DR.ESTRANHO NAS HQS E NA TV

drstrange

Com o sucesso mundial de Harry Potter na literatura e no cinema, nada mais relevante que haja um super- herói com poderes de um bruxo. Não foi, no entanto, Stan Lee quem criou o primeiro herói místico das HQs, mas sem dúvida seu toque de Midas se fez sentir em Junho de 1963, quando foi publicado o título “Strange Tales #110”. A estreia do mago supremo do universo Marvel não teve alarde, dividindo as páginas da revista com o já popular Tocha Humana. A história de 8 páginas, contudo, não mostrava sua origem. Esta só foi publicada 4 meses depois: Stephen Vincent Strange era um conceituado e arrogante neurocirurgião que sofre um terrível acidente que incapacita o movimento de suas mãos. Inconformado com a situação e relutante em se tornar um mero clínico, Strange busca um tratamento alternativo para reverter sua condição, quando descobre no Tibet a figura do Ancião, um homem sábio com poderes sobrenaturais. A visita abala a visão de mundo de Strange, que descobre que o Barão Mordo, discípulo do Ancião, planeja matá-lo depois de ter sido seduzido pelo poder maligno de Dormammu, senhor absoluto de uma dimensão do mal. Strange é enfeitiçado para não poder revelar o que descobriu, e por gratidão ao Ancião, pede que este o treine. Assim começa o caminho de Strange pelas artes místicas, tudo maravilhosamente diagramado pela arte de Steve Dikto.

AS INFLUÊNCIAS

drmisterio1.jpg

ESTREIA DO PERSONAGEM NO BRASIL

Segundo o próprio Lee, foi de Dikto (co- criador do Homem Aranha) a ideia para criação do personagem místico, um herói não saído da pseudociência de Lee, mas da magia. Antes do bom doutor, no entanto, outros heróis já demonstravam habilidades sobrenaturais como o “Dr.Oculto” (Doctor Ocult), criado em 1935 por Jerry Siegel e Joe Shuster (os criadores do Superman) ou o mágico “Mandrake” de Lee Falk de 1934. Estes, no entanto, agiam em suas histórias como um detetive com habilidades mágicas. Ainda houve em 1940 o “Senhor Destino” (Dr. Fate) , criado pela dupla Gardner Fox e Howard Sherman, um feiticeiro super poderoso que se aliou a outros herois para combater as forças do mal. Contudo, ao lapidar a ideia de Dikto, Stan Lee buscou inspiração mesmo em “Chandu – o Mágico”, programa de rádio que, por volta de 1932 , seria transformado em seriado interpretado pelo hoje desconhecido Edmund Lowe,  e depois, por Bela Lugosi. Chandu era um ilusionista que age em segredo como espião fazendo uso de suas habilidades.

 O PROCESSO CRIATIVO

doctorstrange-177

O PERSONAGEM DE MÁSCARA

Lee adicionou frases de efeito para dramatizar os encantamentos do mago que, em suas histórias, frequentemente invocava as faixas escarlates de Cyttorak, os sete anéis de Raggadorr ou o olho de Agamotto, um poderoso amuleto que amplia os poderes do mago. O herói também usa o livro de Vishanti que contem vários feitiços que o Dr.Estranho conjura e o manto da levitação que lhe permite voar. A principio as histórias de Estranho eram secundárias, contadas em breves páginas, já que o Tocha Humana era a estrela de “Strange Tales”. O personagem ainda nem mesmo usava seu manto de levitação.

Lee e Ditko ficaram juntos por três anos explorando roteiros dramáticos, diálogos bem conduzidos em cenários e cores psicodélicas para retratar limbos, universos paralelos e até o próprio inferno. A arte de Dikto explorava tons surrealistas que, de acordo com o historiador Bradford Wright, lembra as pinturas de Salvador Dali. Com a saída de Dikto, e posteriormente do próprio Stan Lee, substituído por Roy Thomas, o personagem foi desenhado por Bill Everett (criador de Namor), Marie Severin e Gene Colan que assume o título solo do herói (renomeando a antiga “Strange Tales” a partir de Fevereiro de 1969), que dura apenas 15 edições. As histórias do período refletem todo um interesse por misticismo que se seguiu ao final dos anos 60, e as aventuras de Strange envolvendo divindades egípicias ou sumérias ecoavam o interesse do ocidente pelas religiões orientais. Na edição “Doctor Strange #177” Thomas & Colan, em uma tentativa de estimular as vendas do título colocam uma máscara no herói feiticeiro fazendo sutis modificações em seu uniforme, que perdurariam por sete edições.

 AS AVENTURAS

Doctor_Occult_001.jpg

DR.OCULTO – PREDECESSOR DO DR. ESTRANHO

Na década de 70, o personagem perdeu seu primeiro título solo passando a ser publicado em dois títulos : “Marvel Premiere” (entre 1972 e 1974) e na “Marvel Feature” onde o herói se juntou ao Hulk e Namor e formaram a equipe dos Defensores, criado por Roy Thomas. Mas, diferente dos populares Vingadores, os Defensores pareciam se hostilizar e sua união só se justificava pela conveniência  de uma ameaça em comum, sem o espírito de camaradagem da equipe do Capitão América. Mais tarde, o roteirista Steve Englehart assumia o título da equipe e escreveria um confronto clássico “Vingadores X Defensores”.

A década de 70 ainda teria o segundo título solo do heroi “Dr.Strange: Master of the Mystical Arts”, que duraria 81 edições. Nessa fase, o mago enfrentaria Drácula, se apaixonaria pela discípula Clea e viajaria pelo tempo em mais de uma ocasião. As artes de Frank Brunner e Gene Colan se destacaram pela inventividade. O primeiro, junto com Steve Englehart, causaria um embaraço à Marvel quando em um arco de histórias entitulado “Sise-Neg” (Genesis escrito ao contrário) Strange, depois da morte do ancião, assume o manto de mago supremo,  viaja ao início do universo e encontra Deus. Os editores da Marvel pediram que os autores se desculpassem em carta e alegassem que não Deus. Englehart e Brunner escreveram uma carta falsa à editora enviada do Texas de um pastor fictício elogiando a história, levando os editores a desistir da ideia.

Na década de 80, o roteirista Roger Stern ficou à frente do título do herói com vários desenhistas se revezando como Paul Smith, Marshall Rogers, Bret Blevings, Kerry Gammill, Michael Golden, Sal Buscema, Gene Colan entre outros. Stern soube equilibrar a vida pessoal de Stephen Strange com aventuras cósmicas. O autor conseguiu explorar bem o elenco coadjuvante das histórias como o assistente Wong, a namorada Clea e introduziu uma nova personagem, Morgana Blessing, que vem a se tornar discípula de Strange. Na edição # 53 de “Doctor Strange”, publicado em “Heróis da TV #91”, o Dr.Estranho viaja ao passado e revisita o primeiro encontro do Quarteto Fantástico com o Faraó Rama Tut, reproduzindo a história originalmente publicada em “Fantastic Four #19” de outubro de 1963, colocando o mago na posição de um observador do futuro. Coube a Stern também uma das melhores histórias do herói, desenhada por Mike Mignola (o criador de Hellboy). Na graphic novel “Triunfo & Tormento” Estranho se alia ao Doutor Destino (inimigo mortal do quarteto fantástico) em uma jornada ao inferno para resgatar a alma da mãe do vilão.

Mais recentemente, Strange juntou-se aos Novos Vingadores, esteve envolvido com os Ilumminati (grupo secreto de heróis) e perdeu o título de mago supremo da terra para o Irmão Vudu. Após os eventos Guerra Civil e Invasão Secreta, muita coisa mudou no status quo dos personagens Marvel e com o Dr.Estranho não foi diferente. O roteirista Jason Aaron mudou o visual do mago colocando um machado em sua mão.

O HEROI NO BRASIL

dr strange 1978.jpg

O DR. ESTRANHO NA TV

No Brasil, o herói foi rebatizado de “Dr.Mistério” quando publicado pela Editora M&C, mas a revista só durou duas edições. Quando ressurgiu pela primeira vez com seu nome corrigido foi no título “Os Defensores” (The Defenders) #1 da Editora Bloch. Em Abril de 1979, a RGE trouxe o personagem ao Brasil em aventuras solo, primeiro no título “Almanaque Marvel #1”, da Editora RGE, em uma aventura conjunta com o Homem-Aranha extraído de “Marvel Team Up #21” originalmente publicada em 1974. O curioso dessa história é que os dois heróis encontram … Xandu, o mágico. No mês seguinte a RGE publicou a clássica “Dr.Strange #169” em “Almanaque Marvel #2”. O material da “Marvel Premiere” veio a ser publicado pela Editora Abril em 1982 no título “Superaventuras Marvel” a partir da segunda edição desta. A origem do herói, no entanto, apareceu nas páginas da edição comemorativa “Herois da TV #100”(segunda série), da Editora Abril. O mesmo título publicou na década de 80 as elogiosas histórias escritas por Roger Stern.

 A PRIMEIRA ADAPTAÇÃO

A década de 70 ainda teve a primeira tentativa de adaptar o personagem para um filme live-action. Em 1978, a MCATV, divisão televisa dos estúdios Universal vinha tendo muito sucesso com a série do “Incrível Hulk” estrelada por Bill Bixby e Lou Ferrigno. Com intenção de realizar um série do Doutor Estranho, a MCA encomendou um piloto dirigido por Philip Deguerre com consulta do próprio Stan Lee. O ator Peter Hooten fez o papel principal com várias mudanças em relação à HQ: No filme, Stephen Strange é psiquiatra e não neurocirurgião, não há a figura do Ancião, o uniforme do herói ostenta uma estrela no peito, desenvolvido pelo próprio Frank Brunner, um dos melhores artistas a trabalhar com o personagem. Seu antagonista é a mitológica bruxa Morgana (Jessica Walters), das lendas Arturianas. Dos coadjuvantes das HQs estão apenas o assistente Wong (Clyde Kusatsu) e a discípula e namorada Clea (Anne Marrie Martin). Na história do filme, Morgana possui o corpo de Clea em uma tentativa de matar o mago supremo e tomar seus poderes no processo. A fraqueza de Morgana é se apaixonar por Strange. Na época, Stan Lee estava bastante entusiasmado com o filme, sendo que o resultado foi muito abaixo do esperado, principalmente levando em conta que o filme foi exibido no mesmo dia e horário que a premiada mini-série “Raízes” (Roots). No Brasil, o filme chegou a ser exibido pela Rede Globo. A chegada do novo filme estrelado por Benedict Cumberbatch certamente popularizará o personagem diante de uma nova geração, mas que ninguém duvide que o verdadeiro mago supremo da terra sempre foi Stan Lee.

 

SAN DIEGO COMIC CON 2016 – COBERTURA

san-diego-comic-con-2016-logo-190961.jpg

CHEGOU AO FIM ONTEM (23 DE JULHO) A SAN DIEGO COMIC CON, UM DOS MAIORES EVENTOS DA CULTURA POP E DA INDUSTRIA DE BLOCKBUSTERS HOLLYWOODIANA. DURANTE QUATRO DIAS EM MEIO A COSPLAYERS E PERSONALIDADES DO CINEMA, HQS E GAMES MILHARES DE PESSOAS SE AMONTARAM EM FILAS INTERMINÁVEIS PARA AVERIGUAR AS NOVIDADES CUJO LANÇAMENTO TEM ALCANÇE INTERNACIONAL.

luke cage

MIKE COULTER – O LUKE CAGE

 

JEPH LOEB QUE HOJE É PRESIDENTE DA MARVEL TELEVISION APRESENTOU O ATOR MIKE COULTER ANUNCIADO COMO O PROTAGONISTA DA VINDOURA SÉRIE DO “LUKE CAGE” QUE EM BREVE SE JUNTARÁ À LISTA DA NETFLIX QUE JÁ INCLUI JESSICA JONES E DEMOLIDOR. ESTA TEVE ANUNCIADA OFICIALMENTE A TERCEIRA TEMPORADA ALEM DA SÉRIE DOS DEFENSORES. ENTRE OS TRAILLERS QUE CAUSARAM FUROR ENTRE OS FÂS ESTAVAM OS DOS FILMES DA “MULHER MARAVILHA” , “LIGA DA JUSTIÇA”, “ESQUADRÃO SUICIDA” , “DOUTOR ESTRANHO”, “GUARDIÕES DA GALÁXIA 2” E “HOMEM ARANHA : VOLTA AO LAR”.

guardioes

CHRIS PRATT & ZOE SALDANA DOS GUARDIÕES DA GALAXIA 2

OUTRA SENSAÇÃO FOI A APARIÇÃO DE BRIE LARSON (O QUARTO DE JACK) OFICIALIZADA COMO A HEROÍNA CAPITÃ MARVEL NO VINDOURO FILME HOMONIMO DO MARVEL STUDIOS. FALANDO EM MARVEL O EVENTO TAMBÉM CONTOU COM A PRESENÇA DE BENJAMIM CUMBERBATCH (O DR. ESTRANHO) E A CONFIRMAÇÃO DA QUARTA TEMPORADA DE SHERLOCK HOLMES COM O ATOR. KEVIN FEIGE, O CHEFÃO DO MARVEL STUDIOS. TAMBÉM TROUXE AS NOVIDADES PARA “THOR RAGNAROK” E EXIBIRAM UM DOCUMENTARIO FAKE MOSTRANDO CHRIS HEMSWORTH ZOANDO COM TUDO E TODOS NOS BASTIDORES E MOSTRANDO O PORQUÊ DE SUA AUSÊNCIA EM GUERRA CIVIL.

doutor-estranho-benedict-cumberbath-chiwetel-ejiofor

BENJAMIM CUMBERBATCH & CHWITEL ELIJOFOR

HOUVE SURPRESA QUANDO FOI EXIBIDO O TRAILLER DE “A BRUXA DE BLAIR 3” QUASE VINTE ANOS DO FILME ORIGINAL TER VIRALIZADO. GRANDE EXPECTATIVA TAMBÉM HAVIA COM A AVANT PREMIERE DE “STAR TREK SEM FRONTEIRAS” QUE CELEBRA OS 50 ANOS DA MAIOR ODISSEIA DA FICÇÃO CIENTIFICA. OUTRO TRAILLER BEM RECEBIDO FOI O DE “KONG – A ILHA DA CAVEIRA ” .

star trek

SIMON PEGG E SOFIA BOUTELLA EM STAR TREK BEYOND

ESSAS ENTRE OUTRAS ATRAÇÕES ESTIVERAM EM EVIDÊNCIA E NOS DÃO A CERTEZA DE QUE NÓS NERDS HERDAREMOS O MUNDO. SE ATÉ HENRY CAVILL (SUPERMAN) TIETOU WILL SMITH NO PAINEL DO ESQUADRÃO SUICIDA, ENTÃO POR QUE NÃO IMAGINARMOS QUE NO PRÓXIMO ANO ESTAREMOS LÁ TAMBÉM PARA TIETAR, PEDIR AUTOGRÁFOS E VIVER A MAGIA DA COMIC CON.