BOND 2 – MOSCOU CONTRA 007

moscou contra 007

Um ano depois do lançamento de “007 Contra o Satânico Dr.No”, o autor Ian Fleming se rendeu à escolha do escocês Sean Connery como a representação cinematográfica de sua cria. O mundo parecia concordar já que as bilheterias mundiais garantiram a continuidade, de forma que o primeiro filme ainda estava sendo exibido, enquanto os produtores Albert Broccoli & Harry Saltzman já haviam escolhido o segundo livro a ser adaptado, justamente o livro que o então presidente John Kennedy havia afirmado como sendo um de seus favoritos, “From Russia With Love”. As filmagens começaram a medida que a bilheteria internacional do filme crescia convencendo Broccoli & Saltzman a planejar um filme por ano. O livro em questão, no entanto, precedia “Dr.No”, então os roteiristas fizeram algumas mudanças: Primeiro, a pedido de Broccoli suavizaram o clima de guerra fria e retiraram a figura dos russos como vilões, depois fizeram de antagonista os agentes da Spectre que buscavam vingança contra Bond pela morte do Dr.No no filme anterior. Enquanto que no primeiro filme a ação é diluída pelo ritmo das investigações de Bond, nesse a ação se desdobra de forma mais intensa com direito a várias sequências de perseguição, tiroteios e lutas.

Sean Connery & Pedro Armendariz

Sean Connery & Pedro Armendariz

A SEGUNDA MISSÃO : Bond é enviado à Turquia para escoltar a bela secretária russa Tatiana Romanov  que está em posse de um artefato decodificador chamado Lektor, precioso para qualquer atividade de contra-espionagem. Na Turquia, Bond recebe a ajuda do agente Kerim Bey (Pedro Armendariz) e descobre que tudo não passa de uma armadilha da Spectre para entregar Bond aos agentes Red Grant (Robert Shaw) e Rosa Klebb (Letta Lonya), encarregados de matar Bond. Para fugir de volta ao Ocidente, Bond passa por Istambul e atravessa a Europa no clássico Orient Express, tentando enganar seus algozes. Para quem ler o livro original, no final da história a vilã Rosa Klebb consegue atingir Bond com seu sapato envenenado na ponta, deixando-o a beira da morte. Claro que 007 se salva e no livro seguinte que é “Dr.No”, Bond começa a história se recuperando do envenenamento e aceitando a missão na Jamaica como forma de entrar de novo em forma.

Foto Promocional

Foto Promocional

DO MUNDO COM AMOR : O orçamento de “Moscou contra 007” foi o dobro do filme anterior e as apostas eram tão altas que as filmagens aconteceram em locação, aumentando portanto seu custo. A mesma equipe (diretor, roteirista, etc…) foi chamada de volta com maior liberdade para transformar o texto de Fleming em uma movimentada aventura de espionagem, muito superior a “Dr.No”. A modelo italiana Daniella Bianchi, de 21 anos, foi contratada para substituir Ursula Andress como Bond girl, tendo uma rápida aparição de Eunice Gayson como a agente Sylvia Trench, que também tinha aparecido no começo de “Dr.No”. O vilão Red Grant foi o ótimo Robert Shaw que também viria a antagonizar Sean Connery dez anos depois em outro filme : “Robin & Marian”. O segundo filme de Bond também marcou a primeira aparição de Desmond Lewelyn como Q, o gênio por traz das sofisticadas armas usadas por 007, que no filme anterior é interpretado por Peter Burton. Nos bastidores, no entanto, nem tudo era empolgação e alegria.

O vilão Red Grant

O vilão Red Grant

O ator mexicano Pedro Armendariz de 51 anos estava muito doente, o que descobrira ser câncer em estado avançado. As filmagens foram redirecionadas de forma que o ator pudesse ser poupado de grandes esforços a medida que terminava sua participação, assim sua família poderia receber seu salário. Ao final de suas filmagens, o ator tinha piorado seu estado de saúde e se matou com um tiro. O filme também traz a primeira aparição sutil do vilão Ernest Stravos Brofeld, que não é visto por inteiro em momento algum, recurso esse que voltaria a ser empregado depois com exceção de “Com 007 Só Se Vive Duas Vezes” de 1967 em que participou ativamente da trama, vivido por Donald Pleasance e no filme seguinte “OO7 A Serviço de Sua Majestade” vivido por Telly Savalas. Em “Moscou Contra 007”, a voz de Brofeld foi feita por Anthony Dawson, que interpretara o Professor Dent em “Dr.No”. Duas histórias curiosas são tomadas como lendas dos bastidores de “Moscou Contra 007”: A primeira é que, segundo o livro “Death of a President” de William Manchester, este foi o último filme que o Presidente Kennedy assistiu pouco antes de seu assassinato em Dallas em Novembro daquele ano. Na sequência do Orient Express muitos acreditam que é possível encontrar o próprio Ian Fleming em uma rápida aparição do lado de fora do trem, mas isso jamais foi confirmado pelos produtores. Aliás, esse foi a última vez que Fleming assistiria a uma adaptação de um livro seu já que o autor falecera em agosto do ano seguinte, antes da estreia do filme seguinte “007 Contra Goldfinger”.

Sean Connery & Daniela Bianchi

Sean Connery & Daniela Bianchi

JAMES BOND RETORNA EM UMA SEMANA AO BLOG EM “007 CONTRA GOLDFINGER”