MISSÃO IMPOSSÍVEL: SÉRIE ORIGINAL & FILMES.

            O sucesso de “Missão: Impossível” vem muito antes do agente Ethan Hunt e conta mais de 50 anos desde a primeira vez em que uma gravação seguida de uma contagem regressiva anunciava a aventura embalada pelo instigante tema musical do argentino Lalo Schifrin que marcou gerações.

mi serie1.jpg

Da direita para a esquerda: Peter Graves, Barbara Bain, Peter Lupus, Greg Morris e Martin Landau.

            No Brasil a extinta Tv Excelsior trouxe a série “Missão: Impossível” (Mission: Impossible) para as noites de segunda-feira em junho de 1967, quase um ano depois de sua estreia pela CBS. A história, criada pelo roteirista norte-americano Bruce Gellar, foi filmada pela Desilu Productions, o estúdio fundado em 1951 pela comediante Lucille Ball e seu marido Desi Arnaz. Inicialmente, o projeto intitulado “Brigg’s Squad” mostraria um grupo de agentes recrutados para missões de alto risco nas quais o governo não poderia se envolver abertamente. As características dos personagens seriam refinadas por Gellar, que se recusou a criar um passado para cada um, mantendo uma aura de mistério em torno destes. O que importava era a habilidade de cada membro da equipe: Rollis Hand (Martin Landau) era o mestre dos disfarces, Cinnamon (Barbara Bain) era a espiã irresistivelmente sedutora, Barney Collier (Greg Morris) era o expert em eletrônica, Willy Armitage (Peter Lupus) era o braço forte e Dan Briggs (Steven Hill) o líder da equipe. As missões chegavam até Briggs em um gravador que relatava os detalhes da missão que, caso aceita, seria realizada sem apoio oficial do governo que negaria conhecimento caso tudo desse errado. Bruce Gellar se indispôs com a CBS, e depois com a Paramount que comprara o estúdio Desilu, para manter seu controle criativo. “Missão: Impossível” era um produto inteligente demais para as intenções de baixo custo e lucro imediato dos produtores de TV. As missões da equipe de Briggs tratavam de espionagem internacional, política externa e guerra fria. Cada membro agia nas sombras, de acordo com seus próprios dons, manipulando os eventos de forma que o alvo cometesse algum erro que o fizesse se entregar.

mi serie2

Leonard Nimoy, Greg Morris, Peter Graves e Peter Lupus.

            As filmagens da primeira temporada foram prejudicadas por constantes atrasos já que Steven Hill, o ator principal, era judeu ortodoxo e se recusava a filmar nos fins de semana. Em seu contrato o ator só poderia trabalhar até as 16 horas de sexta feira, e muitas das vezes o cronograma das filmagens invadia os finais de semana, até mesmo os feriados. Quando a segunda temporada foi aprovada Hill foi substituído por Peter Graves interpretando o novo líder, Jim Phelps, que ficou fixo no elenco à medida que, nas temporadas seguintes, outros agentes entravam e saíam. Greg Morris também se manteria fixo, mas disputas contratuais levaram Martin Landau e Barbara Bain (eram casados na vida real) a deixar a série na quarta temporada. Leonard Nimoy, Leslie Ann Warren, Lynda Day George, Sam Elliot, Lee Meriwether e Barbara Anderson se revezariam ao longo das temporadas (sete ao todo) que se seguiam com progressivo perda de controle por Gellar, vítima dos executivos que não se preocupavam em descaracterizar a série com roteiros que se distanciavam da visão de seu criador. Da mesma maneira que ocorrera com Gene Roddenberry em “Star Trek”, Bruce Gellar foi posto de lado jamais sendo consultado ou respeitado até que a série foi cancelada em março de 1973.

mi serie3

Phil Morris, Thaad Penghlis, Peter Graves, Jane Badler e Anthony Hamilton.

            Bruce Gellar morreu em um acidente aéreo em 1978, mas sua criação colecionava admiradores graças às constantes reprises na Tv, fora as imitações que surgiam na telinha tentando reproduzir a formula de contragolpe com a qual os agentes capturavam os vilões. Ao longo da década de 80, a Paramount tentou diversas vezes adaptar a série para o cinema, mas os roteiros eram escritos e reescritos sem se chegar a um resultado satisfatório. Em 1988, devido a uma greve dos roteiristas, a Paramount aprovou a retomada da série com novo elenco, refilmando alguns episódios e mantendo o personagem Jim Phelps, de Peter Graves, que deixava a aposentadoria para liderar uma nova equipe: Anthony Hamilton, Terry Markwell, Jane Badler, Thaad Panghlis e Phil Morris, filho do veterano Greg Morris. A retomada da série se sustentou no ar por duas temporadas mas desprovida do prestígio do passado.

             Quando o astro Tom Cruise adquiriu os direitos da série para adaptá-la ao cinema modificou um elemento essencial da série. Em vez de ações regidas em equipe, a ação ficou concentrada no personagem de Cruise, o agente Ethan Hunt, único sobrevivente de uma missão em Praga. O ator Martin Landau chegou a ser convidado a repetir o papel de Rollis Hand mas declinou quando descobriu que a equipe original seria morta logo no início do filme. A ideia permaneceu mesmo sem a participação dos atores da série, incluindo Peter Graves que ficou contrariado ao descobrir que seu personagem seria transformado em um traidor. Al Pacino, Michael Douglas e Robert Redford foram considerados para o papel de Jim Phelps, que veio a ficar com Jon Voight. A direção de “Missão: Impossível” – o filme (1996) , ficou com Brian De Palma, que anos antes havia alcançado feito impressionante ao adaptar “Os Intocáveis”, outra série de TV. O tema musical da série de Lalo Schifrin foi remixado por Larry Mullen Jr. e Adam Clayton do U2. A essência da série, no entanto, estava ausente, pois nesta o foco era maior na tensão psicológica envolvendo os agentes e seus alvos, enquanto no filme o agente Ethan Hunt monopolizava a ação. A bilheteria do filme garantiu a sequência de 2000 “Missão Impossível 2” (Mission: Impossible 2) dirigido por John Woo. Este já começa o filme mostrando Hunt se pendurando em um penhasco, cena realizada pelo próprio ator dispensando dublês, e que se tornaria marca registrada na série. A história mostra Hunt na trilha de um ex-agente que negocia a venda de um vírus mortal. O vilão Dougray Scott na época foi inicialmente escalado para o papel de Wolverine em “X Men”, mas as filmagens demoradas da nova missão de Cruise impediram Scott de ficar com o papel do herói mutante, que acabou indo para Hugh Jackman.

mi3

Jonathan Rhys Myers, Ving Rhames, Tom Cruise e Maggie Q.

         O espírito da série foi parcialmente recuperado quando J.J.Abrams assumiu a cadeira de diretor em “Missão:Impossível III” (2006). A missão de capturar um traficante de armas (o saudoso Philip Seymour Hoffman) reúne Cruise com Keri Russell, Jonathan Rhys Myers, Maggie Q e Simon Pegg. Apesar de Cruise ainda ser o centro da trama, a ação em equipe ganha mais espaço , e ainda inclui Luther Stickwell (Ving Rhames), único membro a estar presente em todos os filmes, além do próprio Cruise.

miprtfat

Paula Patton e Tom Cruise em “Protocolo Fantasma”.

         Em 2011, Brad Bird, o diretor da animação “Os Incríveis” dirige a volta de Hunt em “Missão: Impossível – Protocolo Fantasma” (Mission: Impossible – Ghost Protocol) que substitui o esperado IV por um subtítulo repetindo Rhames e Pegg na equipe, mas trazendo Paula Patton e Jeremy Renner para o time. O trabalho em equipe é ainda mais ampliado a medida que o carisma inegável de Cruise garante um resultado notável da bilheteria. O filme foi o primeiro da série filmado em IMAX, valorizando o impacto da imagem como na cena em que Cruise, dispensando dublês mais uma vez, se pendura do lado de fora de um arranha-céu de 160 andares em Dubai. O filme foi um triunfo para o público e a crítica especializada como o renomado Roger Ebert quer comparou o filme a uma “poesia do gênero”. A diversão só melhora quando chega o quinto filme, dirigido por Christopher McQuarrie “Missão: Impossível – Nação Secreta” (Mission: Impossible – Rogue Nation) que retoma outro elemento da série original: o Sindicato, uma anti IMF empenhada em formentar o caos no mundo. A equipe recebe o apoio da bela atriz sueca Rebecca Fergunson no papel de Ilsa Faust, uma agente dupla que não se resume a interesse romântico, mas se junta a Hunt para desbaratar os planos de Solomon Lane (Sean Harris), líder do Sindicato. A personagem de Fergunson impulsiona a trama graças à habilidade da atriz de se mostrar moralmente dúbia, outra característica inserida originalmente por Bruce Gellar.

minaçaosecreta

Rebecca Fergunson e Tom Cruise em “Nação Secreta”

                  A chegada do sexto filme certamente confirma que o público está bastante receptivo a novas proezas do agente Hunt. Seguindo o ritmo das sequências de resgatar elementos da série, adaptando-os aos novos tempos, podemos contar com novas aventuras, seja centrada em Hunt, ou em outro agente disposto a se pendurar em aviões, descer por cabos ou saltar em cinco, quatro, três, dois, um, … antes que essa mensagem se auto-destrua.

TRAILLER: VINGADORES GUERRA INFINITA

A ESPERA É GRANDE, UM DOS MAIS AGUARDADOS DO ANO, ANUNCIADO DESDE O PRIMEIRO FILME DA EQUIPE EM 2012 QUANDO O VILÃO CÓSMICO THANOS SURGIU APÓS OS CRÉDITOS MOSTRANDO AO PÚBLICO O QUE ESTARIA POR VIR. AGORA É PRA VALER E MAIS DE 60 PERSONAGENS ESTÃO PARA PASSAR NAS TELAS, UM FEITO E TANTO PARA UM FILME DO GÊNERO, E ADMIRAVEL POR REUNIR SEMPRE EGOS INFLADOS. A HARMONIA DE CONCILIAR TUDO COUBE AOS IRMÃOS RUSSOS, QUE REALIZARAM UM DOS MELHORES FILMES DO MARVEL STUDIOS (CAPITÃO AMÉRICA SOLDADO INVERNAL) E, DEPOIS O CONFRONTO QUE DIVIDIU OS FÃS EM TIME CAP E TIME STARK (CAPITÃO AMERICA GUERRA CIVIL). O CLIMA É DE QUE MORTES OCORRERÃO, LÁGRIMAS SERÃO DERRAMADAS E TUDO PODE ACONTECER QUANDO HOMEM ARANHA, HULK, DR.ESTRANHO, VINGADORES E GUARDIÕES DA GALAXIA UNIREM FORÇAS PARA ENFRENTAR O FIM DE TUDO NO UNIVERSO. BASTA VER A CENA EM QUE O CAPITÃO PARA A MÃO DE THANOS AO FINAL DO TRAILLER PARA SE TER UMA IDEIA DO DELÍRIO QUE O FILME PROVOCARÁ NO PÚBLICO. A DC QUE SE CUIDE !!!!

ESTREIAS DA SEMANA : 26 DE OUTUBRO DE 2017

THOR RAGNAROK

THOR RAGNAROK

(Thor Ragnarok) EUA 2017. Dir: Taika Waititi. Com Chris Hemsworth, Mark Ruffalo, Tom Hiddlestone, Anthony Hopkins, Cate Blanchett, Jeff Goldblum, Tessa Thompson, Karl Urban, Idris Elba, Sam Neill. Aventura.

Thor corre contra o tempo para salvar Asgard do Ragnarok, o apocalipse das lendas nórdicas. Contudo, é derrotado por Hela, a deusa da morte, tem seu martelo destruído e é exilado em um planeta de gladiadores onde reencontra o Hulk. A eles se juntam o traiçoeiro Loki e a corajosa Walkiria em uma batalha decisiva. Apesar da ação inerente a essa mistura de duas narrativas diferentes das HQs Marvel (Ragnarok e Planeta Hulk) está impregnada com o humor típico do filme do Deadpool e com aquela trilha sonora pop que remete a “Guardiões da Galáxia”. Essa mistura promete atrair o público e preparar o terreno para a chegada de “Vingadores:Guerra Infinita” ano que vem. A participação de Ruffalo é menor em relação às pretensões de se aproveitar de um arco tão extenso quanto “Planeta Hulk”, mas a Marvel não pode fazer um filme solo do personagem, que está preso a um contrato com a Universal. O filme ainda tem a participação especial de Benedict Cumberbatch como Dr.Estranho, que auxiliará Thor a reencontrar Odin, desaparecido depois dos eventos de “Thor Mundo Sombrio”. A vilã de Cate Blanchett é o maior atrativo da história e funciona como uma excelente antagonista para Thor. Leiam a postagem especial acima que trará outras informações sobre o deus do trovão nas hqs originais.

MARK FELT – O HOMEM QUE DERRUBOU A CASA BRANCA

mark felt

(Mark Felt – The Man Who Brought Down the House) EUA 2017. Dir: Peter Landesman. Com Liam Neeson, Brian D’Arcy, Bruce Greenwood, Diane Lane, Josh Lucas. Biopic.

O roteirista e diretor Peter Landesman dramatiza a história do diretor do FBI que entrou para a história com a alcunha “Garganta Profunda”, o homem que tornou-se informante dos reporteres do Washington Post, sendo fundamental para a queda do ex presidente Nixon no historico Escândalo de Watergate. Filme voltado para os apreciadores de filmes biográficos. Em um momento de corrupção escandalosa em nosso próprio país é positivo assistir um episódio real que mostra como um país realmente democrático procede diante do abuso de poder.

O FORMIDÁVEL

formidavel

(Le Redoubtable) Fr. 2017. Dir: Michel Hazanavicius. Com Louis Garrel, Berenice Bejó, Stacy Martin, Biopic.

Adaptação do livro “Un An Aprés” de Anne Wiezemsky que faz um recorte na vida do cineasta francês Jean-Luc Goddard que durante as filmagens de “A Chinesa” (1967) apaixonou-se pela atriz de 17 anos Anne Wiezemsly, a autora do livro. O romance abala profundamente a vida de Goddard, um dos maiores nomes do cinema francês de sua geração. O filme é escrito e dirigido pelo cineasta parisiense Michel Hazanavicius que em 2011 conquistou o mundo e 5 Oscars com “O Artista”, onde também trabalhou com a atriz Berenice Bejó.

PELÉ – O NASCIMENTO DE UMA LENDA

pele.jpg

(Pelé – The Birth of a Legend) EUA 2017. Dir:Jeff Zimbalist & Michael Zimbalist. Com Rodrigo Santoro, Seu Jorge, Milton Nascimento,  Vincent D’Onofrio,  Felipe Simas, Diego Boneta. Biopic.

Já houve um documentário sobre o rei do futebol em 2004. Este filme biográfico estava inicialmente previsto para estrear na Copa do Mundo de 2014, mas só foi finalizado recentemente. A trajetória de Edson Arantes do Nascimento que de uma infância pobre tornou-se um dos jogadores de futebol mais famosos do mundo, tendo integrado a seleção que ganhou a Copa do Mundo de 1958

SAN DIEGO COMIC CON 2016 – COBERTURA

san-diego-comic-con-2016-logo-190961.jpg

CHEGOU AO FIM ONTEM (23 DE JULHO) A SAN DIEGO COMIC CON, UM DOS MAIORES EVENTOS DA CULTURA POP E DA INDUSTRIA DE BLOCKBUSTERS HOLLYWOODIANA. DURANTE QUATRO DIAS EM MEIO A COSPLAYERS E PERSONALIDADES DO CINEMA, HQS E GAMES MILHARES DE PESSOAS SE AMONTARAM EM FILAS INTERMINÁVEIS PARA AVERIGUAR AS NOVIDADES CUJO LANÇAMENTO TEM ALCANÇE INTERNACIONAL.

luke cage

MIKE COULTER – O LUKE CAGE

 

JEPH LOEB QUE HOJE É PRESIDENTE DA MARVEL TELEVISION APRESENTOU O ATOR MIKE COULTER ANUNCIADO COMO O PROTAGONISTA DA VINDOURA SÉRIE DO “LUKE CAGE” QUE EM BREVE SE JUNTARÁ À LISTA DA NETFLIX QUE JÁ INCLUI JESSICA JONES E DEMOLIDOR. ESTA TEVE ANUNCIADA OFICIALMENTE A TERCEIRA TEMPORADA ALEM DA SÉRIE DOS DEFENSORES. ENTRE OS TRAILLERS QUE CAUSARAM FUROR ENTRE OS FÂS ESTAVAM OS DOS FILMES DA “MULHER MARAVILHA” , “LIGA DA JUSTIÇA”, “ESQUADRÃO SUICIDA” , “DOUTOR ESTRANHO”, “GUARDIÕES DA GALÁXIA 2” E “HOMEM ARANHA : VOLTA AO LAR”.

guardioes

CHRIS PRATT & ZOE SALDANA DOS GUARDIÕES DA GALAXIA 2

OUTRA SENSAÇÃO FOI A APARIÇÃO DE BRIE LARSON (O QUARTO DE JACK) OFICIALIZADA COMO A HEROÍNA CAPITÃ MARVEL NO VINDOURO FILME HOMONIMO DO MARVEL STUDIOS. FALANDO EM MARVEL O EVENTO TAMBÉM CONTOU COM A PRESENÇA DE BENJAMIM CUMBERBATCH (O DR. ESTRANHO) E A CONFIRMAÇÃO DA QUARTA TEMPORADA DE SHERLOCK HOLMES COM O ATOR. KEVIN FEIGE, O CHEFÃO DO MARVEL STUDIOS. TAMBÉM TROUXE AS NOVIDADES PARA “THOR RAGNAROK” E EXIBIRAM UM DOCUMENTARIO FAKE MOSTRANDO CHRIS HEMSWORTH ZOANDO COM TUDO E TODOS NOS BASTIDORES E MOSTRANDO O PORQUÊ DE SUA AUSÊNCIA EM GUERRA CIVIL.

doutor-estranho-benedict-cumberbath-chiwetel-ejiofor

BENJAMIM CUMBERBATCH & CHWITEL ELIJOFOR

HOUVE SURPRESA QUANDO FOI EXIBIDO O TRAILLER DE “A BRUXA DE BLAIR 3” QUASE VINTE ANOS DO FILME ORIGINAL TER VIRALIZADO. GRANDE EXPECTATIVA TAMBÉM HAVIA COM A AVANT PREMIERE DE “STAR TREK SEM FRONTEIRAS” QUE CELEBRA OS 50 ANOS DA MAIOR ODISSEIA DA FICÇÃO CIENTIFICA. OUTRO TRAILLER BEM RECEBIDO FOI O DE “KONG – A ILHA DA CAVEIRA ” .

star trek

SIMON PEGG E SOFIA BOUTELLA EM STAR TREK BEYOND

ESSAS ENTRE OUTRAS ATRAÇÕES ESTIVERAM EM EVIDÊNCIA E NOS DÃO A CERTEZA DE QUE NÓS NERDS HERDAREMOS O MUNDO. SE ATÉ HENRY CAVILL (SUPERMAN) TIETOU WILL SMITH NO PAINEL DO ESQUADRÃO SUICIDA, ENTÃO POR QUE NÃO IMAGINARMOS QUE NO PRÓXIMO ANO ESTAREMOS LÁ TAMBÉM PARA TIETAR, PEDIR AUTOGRÁFOS E VIVER A MAGIA DA COMIC CON.