed por The Night Of (HBO)
Bryan Cranston por All the Way – Telefilme (HBO)
John Turturro por The Night Of (HBO)
Tom Hiddleston por Night Manager (BBC/AMC)
Courtney B. Vance por People v. O.J. Simpson (FX)

 Ator Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme
Sterling K. Brown por People v. O.J. Simpson (FX)
Hugh Laurie por Night Manager (BBC/AMC)
John Lithgow por The Crown (Netflix)
Christian Slater por Mr. Robot (USA)
John Travolta por People v O.J. Simpson (FX)

 Atriz de Série Dramática
Caitriona Balfe por Outlander (Starz)
Claire Foy por The Crown (Netflix)
Keri Russell por The Americans (FX)
Winona Ryder por Strange Things (Netflix)
Evan Rachel Wood por Westworld (HBO)

evan-rachel-wood-as-dolores-abernathy-credit-john-p-johnson-hbo

EVAN RACHEL WOOD EM “WESTWORLD”

Atriz de Série Cômica
Rachel Bloom por Crazy Ex-Girlfriend (CW)
Julia Louis-Dreyfus por Veep (HBO)
Sarah Jessica Parker por Divorce (HBO)
Issa Rae por Insecure (HBO)
Gina Rodriguez por Jane the Virgin (CW)
Tracee Ellis Ross por Black-ish (ABC)

 Atriz de Minissérie ou Telefilme
Felicity Huffman por American Crime (ABC)
Riley Keough por The Girlfriend Experience (Starz)
Sarah Paulson por People v. O.J. Simpson (FX)
Charlotte Rampling por London Spy (BBC/BBC America)
Kerry Washington por Confirmation – Telefilme (HBO)

 Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme
Olivia Colman por The Night Manager – Minissérie (BBC/AMC)
Lena Heady por Game of Thrones – Série (HBO)
Chrissy Metz por This Is Us (NBC)
Mandy Moore por This Is Us (NBC)
Thandie Newton por Westworld – Série (HBO)

Melhor drama
“Até o último homem”
“A qualquer custo”
“Lion”
“Manchester à beira-mar”
“Moonlight”

tiff-2-la-la-land

Melhor comédia ou musical
“20th century women”
“Deadpool”
“Florence: Quem é essa mulher?”
“La la land: Cantando estações”
“Sing street”

Melhor diretor
Damien Chazelle (“La la land: Cantando estações”)
Tom Ford (“Animais noturnos”)
Mel Gibson (“Até o último homem”)
Barry Jenkins (“Moonlight”)
Kenneth Lonergan (“Manchester à beira-mar”)

Melhor ator em drama
Casey Affleck (Manchester à beira-mar”)
Joel Edgerton (“Loving”)
Andrew Garfield (“Até o último homem”)
Viggo Mortensen (“Capitão Fantástico”)
Denzel Washington (“Fences”)

Melhor atriz em drama
Amy Adams (“A chegada”)
Jessica Chastain (“Miss Sloane”)
Isabelle Huppert (“Elle”)
Ruth Negga (“Loving”)
Natalie Portman (“Jackie”)

chegada

Melhor ator em comédia ou musical
Colin Farrell (“O lagosta”)
Ryan Gosling (“La la land: Cantando estações”)
Hugh Grant (“Florence: Quem é essa mulher”?)
Jonah Hill (“Cães de guerra”)
Ryan Reynolds (“Deadpool”)

Melhor atriz em comédia ou musical
Annette Bening (“20th century women”)
Lily Collins (“Rules don’t apply”)
Hailee Steinfeld (“The edge of seventeen”)
Emma Stone (“La la land: Cantando estações”)
Meryl Streep (“Florence: Quem é essa mulher?”)

Melhor ator coadjuvante
Mahershala Ali (“Moonlight”)
Jeff Bridges (“A qualquer custo”)
Simon Helberg (“Florence: Quem é essa mulher?”)
Dev Patel (“Lion”)
Aaron Taylor Johsnon (“Animais noturnos”)

Melhor atriz coadjuvante
Viola Davis (“Fences”)
Naomie Harris (“Moonlight”)
Nicole Kidman (“Lion”)
Octavia Spencer (“Estrelas além do tempo”)
Michelle Williams (“Manchester à beira-mar”)

denzel_viola.png

Melhor filme em língua estrangeira
“Divines”
“Elle”
“Neruda”
“The salesman”
“Toni Erdmann”

Melhor animação
“Moana”
“Ma vie de courgette”
“Kubo e as cordas mágicas”
“Sing”
“Zootopia”

Melhor roteiro
Damien Chazelle (“La la land: Cantando estações”)
Tom Ford (“Animais noturnos”)
Barry Jenkins (“Moonlight”)
Kenneth Lonergan (“Manchester à beira-mar”)
Taylor Sheridan (“A qualquer custo”)

Melhor canção original
“Can’t stop the feeling” (“Trolls”)
“City of stars” (“La la land: Cantando estações”)
“Faith” (“Sing”)
“Gold” (“Gold”)

Melhor trilha sonora
“Moonlight”
“La la land: Cantando estações”
“A chegada”
“Lion”