MEMORIAS DE UM CINÉFILO: 100 ANOS DO GRUPO LUIZ SEVERIANO RIBEIRO / KINOPLEX

Majestic-Praca.jpg.pagespeed.ic.76oa-lyCdn

CINE MAJESTIC EM FORTALEZA      

               A primeira vez que eu entrei em um cinema na minha vida foi no saudoso Cine – Paz, em minha cidade natal, Duque de Caxias. A sala de exibição, que ficava na Praça do Pacificador, onde hoje existe uma mega loja C&A, trazia em cartaz o filme “O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão”. Era o ano de 1977 e minha mãe não tinha a mínima noção do amor que acenderia quando as luzes se apagaram e o filme começou, amor pela sétima arte, coroado por uma sala pertencente ao grupo Luis Severiano Ribeiro, que chega agora a seu centenário, momento histórico em um país de memória tida como curta.

Luiz Severiano Ribeiro 2

LUIZ SEVERIANO RIBEIRO

                 Nascido em Julho de 1917, durante o governo do Presidente Venceslau Brás, ainda durante a Primeira Guerra Mundial. A primeira sala foi aberta em Fortaleza e se chamava “Cine-Theatro Majestic Palace”. O cinema mudo ainda era o padrão e assim continuaria por mais dez anos. Embora um incêndio nos anos 60 tenha destruído o prédio, este fez parte indiscutível da história da cultura deste país. A iniciativa deste cearense nascido em 3 de junho de 1886 foi comprar outras salas e espalhar-se por outras cidades, chegando ao Rio de Janeiro em 1926, época em que se associou à Metro Goldwyn Mayer, abrindo em seguida o Cine Odeon, único sobrevivente dos cinemas de rua no centro do Rio. Próximo, o grupo fez do Cine Palácio a primeira sala a exibir um filme sonoro.

centro-empresarial-luiz-severiano-ribeiro_cab

             Ostentando a propaganda que dizia “Cinema é a maior diversão”, a fase dourada da rede Luis Severiano Ribeiro sobreviveu a diversas intempéries : a televisão, o home-video e a internet, vindo de uma época em que a entrada das salas era um preço extremamente popular, os filmes eram exibidos em projetores de 35mm, a pipoca era barata e pagávamos muitas vezes para assistir a uma sessão dupla, entrávamos ao final de uma sessão e ficávamos dentro da sala esperando a sessão seguinte. Assim assisti filmes como “A Hora do Espanto”, “Uma Cilada Para Roger Rabbit”, “O Exterminador do Futuro”, “Robocop”, “Aliens o Resgate”. Foi nos cinemas da rede Luiz Severiano Ribeiro que ri com Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, aprendi o que significava a Força Jedi e descobri que um homem podia de fato voar.

Odeon fachada

            Com a chegada da exibição digital, o grupo reduziu o número de salas e trocou o nome para Kinoplex em 2002, ainda permanecendo com um vasto espaço em um circuito de exibição disputado com marcas como Cinemark e Cinesystem, desprovido dos antigos cinemas de rua substituídos pelas atuais salas de shopping onde muitas vezes o preço da pipoca é tão caro ou mais caro que o valor da entrada. Atualmente a rede conta com cerca de 260 salas em 19 cidades e ainda uma parceria com a rede UCI, oferecendo uma infra-estrutura que inclui a tecnologia 3D. Depois de um tempo em que o Odeon foi administrado pelo grupo Estação Bortafogo, este sobrevivente dos velhos tempos voltou para as mãos do grupo, que é o maior exibidor nacional, rebatizando-o de “Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro”. Só no Rio de Janeiro o grupo conta com pontos estratégicos como o cinema do shopping Rio Sul, Madureira, Nova Iguaçu e Norte Shopping.

oreidocinema2

            Em 2007, o fundador da rede ganhou uma biografia entitulada “O Rei do Cinema, a extraordinária história de Luiz Severiano Ribeiro”, publicada pela Editora Record. Em entrevista recente concedida ao jornal O Globo, Luiz Severiano Ribeiro Neto alegou não se preocupar com o sucesso de serviços de streaming como a Netflix. Revelou  “o maior concorrente do streaming é a TV aberta. É ela quem tem que se cuidar. Eu só preciso ficar atento.” Sem dúvida esse centenário marca um episodio de extrema relevância para a cultura desse país e inclui a “Iniciativa Projetor de Sonhos” que, desde março, realizou 100 sessões beneficentes para ONGs, Associações e Fundações, que trabalham com crianças e adolescentes em situação de risco social.  As inscrições deverão ser feitas até o dia 11 de agosto no site www.kinoplex.com.br/centenario.  As instituições que se inscreverem poderão ganhar uma sessão em um cinema da Rede Kinoplex a sua escolha, a ser realizada até o dia 31 de dezembro de 2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s