OSCAR 2018 – OS VENCEDORES

  • Ator Coadjuvante – Sam Rockwell, Três Anúncios para Um Crime
  • Maquiagem e Cabelo – O Destino de Uma Nação
  • Figurino – Trama Fantasma
  • Documentário- Ícaro
  • Mixagem de Som- Dunkirk
  • Edição de Som- Dunkirk
  • Direção de arte- A Forma da Água
  • Filme em Língua Estrangeira Uma Mulher Fantástica (Chile)
  • Atriz Coadjuvante- Allison Janney, Eu, Tonya

rs_600x600-180122095200-600.jimmy-kimmel-2018-oscars.12318

  • Curta de animação- Dear Basketball

  • AnimaçãoViva – A Vida É uma Festa
  • Efeitos Visuais- Blade Runner 2049
  • Edição – Dunkirk
  • Documentário em curta-metragem – Heaven Is a Traffic Jam on the 405
  • Curta-metragem  -The Silent Child
  • Roteiro Adaptado –Me Chame pelo Seu Nome
  • Roteiro Original –Corra!
  • Fotografia – Blade Runner 2049
  • Trilha Sonora Original – A Forma da Água
  • Canção Original –Remember Me, de Viva – A Vida É uma Festa
  • Direção – Guillermo del Toro, A Forma da Água
  • Melhor ator – Gary Oldman, O Destino de Uma Nação
  • Melhor Atriz – Frances McDormand, Três Anúncios para Um Crime
  • Melhor Filme – A Forma da Água

 

Anúncios

O MELHOR & PIOR DE 2017

AS DECEPÇÕES

O ANO DE 2017 FOI UM ANO DE PROMESSAS NÃO CUMPRIDAS: RIDLEY SCOTT FALHOU EM FAZER DE “ALIEN COVENANT” UM ELO ENTRE “PROMETHEUS” E “ALIEN O 8ª PASSAGEIRO” DE 1979. O FILME NADA ACRESCENTA AOS XENOMORFOS E JUSTIFICA  AS AÇÕES DOS PERSONAGENS COM UMA MOTIVAÇÃO PÍFIA , CHEGANDO AO PONTO DE USAR E ABUSAR DO CLICHÊ MANIQUEISTA ATRAVÉS DO PERSONAGEM DUPLO DE MICHAEL FASSBENDER “ROBÔ BONZINHO ENFRENTA ROBÔ MALVADO”. TOM CRUISE, POR USA VEZ, NÃO TEVE UM ANO MUITO BOM DENTRO E FORA DAS TELAS. TEVE QUE INTERROMPER AS FILMAGENS DO VINDOURO “MISSÃO IMPOSSIVEL 6” DEVIDO A UM ACIDENTE NO SET DE FILMAGEM, E NAS TELAS NÃO CONVENCEU COMO O HEROI DE “A MUMIA“, QUE DEVERIA INICIAR O “DARK UNIVERSE” DO ESTUDIO DA UNIVERSAL. ESTE IMPLODIU UMA SERIE DE PROJETOS QUE TRARIA UMA RELEITURA DOS CLÁSSICOS “DRACULA” , “FRANKENSTEIN” & “HOMEM INVISIVEL”. O FILME FALHOU POR NÃO CONSEGUIR IMPRIMIR O SOBRENATURAL DE FORMA MAIS INTELIGENTE, FAZENDO DE CRUISE UM SUPER HEROI NADA DIFERENTE DE SEU ETHAN HUNT. AS FALHAS DO ROTEIRO ACENTUAM AINDA MAIS A CRIAÇÃO DE UM CLIMA EM QUE FORÇAS ARCANAS INVADEM O MUNDO ATUAL. A PARAMOUNT TENTOU MAS NÃO CONSEGUIU REPETIR O SUCESSO DE BILHETERIA DA FRANQUIA DOS ROBÔS EM “TRANSFORMERS – O ULTIMO CAVALEIRO”, E A WARNER SE DEU MUITO MAL COM A REVISÃO DE GUY RITCHIE DO LENDÁRIO “REI ARTHUR & A LENDA DA ESPADA MÁGICA”. TENTANDO INICIAR UMA FRANQUIA E SE DANDO MAL ESTÃO “A TORRE NEGRA” DE STEPHEN KING E “ASSASSIN’S CREED” DO FAMOSO GAME. MUITO SE FALOU DA REUNIÃO DOS NOMES QUENTÍSSIMOS DE JENNIFER LAWRENCE E CHRIS PRATT EM “PASSAGEIROS”, MAS A FICÇÃO CIENTIFICA DEIXOU MUITO A DESEJAR E SUA NARRATIVA NÃO INFLAMA FICANDO REFEM DO PRESTIGIO DO CASAL. LUC BESSON TAMBÉM FRACASSOU COM SEU PROMETIDO “VALERIAN E O IMPERIO DOS MIL PLANETAS“, APESAR DE UM VISUAL BELISSIMO PMAS PREJUDICADO PELO CASAL SEM GRAÇA DE PROTAGONISTAS E UM RITMO IRREGULAR. RITMO IRREGULAR TAMBÉM TEVE “PIRATAS DO CARIBE – A VINGANÇA DE SALAZAR” MAS MUITO EM FUNÇÃO DA IMAGEM DESGASTADA DE JOHNNY DEPP DO QUE PELA HISTÓRIA QUE ATÉ DIVERTE BASTANTE QUANDO DEPP NÃO É O FOCO PRINCIPAL.

AS ANIMAÇÕES

EU ERA UM DOS QUE ESPERAVA ANSIOSAMENTE A CONTINUIÇÃO DE “MEU MALVADO FAVORITO 3” MAS  PREFERI – NO GÊNERO – O FRANCO- CANADENSE  “A BAILARINA“. SATISFAÇÃO IMENSA FOI ASSISTIR “MOANA – MAR DE AVENTURAS” DA DISNEY. MUITO FRACAS FORAM “EMOJI O FILME” E “O PODEROSO CHEFINHO“. SUBESTIMADO FICOU “AS AVENTURAS DE TADEO 2“, ANIMAÇÃO ESPANHOLA QUE CHEGOU AO GRANDE CIRCUITO NO FINAL DO ANO, QUE EMBORA NÃO SEJA EXTRAORDINARIO, DIVERTE MAIS DO QUE POR EXEMPLO “O QUE SERÁ DE NOZES 2” CUJA PREMISSA É A MESMA DO PRIMEIRO FILME. LOGO, FICO COM “MOANA” E “A BAILARINA” COMO AS MELHORES ANIMAÇÕES DO ANO.

SUCESSOS

O ANO COMEÇOU COM MUSICA PARA MIM POIS GOSTEI MUITO DE VER RYAN GOSLING E EMMA STONE DANÇANDO EM “LA LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES”. TORCI MUITO POR AMBOS NA CERIMONIA DO OSCAR DESSE ANO. NÃO APOSTAVA NADA NA CONTINUIDADE DE “VELOZES & FURIOSOS” SEM PAUL WALKER, MAS ME ENGANEI. O FILME FOI MUITO BEM MOVIMENTADO, TROUXE UMA SUPER VILÂ COM A PERSONAGEM DE CHARLIZE THERON. A DISNBEY MARCOU PRESENÇA COM O LIVE ACTION DE “A BELA & A FERA” COM EMMA WATSON E DAN STEVENS.  VIBREI MUITO NOS CINEMAS AO ASSISTIR COM MINHA FAMILIA A “MULHER MARAVILHA”. GAL GADOT ESTAVA PERFEITA E A DIRETORA PATTY JENKINS TEM O MERITO DE TER CONDUZIDO UMA HISTORIA ENVOLVENTE TANTO PARA QUEM LÊ QUADRINHOS COMO PARA OS NÃO INICIADOS. EM UM ANO EM QUE TANTO DISCUTIU-SE SOBRE O EMPODEIRAMENTO FEMININO, “MULHER MARAVILHA” ABRIU A DISCUSSÃO COM DIGNIDADE E ENCORAJAMENTO. FOI O MELHOR FILME DE QUADRINHOS DESSE ANO MUITO ACIMA DE “THOR RAGNAROK“. ESTE APESAR DA BILHETERIA MILIONÁRIO FALHOU EM DAR O TOM PRETENDIDO A UMA HISTÓRIA DE FIM DE MUNDO MISTURADO A PLANETA HULK QUE SOZINHO E SEPARADO JUSTIFICARIA UM FILME DO GIGANTE VERDE. “LIGA DA JUSTIÇA” FOI MELHOR QUE “BATMAN VS SUPERMAN” MAS FICOU ABAIXO DO POTENCIAL ESPERADO LEVANDO- SE EM CONTA A IMPORTÂNCIA DO SUPER GRUPO. DINÂMICA DE EQUIPE ADMIRÁVEL FOI “GUARDIÕES DA GALAXIA – VOLUME 2” QUE EQUILIBROU COMEDIA, DRAMA E AVENTURA COM PERFEIÇÃO. O FILME DO ANO, NO ENTANTO, FOI “IT – A COISA“, ADAPTAÇÃO DE STEPHEN KING. NO EMBALO DO SUCESSO DA MARAVILHOSA “STRANGER THINGS” DA NETFLIX, QUE POR SUA VEZ EMULA OS LIVROS DE KING, O FILME DO PALHAÇO PENNYWISE PROVOCOU SUSTOS COMO HÁ MUITO O CINEMA DO GÊNERO NÃO CONSEGUIA PRODUZIR. O TERROR TROUXE ESSE ANO O ÓTIMO “ANNABELLE 2 – A CRIAÇÃO DO MAL“, MAS ERRARAM FEIO COM O AGUARDADO “OLHOS FAMINTOS 3“, QUE NEM CHEGOU A SER LANÇADO EM CIRCUITO COMERICAL AQUI E “O CULTO DE CHUCKY” QUE NÃO VEIO COM NENHUM ATRATIVO. SHYMALAN DE “O SEXTO SENTIDO” RENASCEU E E SURPREENDEU COMM “FRAGMENTADO” TRAZENDO UMA ATUAÇÃO ADMIRAVEL DE JAMES MACAVOY, UMA QUE A ACADEMIA CERTAMENTE IGNORARÁ. FORA DO GÊNERO FANTASTICO DOIS FILMES DE GUERRA SE SAGRARAM EXCELENTES : “ATÉ O ULTIMO HOMEM” DE MEL GIBSON E “DUNKIRK” DE CHRISTOPHER NOLAN, CUJOS RUMORES APONTAM UMA POSSIVEL INDICAÇÃO AO OSCAR. “KONG A ILHA DA CAVEIRA” FOI MELHOR DO QUE EU ESPERAVA FAZENDO TUDO AQUILO QUE SE ESPERAVA DE UM BOM FILME DE MONSTRO. REGULAR MAS INTERESSANTE FOI “VIDA“. ESTE ASSUMIU SER INSPIRADO ABERTAMENTE EM “ALIEN O OITAVO PASSAGEIRO” E CONSEGUIU SER MELHOR QUE O JÁ CITADO “ALIEN COVENANT” DE RIDLEY SCOTT. ÓTIMO FOI TAMBÉM MATT REEVES NO CAPÍTULO FINAL DA SAGA DO SIMIO CESAR (ANDY SERKIS) EM “O PLANETA DOS MACACOS – A GUERRA“.FECHANDO O ANO DIGNO DE ELOGIO FOI A ADAPTAÇÃO DE KENNETH BRANNAG PARA “ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE” E “STAR WARS – OS ULTIMOS JEDI” QUE TEM DIVIDIDO OPINIÕES.

CINEMA NACIONAL

PASSOU SEM MUITA ATENÇÃO NAS TELAS A NOVA ADAPTAÇÃO DE “DONA FLOR & SEUS DOIS MARIDOS” DE JORGE AMADO. A PROMISSORA LARISSA MANOELA CHEGOU ÀS TELAS COM “MEUS 15 ANOS” E VOLTA AGORA NO NATAL COM “FALA SÉRIO MÃE”, AO LADO DA TALENTOSA INGRID GUIMARAES. “BINGO O REI DAS MANHÂS” CHAMOU A ATENÇÃO MAS NÃO CONSEGUIU A PRETENDIDA VAGA PARA O OSCAR DO ANO QUE VEM. O FILME É BOM COMO RETRATO DOS BASTIDORES DA TV M ESPECIALMENTE PARA A GERAÇÃO COMO EU QUE CANTAROLAVA “ALÔ CRIANÇADA … O BOZO CHEGOU!!”. jÁ A “COMÉDIA DIVINA” NÃO CONSEGUIU O MESMO IMPACTO. ENTRE OS NACIONAIS LANÇADOS PREFERI O INFANTIL “D.P.A O FILME” E FAÇP UMA MENÇÃO MAIS DO QUE HONROSA PARA “OS SALTIMBANCOS TRAPALHÕES – RUMO A HOLLYWOOD” QUE TROUXE DE VOLTA O BRILHO DE RENATO ARAGÃO E DEDÉ SANTANA PARA AS TELAS ONDE OUTRORA A TROUPE REINOU ABSOLUTA.

OS 5 PIORES DE 2017 :

1- ALIEN COVENANT

2- O CULTO DE CHUCKY

3- PASSAGEIROS

4- A MÚMIA

5- DIÁRIO DE UM BANANA : CAINDO NA ESTRADA

OS 5 MELHORES DE 2017

1- IT – A COISA

2- MULHER MARAVILHA

3- FRAGMENTADO

4- GUARDIOES DA GALÁXIAS : VOLUME 2

5- DUNKIRK

CRÍTICA: MULHER MARAVILHA

wonder woman Gal.jpg

NÃO É EXAGERO: “MULHER MARAVILHA” É O FILME QUE A DC/WARNER PRECISAVA E O QUE OS FÂS QUERIAM. O ROTEIRO DE ALLAN HEINBERG E A DIREÇÃO DE PATTY JENKINS CONSEGUEM EXTRAIR O QUE HÁ DE MELHOR EM 76 ANOS DE HISTÓRIAS DESSA PERSONAGEM ICÔNICA CRIADA PELO DR. WILLIAM MOIULTON MARSTON. ENGOLI MINHAS PALAVRAS POIS QUANDO GAL GADOT FOI ANUNCIADA COMO A HEROÍNA REAGI COMO MUITOS COM REJEIÇÃO IMEDIATA. NÃO PODERÍAMOS ESTAR MAIS ERRADOS ENTÃO: O OLHAR DE GADOT TRANSMITE A INOCÊNCIA INICIAL DA PERSONAGEM EM SUA JORNADA NO MUNDO DOS HOMENS, MAS TAMBÉM SE CONECTA COM O PÚBLICO NA HORA DE MOSTRAR PORQUE É A DEFENSORA DE QUE O MUNDO PRECISA. A SEQUÊNCIA NO FRONT DE BATALHA VALE PELO FILME INTEIRO EM TERMOS DE AÇÃO. SUA QUÍMICA COM CHRIS PINE CONDUZ A NARRATIVA COM HUMOR EQUILIBRADO, ROMANCE E LUTA. O FILME É REDONDO, SEM FALHAS E PODE AGRADAR TANTO AOS LEITORES DE HQ COMO AOS QUE BUSCAM UM BOM ENTRETENIMENTO. DIVIDIDO EM TRÊS ATOS: A INFÂNCIA E TREINAMENTO NA ILHA DE THEMYCIRA, A CHEGADA EM LONDRES E O CHOQUE CULTURAL INERENTE, E FINALMENTE A BATALHA COM OS ALEMÃS. CADA CENA CONDUZ À OUTRA ENTREGANDO UMA HISTÓRIA QUE CONSEGUE SEGURAR O INTERESSE E ELEVÁ-LO ATÉ O ESPERADO CONFRONTO COM ARES, O DEUS DA GUERRA. O ANTAGONISMO MOSTRADO BEBEU DA FONTE DA FASE ESCRITA E DESENHADA POR GEORGE PEREZ QUE REAPRESENTOU A HEROINA PARA O PUBLICO LEITOR DOS ANOS 80, MAS TAMBÉM HÁ PASSAGENS NO ROTEIRO DA RECENTE FASE DE BRIAN AZZARELLO E CLIFF CHIANG. RECOMENDO E REAFIRMO, O FILME DE HEROINA DE QUE PRECISAVAMOS, COM A MENSAGEM EXATA DE O MUNDO JÁ VIVEU GUERRAS DEMAIS E AMOU DE MENOS. EM TEMPOS DE DONALD TRUMP. É BOM UMA HEROINA NOS LEMBRAR PELO QUE VALE A PENA LUTAR.

MULHER-MARAVILHA : DAS HQS PARA O MUNDO

            Poucos personagens dos quadrinhos se igualam ao histórico da Mulher-Maravilha, apesar dela não ter sido a primeira super-heroina das hqs. Já haviam aventureiras como “Sheena, a rainha da selva” (1937) do mestre Will Eisner e “Dale Arden”, a destemida namorada de “Flash Gordon” (1934) de Alex Raymond. Depois ainda viriam personagens como “Phantom Lady” da Quality Comics e “Black Cat” da Harvey Comics (ambas de Agosto de 1941). Contudo, estas embora tivessem tido um impacto em seu momento, não mantiveram uma repercussão contínua no meio. Muitas personagens femininas ficavam estereotipadas como a eterna moçinha em perigo, ou com um apelo apenas sensual para o público masculino. A mulher buscava uma papel mais relevante na sociedade: sufragistas defendiam seus direitos já nas primeiras décadas do século XX, em 1912 Jane Addams tornou-se a primeira mulher a ganhar o prêmio Nobel da Paz, e na década de 30 Amelia Earhart abriu os horizontes com seus feitos. O mundo clamava por um símbolo capaz de guiar gerações de mulheres, e mostrar aos homens do que elas são capazes.

mmalexross

A DEUSA DA VERDADE

                         Era Outubro de 1940, o psicólogo norte-americano William Moulton Marston (1893-1947) escreveu um artigo na qual reconhecia que os quadrinhos tinham um potencial educativo. Esse artigo chamou a atenção de Max Gaines, dono da All-American Comics, editora que anos depois formaria a DC comics. A proposta de Gaines era que Marston, criador de um componente que levaria à criação do polígrafo (o detector de mentiras),  atuasse como consultor, o que daria prestígio às suas publicações. Além disso, Marston era um ferrenho defensor da superioridade da mulher, bem como defensor de ideias muito à frente de sua época, como o sexo livre e a poligamia, tendo ele mesmo vivido com duas mulheres. Marston aceitou o cargo, e usando o pseudonimo Charles Moulton,  apresentou a proposta de um novo personagem que seria a essência de suas crenças e de seu trabalho: Uma heroína representante de uma sociedade matriarcal, as lendárias amazonas da mitologia.  Na história, a deusa Afrodite dá vida à uma estatueta de barro, esculpida por Hipólita, a rainha das Amazonas. Estas se isolaram do mundo dos homens há séculos na ilha Paraíso. Quis o destino que o piloto norte-americano Steve Trevor chegasse acidentalmente à ilha onde homens não poderiam permanecer ou as amazonas perderiam sua imortalidade. É feito um torneio para decidir qual das amazonas ficaria incumbida de levar Steve Trevor de volta e defender o mundo do patriacardo de um grande mal que ameaça a todos, no caso a ascenção do nazismo. A estreia da personagem foi em uma história secundária de 8 páginas publicada no título bimestreal “All Star Comics” #8, datada de dezembro de 1941, mesmo mês e ano do ataque japonês a Pearl Habor. Na capa os heróis da Sociedade da Justiça, primeira superequipe de justiçeiros uniformizados. No mês seguinte, a Mulher Maravilha já ganhava mais evidência ao aparecer na capa de “Sensation Comics” #1, com a arte de H.G.Peter mostrando a princesa amazona desviando as balas com seus braceletes, trajando as cores da bandeira americana em seu uniforme sexy de corpete amarelo e vermelho ostentando o desenho de uma águia e uma longa saia azul estrelada.

wonderwoman1

O TÍTULO PRÓPRIO EM 1941

                 A heroína, em quatro meses, ganhou seu título próprio, e ao longo das décadas seguintes expandiu sua importância para muito além das páginas da Hq. Durante o tempo em que esteve à frente deste, Marston usou suas teorias sobre a emancipação da mulher,  e suas ideias de liberdade sexual e da independencia feminina, inserindo esses elementos nas histórias, o que diferençiava as aventuras da Mulher Maravilha dos outros heróis publicados na época. Era a figura de uma mulher que salvava o homem (Steve Trevor) do perigo, desafiava a truculência masculina e libertava-se dos grilhões impostos às mulheres. Era comum naquelas histórias imagens de mulheres amarradas ou acorrentadas, o que deixava sugerido ideias sobre perversão e masoquismo. Ainda assim a maior arma da Mulher-Maravilha era o laço de Héstia, um artefato místico que obrigava aqueles nele envoltos a falar somente a verdade. A intenção de  Marston era provar a superioridade feminina, e o visual da arte de H.G.Peter explorava como podia a sensualidade da princesa Diana sem, no entanto, jamais cair na vulgaridade. As vendas eram altas e Marston continuou no título até o número 27, quando ele morreu.

mmara cathy

CATHY LEE CROSBY NO PRIMEIRO PILOTO

              A personagem, no entanto, se manteve ininterruptamente publicada graças a uma cláusula no contrato de Marston com a National Periodic que determinava que se o título parasse de ser publicado, seus direitos reverteriam em definitivo para Marston e seus herdeiros. Em 1968, por exemplo, Diana foi privada de seus poderes divinos e tornou-se uma lutadora de artes marciais, mas 25 edições depois retomou seu status-quo. A heroína foi retratada em belíssimos traços pelo artista argentino Garcia Lopez nos anos 70, e na década seguinte o renomado George Perez que reinventou sua origem explorando a riqueza dos elementos da mitologia grega. Em seguida, vários artistas trabalharam com a personagem como John Byrne, o brasileiro Mike Deodato, Phil Jimenez, Greg Rucka, J.G.Jones e Brian Azzarello, cada qual mantendo vivo o legado de Marston.

220px-Marstonpetermayergaines

WILLIAM MOULTON MARSTON (SENTADO À ESQUERDA) – O CRIADOR

             Em 1967, o produtor William Dozier, que levou Batman para a Tv encomendou um piloto de 5 minutos entitulado “Who’s afraid of Diana Prince?”, com esta retratada como uma adolescente desajeitada, controlada pela mãe, e que se transforma em uma super-heroína, vivida pela desconhecida Ellie Wood Walker. O projeto não foi para frente, e os planos de uma versão live-action ficaram na geladeira até 1974 quando a ABC produziu “Wonder Woman”, estrelado por Cathy Lee Crosby e encenado no presente. Descaracterizada no piloto, a heroína não usa seu uniforme clássico, e nada em seu visual remete à personagem de Marston, sendo retratada apenas como uma espiã bem treinada (no estilo da fase marcial de Denny O’Neal publicada nas hqs no fim dos anos 60) e enfrentando o ameaçador Abner Smith (Ricardo Montalban).

mulher_maravilha-linda-carter

LYNDA CARTER – A MULHER MARAVILHA PERFEITA

    O fracasso do piloto não desanimou o produtor Douglas S. Cramer que em 8 meses fez um segundo piloto, “The New Original Wonder Woman”,  fiel às origens das hqs e estrelado pela ex Miss America Lynda Carter, que havia sido inicialmente recusada. Carter, então com 24 anos,  tinha os exatos traços da personagem das hqs e seu piloto agradou a audiência norte-americana.  A série ganhou 14 episódios pela ABC com a heroína vivendo suas aventuras durante a Segunda Guerra, e a partir de 1977, foi transferida para a CBS com as histórias passando para o presente. O sucesso durou até 1979, mas as reprises subsequentes fizeram a personagem extremamente popular, especialmente no Brasil onde a série da Mulher Maravillha foi inicialmente exibida pela Rede Globo, e depois TVS (atual SBT). A série teve vários momentos antologicos com passagens de astros de renome como o cowboy Roy Rogers, John Saxon, Robert Loggia, Roddy McDowell, Mel Ferrer e Debra Winger, que interpretou a Garota Maravilha, irmã de Diana, em dois episódios. Com o passar do tempo, o personagem Steve Trevor (Lyle Waggoner) foi ficando cada vez menos recorrente nas histórias, alimentando histórias de que este não mantinha uma relação amistosa com a atriz, embora Lynda Carter tenha sempre negado. Em 2011, uma tentativa de trazer de volta a Mulher Maravilha para a tv foi feita, sendo mal-sucedida, com a personagem vivida pela atriz Adrianne Palicki, e roteiro do renomado roteirista David E.Kelly.

mmara e moçamara

LYNDA CARTER & DEBRA WINGER

              A atriz Gal Gadot torna-se agora a nova responsável por mostrar a atual geração o ideal de uma personagem cuja importância já lhe conferiu, ainda que temporariamente, um cargo de embaixadora honorária das Nações Unidas, estampou a capa da revista feminista Ms por duas vezes, e ganhou  nos Estados Unidos um dia dedicado a ela, o “Wonder Woman Day” (3 de Junho).  Não há dúvida que o mundo está mais do que pronto para ela.

PARA FÃS: TRAILLER/MONTAGEM DE “MULHER MARAVILHA”

Enquanto não chega a estreia do filme solo da “Mulher Maravilha“, o site comicbook.com fez uma montagem com cenas do longa estrelado por Gal Gadot e Chris Pine, com a canção tema da abertura do seriado dos anos 70 da heroína. O resultado vocês podem conferir acima. Para quem  não conhece, a rede ABC, e depois a CBS, levaram ao ar entre novembro de 1975 e setembro de 1979, um popular seriado estrelado pela ex Miss Texas Lynda Carter. O seriado fez um enorme sucesso no Brasil ao longo das décadas de 70 e 80, exibido na Rede Globo e, depois, no SBT (na época TVS).

REVENDO A FRANQUIA : A VOLTA DOS FURIOSOS.

 the-fast-and-the-furious-2001.jpg              Impressionante como há dezesseis anos o público continua acelerando com a franquia “Velozes & Furiosos”, uma das mais rentáveis para a indústria do cinema, sobrevivendo a idas e vindas do elenco, tramas recicláveis, ainda que divertidas, e mesmo à morte de Paul Walker, um dos protagonistas. Curioso que todo esse sucesso de bilheteria tenha vindo de forma despretensiosa. Quando o primeiro filme foi feito em 2001, dirigido por Rob Cohen, tanto Vin Diesel quanto Paul Walker eram desconhecidos. Diesel tinha tido uma ponta em “O Resgate do Soldado Ryan” (Saving Private Ryan), de 1998, e protagonizou “Eclipse Mortal” (Pitch Black) em 2000. Já Paul Walker vinha de papéis na Tv e alguns menores no cinema como em “A Vida em Preto & Branco” (Pleasantville) de 1998. O orçamento estimado em torno de US$ 38 milhões gerou um lucro maior que o triplo só no mercado interno norte-americano. Diesel & Walker ganharam o prêmio de melhor dupla no MTV Awards daquele ano, mostrando o quanto a geração videoclip aprovou o clima do filme com seus motores envenenados, cores berrantes e … roteiro raso. As cenas de ação empolgaram com mais de 1.500 veículos na cena da corrida que teve a adesão de pilotos reais. Desde então, não dava para se levar a sério o plot de um agente infiltrado na gangue de durões de Dominic Toretto, ao som do hip hop. Sem nenhuma preocupação com os diálogos, o filme é conduzido para a ação inebriante dos rachas, tão insano quanto o segundo episódio do desenho do “Pica Pau” (The Screwdriver), de 1941.

PICA PAU RACHADOR

              Em 2003, o diretor John Singleton foi contratado para uma sequência e “+ Velozes + Furiosos” (2 Fast 2 Furious) sem Diesel mas com Paul Walker reprisando seu papel de Brian O’Conner. A Universal chegou a ter dois roteiros diferentes para o filme, sendo um destes com o personagem de Toretto caso Vin Diesel retornasse. Apesar da bilheteria ter sido regular, o filme chegou a ser indicado para o Framboesa de Ouro. O diretor tailandês Justin Lin (o mesmo que dirigiu o último Star Trek) injetou sangue novo diante das recusas de Diesel e Walker para retornarem em “Velozes & Furiosos: Desafio em Toquio” (The Fast & The Furious: Tokyo Drift) de 2006. Apesar de uma ponta de Diesel, o plot se desenrola independente dos eventos dos primeiros filmes e investe em uma ação inócua que mesmo a mudança de ares não ajuda. Apesar de ter seus admiradores, esse terceiro filme perde de longe para qualquer episódio do clássico anime “Speed Racer”.

GAL FURIOSOS

GAL GADOT – A MULHER MARAVILHA

              A partir de 2009,  no quarto filme “Velozes & Furiosos 4” (Fast & Furious), a dinâmica do filme muda o tom fazendo dos modernos robin hoods uma grande família, com o acréscimo da personagem Gisele, estreia da atriz Gal Gadot, a Mulher Maravilha do vindouro filme. Outra mudança é o que o personagem Brian O’Conner retoma sua vida no FBI no começo do filme, só para no final se juntar à família de Toretto, assumindo uma vida ao lado de Mia (Jordana Brewster). A bilheteria milionária aponta novas sequências, e os salários de Diesel e Walker os torna estrelas dos blockbusters hollywoodianos. Mas, com a morte da personagem Letty (Michelle Rodriguez) e com o personagem de Walker definitivamente do lado dos foras-da-lei, seria necessário reabastecer para seguir adiante. Assim o reforço chegou com a adesão do popular Dwayne Johnson como o agente do F.B.I Luke Hobbs, novo perseguidor do grupo. De acordo com Vin Diesel, o papel foi pensado para Tommy Lee Jones, mas uma fã chamada Jan Kelly teria sugerido o nome de Johnson. O filme em questão “Velozes & Furiosos 5: Operação Rio” (Fast Five) trouxe as filmagens para o Brasil com locações no Morro Dona Morta e Copacabana.

fast5.jpg

         Contudo, as filmagens acabaram se desenrolando em Porto Rico para baratear os custos, o que eliminou uma sequência inicialmente prevista de perseguição na Ponte Rio Niteroi. Se desde o início, as peripécias sobre rodas já eram irreais, a partir daqui elas passam a dar inveja nas proezas mais mentirosas de um filme de 007. Carros voam, cofres são arrastados pelas ruas entre outras inverossimilhanças, faltando só os carros falarem como no seriado “A Super Máquina”. Com aprovação de 78% do Rotten Tomatoes, seria lógico prever que a franquia aceleraria em velocidade turbo, com Diesel passando ao cargo de produtor executivo dos filmes, e resgatando a personagem Letty (Michelle Rodrigues) em “Velozes & Furiosos 6” (Fast & Furious 6) de 2010, também dirigido por Justin Lin.

velozesefuriosos7

             Agora o personagem de Hobbs faz um pacto de mutua ajuda com a família de Toretto para enfrentarem o vilão Owen Shawn, interpretado por Luke Evan, o Gaston do recente “A Bela & A Fera” (Beauty & The Beast).  Com a bilheteria milionária no mundo e diversidade de merchandising levando o filme para o universo dos games, nada mais natural que a Universal quisesse um sétimo filme, que apesar de ter tido seu lançamento atrasado devido á trágica morte de Paul Walker teve desempenho satisfatório nas bilheterias. “Velozes & Furiosos 7” (Fast & Furious 7) teve a direção de James Wan (de “Invocação do Mal” e do vindouro “Aquaman”) e o vingativo vilão Deckard Shawn, na pele de Jason Statham, inglês astro dos filmes de ação. O elenco ainda teve o acréscimo de Kurt Russell e da ex campeã de MMA Ronda Rousey. O resultado foi uma recepção bem favorável do público e de sites como o Metacritic e o Rotten Tomatoes, celebrando esse show de testosterona temperado com humor para suavizar a despedida de Paul Walker realizada com auxílio de seus irmãos e truques digitais.

               A chegada do oitavo filme não causou surpresa e Diesel promete ainda mais dois filmes, o que seguindo a formula de sucesso da franquia, não é difícil acreditar que ainda não é hora de frear.

 

 

 

PREVIEW 2017 NOS CINEMAS

moana

COMO É COMUM NOS MESES DE JANEIRO ANIMAÇÕES E FILMES FAMILIA TOMAM ESPAÇO DO CIRCUITO COMERCIAL. JANEIRO DE 2017 TRARÁ A ESTREIA DE “MOANA”, A NOVA PRINCESA DISNEY, QUE TRAZ O REFORÇO DE DWAYNE JOHNSON COMO O SEMI-DEUS MAUI EM SEU MAR DE AVENTURAS. A PRIMEIRA PRINCESA POLINESIA DA DISNEY É O PRIMEIRO GRANDE LANÇAMENTO DO ANO NOVO E VEM COM A RECEITA DE SUCESSO DA DISNEY, JÁ TENDO ESTREADO NOS ESTADOS UNIDOS COM BILHETERIA ASSOMBROSA. A ILLUMINATION STUDIOS QUE EM 2016 EMPLACOU “PETS – A VIDA SECRETA DOS BICHOS” E “SING – QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA” VOLTA EM 2017 COM SEU PRINCIPAL PERSONAGEM, O DIVERTIDO GRU E SEUS MINIONS EM “MEU MALVADO FAVORITO 3” (DESPICABLE 3) PREVISTO PARA AS FÉRIAS DE MEIO DE ANO. A DREAMWORKS REVISITA O DIA DOS MORTOS MEXICANO EM “COCO”.  A SONY ANIMATION TRAZ DE VOLTA  AS CRIATURINHAS AZUIS FAVORITAS DE CRIANÇAS E ADULTOS EM “SMURFS –A VILA PERDIDA”, DESTA VEZ SEM ATORES, TOTALMENTE EM ANIMAÇÃO DIGITAL, ENTÃO NÃO ESPEREM REENCONTRAR NEIL PATRICK HARRIS QUE TRABALHOU NOS DOIS PRIMEIROS FILMES DOS PERSONAGENS DO ARTISTA BELGA PEYO.  JÁ A FOX ANIMAÇÃO PROMETE DIVERTIR BAIXINHOS E ADULTOS EM “O PODEROSO CHEFINHO” (BOSS BABY). A DISNEY AINDA VOLTA COM “CARROS 3” (CARS 3) PROMETIDO PARA AS FÉRIAS DE JULHO. COMO A ANIMAÇÃO EXISTE FORA DO PADRÃO DISNEY, OS ARGENTINOS TRAZEM O PERSONAGEM “CONDORITO” E NÓS, BRASILEIROS, TEMOS A ADAPTAÇÃO DE “PEIXONAUTA”, BEM SUCEDIDA SÉRIE DO DISCOVERY KIDS.

fast8

PARA OS FANS DOS FILMES DE AÇÃO, O ANO COMEÇA COM VIN DIESEL DE VOLTA AO PAPEL DO AGENTE SECRETO AMANTE DE ESPORTES RADICAIS XANDER CAGE EM “XXX – REATIVADO” (XXX – REACTIVATED). MAS OS FANS DE DIESEL ESTÃO ANSIOSAMENTE AGUARDANDO REVER SEU DOMINIC TORETTO EM “VELOZES & FEROZES 8” (THE FAST & THE FURIOUS 8 – FATE OF THE FURIOUS), O PRIMEIRO SEM PAUL WALKER, E COM O REFORÇO DA BELDADE CHARLIZE THERON NO PAPEL DA VILÃ QUE VAI VIRAR A CABEÇA DE TORETTO, E COLOCÁ-LO CONTRA SEUS AMIGOS. O FILME AINDA TRAZ DWAYNE JOHNSON NOVAMENTE COMO O AGENTE LUKE HOBBS E JASON STATHAM DE VOLTA AGORA, APARENTEMENTE, DO LADO DOS MOÇINHOS. DWAYNE JOHNSON AINDA APARECE EM 2017 NA ADAPTAÇÃO DA SÉRIE “BAYWATCH” AO LADO DE ZAC EFRON E ALEXANDRA DANDDARIO, MOSTRANDO QUE HOLLYWOOD NÃO ESQUECEU O MOTE DAS SÉRIES DE TV DO PASSADO COMO FONTE DE MATERIAL PARA ADAPTAÇÃO. OUTRO PRODUTO DA TELINHA ADAPTADO É “CHIP’S” QUE REUNE O DESCONHECIDO DAX SHEPHARD & MICHAEL PEÑA NOS ICÔNICOS PAPEIS DOS POLICIAIS RODOVIARIOS JOHN BAKER E FRANK PONCHIRELLO. KEANNU REEVES SE REENCONTRA COM LAWRENCE FISHBURNE (MATRIX) EM “JOHN WICK – UM NOVO DIA PARA MATAR” (JOHN WICK – CHAPTER TWO). MICHAEL FASSBENDER – O MAGNETO DOS XMEN – ESTRELA E PRODUZ A ADAPTAÇÃO DOS GAMES “ASSASSIN’S CREED”, CO-ESTRELADO PELA MARAVILHOSA MARION COITLARD. A EXCELENTE ATRIZ FRANCESA TAMBÉM ESTRELA AO LADO DE BRAD PITT “ALIADOS” (ALLIED) DIRIGIDO POR ROBERT ZEMECKIS. DENZEL WASHINGTON VOLTA AO PAPEL DE ROBERT MCCALL EM “O PROTETOR 2” (THE EQUALIZER 2). JÁ TARON EGERT SE JUNTA A UM SUPER ELENCO QUE INCLUI CHANNING TATUM, JULIANNE MOORE E HALLE BERRY EM “KINGSMAN – THE GOLDEN CIRCLE”.

WONDER WOMAN

OS SUPER HEROIS CONTINUARÃO A DOMINAR AS TELAS E O ANO NOVO PROMETE OS AGUARDADOS FILMES DA “MULHER-MARAVILHA” (WONDER WOMAN) E “LIGA DA JUSTIÇA” (JUSTICE LEAGUE) QUE TEM A MISSÃO DE PROVAR QUE A WARNER CONSEGUE EMPLACAR SEU UNIVERSO CINEMATICO DE HEROIS DEPOIS DA AVALANCHE DE CRITICAS NEGATIVAS ACUMULADAS EM 2016 COM “BATMAN X SUPERMAN – A ORIGEM DA JUSTIÇA” E “ESQUADRÃO SUICIDA”. A MARVEL NÃO DORME NO PONTO E CONTRA ATACA COM “HOMEM ARANHA VOLTA AO LAR” (SPIDER MAN HOMECOMING) E “THOR RAGNAROK”, ESTE ÚLTIMO REUNINDO O DEUS DO TROVÃO E O INCRIVEL HULK. JÁ HUGH JACKMAN SE DESPEDE DO MUTANTE FAVORITO DE TODOS NO FILME “LOGAN”, TERCEIRO DO WOLVERINE. MUITO ESPERADO É “GUARDIÕES DA GALAXIA – VOLUME II” (GUARDIANS OF THE GALAXY – VOLUME II) REUNINDO O GRUPO DO SENHOR DAS GALAXIAS E AS CONFUSÕES PROVOCADAS PELO BEBÊ GRUT. NO TRAILLER, AÇÃO E HUMOR NÃO FALTARÃO NO FILME DE JAMES GUNN.

passage

MUITO AGUARDADO JÁ PARA O INICIO DO ANO É A FICÇÃO CIENTIFICA “PASSAGEIROS” (PASSENGERS) QUE REUNE OS AMADOS CHRIS PRATT E JENNIFER LAWRENCE EM UMA HISTÓRIA DE ADÃO E EVA FUTURISTA ESCRITA POR JON SPAITHS, O MESMO QUE FEZ O ROTEIRO DE “PROMETHEUS”. A PROPÓSITO DESTE, RIDLEY SCOTT PROMETE LIGAR OS PONTOS ENTRE O FILME DE 2012 E O PRIMEIRO ALIEN DE 1979, CONFORME JÁ DIVULGADO O TRAILLER DE “ALIEN O PACTO” (ALIEN COVENANT).  OUTRA GRANDE OBRA DO GÊNERO RETOMADA É “BLADE RUNNER 2049”, PRODUZIDO POR RIDLEY SCOTT E DIRIGIDO POR DENNIS VILLENEUVE QUE NO ANO QUE ACABA ATRAIU ELOGIOS COM SEU “A CHEGADA”. MILLA JOJOVICH SE DESPEDE TAMBÉM DE SUA ALICE NO CAPÍTULO FINAL DA FRANQUIA “RESIDENT EVIL 6”. A WARNER RETOMA UM DOS ÍCONES DOS FILMES DE MONSTRO EM “KONG – A ILHA DA CAVEIRA” (KONG – SKULL ISLAND) COM TOM HIDDLESTONE (LOKI) E SAMUEL l. JACKSON. CHARLIE HUNMAN PROTAGONIZA “REI ARTHUR – A LENDA DA ESPADA” (KNIGHTS OF THE ROUND TABLE) DIRIGIDO POR GUY RITCHIE QUE PROMETE EXPLORAR AS LENDAS ARTURIANAS EM UMA SÉRIE DE FILMES. OS FANS DE ANIME AGUARDÃO COM ANSIEDADE AS BELAS FORMAS DE SCARLETT JOHANSSON EM “VIGILANTES DO AMANHÔ (GHOST IN THE SHELL). DEPOIS DE UMA SEQUENCIA DE INSUCESSOS JOHNNY DEPP VOLTA A SE VESTIR COMO O CAPITÃO JACK SPARROW EM “PIRATAS DO CARIBE – A MALDIÇÃO DE SALAZAR” (PIRATES OF THE CARIBBEAN – DEAD MEN TELL NO TALES), REUNINDO-O AO ELENCO DOS PRIMEIROS FILMES KEIRA KNIGHTLY, GEOFFREY RUSH E ORLANDO BLOOM. MUITA AÇÃO É PROMETIDO PARA O INICIO DO UNIVERSO DE MONSTROS DA UNIVERSAL QUE SE INICIARÁ COM TOM CRUISE, RUSSELL CROWE E SOFIA BOUTELLA EM “A MUMIA” (THE MUMMY) PREVISTO PARA JUNHO. O FUTURO DA ESPECIE HUMANA É COLOCADO EM QUESTÃO EM “PLANETA DOS MACACOS –A GUERRA” (WAR OF PLANET OF THE APES) . LUC BESSON PLANEJA NOS LEVA A UMA MOVIMENTADA AVENTURA NA ADAPTAÇÃO DAS HQS “VALERIAN & A CIDADE DOS MIL PLANETAS”, POUCO CONHECIDA AQUI NO BRASIL. CLARO QUE UM DOS MAIS AGUARDADOS É “STAR WARS – EPISODIO Viii”, QUE CERTAMENTE FARÁ UMA EMOCIONANTE HOMENAGEM A CARRIE FISHER EM SEU CANTO DE CISNE DAS TELAS.

larissa-manoela-sera-filha-de-ingrid-guimaraes-em-filme

O CINEMA NACIONAL TEM MARCELO ADNET E DANTON MELLO EM “PENETRAS 2 – QUEM DÁ MAIS” PROMETENDO DIVERTIR. DOCE REENCONTRO É A VOLTA DE RENATO ARAGÃO E DEDÉ SANTANA (QUE NAS DÉCADAS DE 70 E 80 ERAM OS REIS DA BILHETERIA NACIONAL NOS FILMES DOS TRAPALHÕES) COM A ADAPTAÇÃO DO ESPETÁCULO “OS SALTIMBANCOS TRAPALHÕES”. PARA AS CRIANÇAS A ADAPTAÇÃO DA SÉRIE “DETETIVES DO PREDIO AZUL”. LARISSA MANOELA, QUE FOI UM FENÔMENO DE POPULARIDADE EM 2016, SE REUNE COM INGRID GUIMARAES EM “FALA SERIO MÃE”. JULIANA PAES, MARCELO FARIA E LEANDRO HASSUM REVISITAM A OBRA DE JORGE AMADO EM “DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS”.

lalalanddestaque

COMO É A ÉPOCA DE INDICADOS AO GLOBO DE OURO E O OSCAR TEMOS O ELOGIADO MUSICAL “LA LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES” (LA LA LAND) COM O CASAL RYAN GOSLING E EMMA STONE. NATALIE PORTMAN IMPRESSIONOU ESSE ANO NA CINEBIOGRAFIA DA EX PRIMEIRA DAMA JACKELINE KENNEDY. O FILME EM QUESTÃO, “JACKIE” ESTÁ PROGRAMADO PARA ESTREAR NO BRASIL AINDA NO PRIMEIRO TRIMESTRE. OUTRA CINEBIOGRAFIA MUITO COMENTADA EM 2016 E QUE CHEGA ATÉ NÓS EM 2017 É “ATÉ O ÚLTIMO HOMEM” (HACKSAW RIDGE) SOBRE UM SOLDADO QUE SE RECUSOU A USAR UMA ARMA E MATAR DURANTE A SEGUNDA GUERRA. O FILME É ESTRELADO POR ANDREW GARFIELD, EX-HOMEM ARANHA E DIRIGIDO PELO POLÊMICO MEL GIBSON QUE RETOMA A VELHA FORMA POR TRÁS DAS CÂMERAS. A SEGUNDA GUERRA TAMBÉM É O TEMA DE “DUNKIRK”, DE CHRISTOPHER NOLAN.  A HISTÓRIA DE DOIS PADRES JESUITAS É O TEMA DA VOLTA DO MESTRE MARTIN SCORCESE À DIREÇÃO EM “SILÊNCIO” (SILENCE). MICHAEL KEATON É O VILAO ABUTRE DO NOVO FILME DO HOMEM ARANHA, MAS MOSTRA SEU TALENTO NO PAPEL DO FUNDADOR DO MACDONALD’S EM “FOME DE PODER” (THE FOUNDER).

IT.jpg

PARA QUEM GOSTA DE TERROR, O ESPIRITO DE SAMARA VOLTA COM SEDE DE VINGANÇA EM “CHAMADOS” (RINGS). A CASA ASSOMBRADA MAIS FAMOSA DO CINEMA É REVISITADA EM “AMITYVILLE- THE AWAKENING”. OUTRO RETORNO É DA BONECA AMALDIÇOADA EM “ANNABELLE 2”, DIRIGIDO POR DAVID SANBERG QUE EM 2016 CHAMOU A ATENÇÃO PELO RESULTADO OBTIDO EM SUA ESTREIA EM “QUANDO AS LUZES SE APAGAM”. FALANDO EM TERROR, O MESTRE STEPHEN KING TEM RESERVADO DUAS ADAPTAÇÕES: O PRIMEIRO LIVRO DA SÉRIE “A TORRE NEGRA” (THE BLACK TOWER) COM IDRIS ELBA E MATHEW MACOUGHNEY E A VOLTA DO PALHAÇO PENNYWISE EM “IT”.

OUTROS LANÇAMENTOS PREVISTOS:

CINQUENTA TONS MAIS ESCUROS ¶ A GRANDE MURALHA ¶ A LEI DA NOITE ¶ TINHA QUE SER ELE ¶ POWER RANGERS ¶ A CABANA ¶O CÍRCULO ¶  DIARIO DE UM BANANA 4 ¶ TRANSFORMERS : O ÚLTIMO CAVALEIRO ¶ DEIXE A NEVE CAIR ¶VIDA ¶ SEXTA FEIRA 13 ¶A ESCOLHA PERFEITA 3 ¶

SAN DIEGO COMIC CON 2016 – COBERTURA

san-diego-comic-con-2016-logo-190961.jpg

CHEGOU AO FIM ONTEM (23 DE JULHO) A SAN DIEGO COMIC CON, UM DOS MAIORES EVENTOS DA CULTURA POP E DA INDUSTRIA DE BLOCKBUSTERS HOLLYWOODIANA. DURANTE QUATRO DIAS EM MEIO A COSPLAYERS E PERSONALIDADES DO CINEMA, HQS E GAMES MILHARES DE PESSOAS SE AMONTARAM EM FILAS INTERMINÁVEIS PARA AVERIGUAR AS NOVIDADES CUJO LANÇAMENTO TEM ALCANÇE INTERNACIONAL.

luke cage

MIKE COULTER – O LUKE CAGE

 

JEPH LOEB QUE HOJE É PRESIDENTE DA MARVEL TELEVISION APRESENTOU O ATOR MIKE COULTER ANUNCIADO COMO O PROTAGONISTA DA VINDOURA SÉRIE DO “LUKE CAGE” QUE EM BREVE SE JUNTARÁ À LISTA DA NETFLIX QUE JÁ INCLUI JESSICA JONES E DEMOLIDOR. ESTA TEVE ANUNCIADA OFICIALMENTE A TERCEIRA TEMPORADA ALEM DA SÉRIE DOS DEFENSORES. ENTRE OS TRAILLERS QUE CAUSARAM FUROR ENTRE OS FÂS ESTAVAM OS DOS FILMES DA “MULHER MARAVILHA” , “LIGA DA JUSTIÇA”, “ESQUADRÃO SUICIDA” , “DOUTOR ESTRANHO”, “GUARDIÕES DA GALÁXIA 2” E “HOMEM ARANHA : VOLTA AO LAR”.

guardioes

CHRIS PRATT & ZOE SALDANA DOS GUARDIÕES DA GALAXIA 2

OUTRA SENSAÇÃO FOI A APARIÇÃO DE BRIE LARSON (O QUARTO DE JACK) OFICIALIZADA COMO A HEROÍNA CAPITÃ MARVEL NO VINDOURO FILME HOMONIMO DO MARVEL STUDIOS. FALANDO EM MARVEL O EVENTO TAMBÉM CONTOU COM A PRESENÇA DE BENJAMIM CUMBERBATCH (O DR. ESTRANHO) E A CONFIRMAÇÃO DA QUARTA TEMPORADA DE SHERLOCK HOLMES COM O ATOR. KEVIN FEIGE, O CHEFÃO DO MARVEL STUDIOS. TAMBÉM TROUXE AS NOVIDADES PARA “THOR RAGNAROK” E EXIBIRAM UM DOCUMENTARIO FAKE MOSTRANDO CHRIS HEMSWORTH ZOANDO COM TUDO E TODOS NOS BASTIDORES E MOSTRANDO O PORQUÊ DE SUA AUSÊNCIA EM GUERRA CIVIL.

doutor-estranho-benedict-cumberbath-chiwetel-ejiofor

BENJAMIM CUMBERBATCH & CHWITEL ELIJOFOR

HOUVE SURPRESA QUANDO FOI EXIBIDO O TRAILLER DE “A BRUXA DE BLAIR 3” QUASE VINTE ANOS DO FILME ORIGINAL TER VIRALIZADO. GRANDE EXPECTATIVA TAMBÉM HAVIA COM A AVANT PREMIERE DE “STAR TREK SEM FRONTEIRAS” QUE CELEBRA OS 50 ANOS DA MAIOR ODISSEIA DA FICÇÃO CIENTIFICA. OUTRO TRAILLER BEM RECEBIDO FOI O DE “KONG – A ILHA DA CAVEIRA ” .

star trek

SIMON PEGG E SOFIA BOUTELLA EM STAR TREK BEYOND

ESSAS ENTRE OUTRAS ATRAÇÕES ESTIVERAM EM EVIDÊNCIA E NOS DÃO A CERTEZA DE QUE NÓS NERDS HERDAREMOS O MUNDO. SE ATÉ HENRY CAVILL (SUPERMAN) TIETOU WILL SMITH NO PAINEL DO ESQUADRÃO SUICIDA, ENTÃO POR QUE NÃO IMAGINARMOS QUE NO PRÓXIMO ANO ESTAREMOS LÁ TAMBÉM PARA TIETAR, PEDIR AUTOGRÁFOS E VIVER A MAGIA DA COMIC CON.

 

 

MULHER MARAVILHA : O PRIMEIRO TRAILLER

IGUALMENTE AGUARDADO É O FILME DA “MULHER MARAVILHA” (WONDER WOMAN) DIRIGIDO POR PATTY JENKINS TRAZENDO GAL GADOT COMO A HEROÍNA AMAZONA E CHRIS PINE COMO STEVE TREVOR. O TRAILLER EQUILIBRA AÇÃO E HUMOR E PROMETE SER TUDO O QUE OS FÂS DAS HQS QUEREM. O ESTUDIO PRETENDE UMA TRILOGIA QUE VENHA A EXPLORAR A RICA MITOLOGIA DA PERSONAGEM.

LIGA DA JUSTIÇA : 1º TRAILLER

TAMBÉM DIVULGADO NA SAN DIEGO COMIC CON O PRIMEIRO TRAILLER DO AGUARDADO FILME DA “LIGA DA JUSTIÇA” (jUSTICE LEAGUE) COM DIREÇÃO DE ZACH SNYDER. ESPERAMOS QUE NÃO SEJAM COMETIDOS OS MESMOS ERROS QUE NO RECENTE “BATMAN VS SUPERMAN : A ORIGEM DA JUSTIÇA”. ESTÃO NO TRAILLER BEN AFFLECK COMO BATMAN, EZRA MILLER COMO FLASH, GAL DADOT COMO MULHER MARAVILHA, JASON MOMOA COMO AQUAMAN ENTRE OUTROS. CONFIRAM.

ROMANCES ROMÂNTICOS

The_Notebook_pôster                  Podemos até reclamar que o mundo tecnológico, digital que nos cerca e atrai tem nos tornado seres humanos mais frios e sem contato real com as relações humanas. Apesar das dificuldades do mundo moderno de nos conectarmos uns com os outros há ainda uma parcela significativa de público que, mesmo que seja através da ficção, consegue dar voz à suas emoções: amor, saudade, medo, traumas de infância, laços de família estão entre alguns dos ingredientes de um bom romance romântico.Nessa seara o norte- americano Nicholas Sparks tem sido nos últimos anos um dos mais prolíficos e mais adaptados para as telas. Dos 20 livros que já escreveu 11 já foram vertidos para o cinema, tendo sido “Uma Longa Jornada(The Longest Ride) um dos últimos. Sparks, de 50 anos, invariavelmente fala de histórias que destacam dramas familiares, amores perdidos do passado lutando contra os obstáculos impostos pela vida. Geralmente tendo a Carolina do Norte, seu lar, como cenário de suas histórias, Sparks conquistou uma legião de fãs que aguardam ansiosamente o já anunciado “Two by Two” (ainda sem título em Português), seu mais novo romance. Um dos melhores de sua autoria “Diário de uma Paixão” (The Notebook) consegue contar uma história emotiva que atravessa décadas de uma casal separado pela enfermidade representada pelo mal de Alzhemier.

Nicholas Sparks

NICHOLAS SPARKS

Seguidores desse tipo de literatura/filme não se intimidam com as acusações de pieguice típicas do gênero, mas também não se entregam à formula fácil do felizes para sempre. Muitas dessas histórias fazem da adversidade a grande vitoriosa, a tragédia (herdeiros do classicismo grego) pode ser representada pela separação em vida ou a própria morte. Esta última foi presença terrivelmente ameaçadora na história de amor entre Gus e Hazel no best-seller “A Culpa é das Estrelas” (The Fault in our Stars) de John Green, que se popularizou entre o público jovem e ganhou uma bem sucedida adaptação com atuações sensíveis, e sem exageros, do casal interpretado respectivamente por Ansel Egort e Shailene Woodley. Green, atualmente com 38 anos, conseguiu se conectar com os adolescentes carentes de boas histórias que abordem seu universo sem preconceitos ou caricaturas superficiais. O autor ainda falou de decepções amorosas de forma equilibrada capaz de conquistar tanto o público jovem quanto o público mais velho como foi no recente “Cidades de Papel” (Paper Towns) e seus leitores já aguardam para breve o filme baseado em outro de seus best-sellers “Quem é Você, Alaska ?” (Looking for Alaska).

fault stars

Menos badalada em Hollywood mas uma escritora com 14 milhões de cópias vendidas no mundo, a escritora norte-americana Jodi Picoult já teve seus livros adaptados para a TV, mas o mais conhecido deles é mesmo “Uma  Prova de Amor(My sister’s keeper) filmado em 2009 e trazia Cameron Diaz, Abigail Breslin e Jason Patrick em uma historia sobre uma família abalada pela leucemia e uma menina que luta legalmente pela doação de um rim que limitará sua vida, enlouquecendo sua mãe com o dilema. Picoult, também escreveu por um tempo as HQs da Mulher-Maravilha para a DC Comics, mas é na criação de dramas envolventes e, claro, carregados de emotividade que a autora se destacou.

me before

Agora é a vez de Jojo Moyes ter seu primeiro romance levado ao cinema “Como Eu Era Antes de Você(Me Before You) sobre um romance entre uma jovem cheia de vida e um homem tetraplégico que pensa em desistir da vida. Apesar dos detratores do gênero que torcem o nariz para o sentimentalismo extremo e os clichês do puro folhetim, há personagens simpáticos capazes de se conectar bem com as experiências de vida individual dos leitores, essência de um drama bem sucedido seja nas letras ou na passagem da mesma para o cinema. A habilidade do autor de driblar a previsibilidade deste tipo de história e acertar em um tom equilibrado, sóbrio apesar das lágrimas inevitáveis faz com que sempre haja espaço para o gênero e agrade aos admiradores do gênero que assumem que a catarse provocada em nossas próprias vidas pode ser feita sem pudor ou medo, mesmo que tão breve quanto e encontro da felicidade.

BATMAN & SUPERMAN : AS ORIGENS DA JUSTIÇA

Batman vs Superman

Os super heróis das HQs formam o panteão olímpico da era moderna. Nascidos nas páginas de publicações populares inicialmente voltadas para o público juvenil, o gênero evoluiu, foi adaptado para diversas mídias, ganhou uma complexidade que acompanhou o crescimento do público leitor e hoje divide as atenções do grande público entre as produções da Marvel e os personagens da tradicional DC Comics que demorou para despertar. Depois do relativo sucesso de “O Homem de Aço”, a Dc Comics / Warner tinha alguns problemas : Apesar de bem sucedido, os filmes de Batman dirigidos por Christopher Nolan possuíam um tom mais realista e, por isso, destoante da noção de um “universo fantástico” povoado por seres de grande poder. Além disso, filmes como “Lanterna Verde” (2008) com Ryan Reynolds se tornaram grandes equívocos. Apesar da Dc Comics ter se firmado na TV, no cinema a Marvel ganhou um espaço enorme que foi mal aproveitado pela concorrente. A estreia de “Batman vs Superman: A Origem da Justiça” vem com a pretensão de preencher esse espaço, e dar o impulso para vários projetos com heróis como Mulher Maravilha, Aquaman, Flash, Lanterna Verde, Shazam e, claro, a Liga da Justiça, grupo que reúne os heróis DC, e que, na verdade, foi criado nas HQs antes mesmo dos “Vingadores”. A aposta é alta com orçamento astronômico, grandes nomes no elenco e com a participação de vários personagens conhecidos do público leitor.

Btman vs superman 2.jpg

ALVORECER DOS SUPER HEROIS . Apesar de vários aventureiros e heróis, o personagem que foi o primeiro super herói a sair da imaginação para o papel foi o “Superman”, publicado em “Action Comics #’1” em 1938, criado pela dupla Jerry Siegel & Joe Shuster. A capa histórica com o herói erguendo um carro acima da cabeça cercado pelo olhar de assombro de pessoas é hoje um dos itens mais caros e raros do meio. Abriu caminho, pois depois de Clark Kent e seu alter ego surgiram diversos outros personagens com poderes fabulosos (Lanterna Verde, Flash e, inclusive o Shazam acusado na ocasião de ser um plágio do herói kryptoniano). Naqueles primórdios, o Superman não voava mas saltava por entre os arranha céus de Metropolis. “Batman” veio no ano seguinte em “Detective Comics #27” nascido do talento de Bob Kane & Bill Finger. O tom sombrio e gótico de sua cidade era repleta de personagens que compunham uma caricatura distorcida das debilidades humanas, diferente da radiante Metropolis das histórias do Superman.

Batman O Lobinho.jpg

Os dois heróis foram um sucesso de vendas que logo os levou aos seus próprios títulos mensais. Na década de 40, Kirk Alyn viveu o homem de aço, enquanto Lewis Wilson vestiu a capa e a máscara do homem morcego, ambos em seriados da Columbia. No Brasil, os personagens chegaram na década de 40 graças aos esforços do editor Adolfo Aizen que os publicou na revista “O Lobinho”. Com o costume de traduzir os nomes, Batman foi chamado de Morcego Negro, Gotham City foi inicialmente chamada de Riacho Doce e Bruce Wayne ficou como Bruno Miller, enquanto Clark Kent foi batizado de Edu. Claro que pouco tempo depois as traduções foram abandonadas e substituídas pelos nomes originais.

Nas HQs o apelo de ambos com o publico leitor era enorme, dividindo preferências entre o público leitor. Apesar de possuírem naturezas distintas, cada um é ambíguo à sua própria maneira. O Superman não é humano mas prefere se passar por um e viver por trás dos óculos do repórter Clark Kent. Já Bruce Wayne não passa de uma máscara para esconder a eterna busca de vingança de um homem. Naturezas tão dicotômicas foram um prato cheio para os artistas dos quadrinhos. Contudo, no início do Universo DC os dois compartilhavam uma amizade desde sua primeira história juntos publicada em “Superman #76” (1952) onde Clark Kent e Bruce Wayne encontram-se a bordo de um navio. As expressivas vendas levaram ao título “World’s Finest” lançado ainda no início da década de 40 com os dois heróis sempre juntos na capa, mas atuando em histórias separadas. A partir da edição #71 os heróis formaram uma parceria que se estendeu por décadas. Apesar de algumas histórias em que os heróis se desentendiam ou em que um dos dois era controlado mentalmente, os leitores tinham ambos como superamigos. Em uma história bizarra publicada em ___ os editores chegaram a criar em 1964 o “Superman Composto”, um ser metade Batman e metade Superman.

Batman Dark Knight Returns comic book.jpg

PÓS CRISE & PÓS MILLER. Em 1985, a Dc Comics  fez um reboot em seu universo de heróis com a saga “Crise Nas Infinitas Terras”, de Marv Wolfman & George Perez. Depois disso, coube a Frank Miller e John Byrne recontar a origem desses heróis. A relação entre estes passou a ser de respeito mútuo mas não de amizade. Antes disso, Miller já havia reformulado o futuro com a mini série “Batman o Cavaleiro das Trevas”. Nela, em um futuro distópico, um Batman sessentão volta à ativa e desafia o status quo, vindo a enfrentar o Superman, retratado como um pau mandado do governo. Já foi insinuado que o filme de Zach Snyder se inspirou em parte no material de Frank Miller. Quando Batman, vestido uma armadura, consegue derrotar o homem de aço, ele diz “ Clark … .I want you to remember my hand at your throat. I want you to remember the one man who beat you.” (Clark, … Quero que você se lembre da minha mão em sua garganta. Quero que você se lembre do único homem que o derrotou). Esse é tom anunciado dos personagens para as correntes adaptações e, que já foi explorado diversas vezes nos quadrinhos. O roteiro de Chris Terrio ainda aproveita para introduzir a Mulher Maravilha, o vilão megalomaníaco Lex Luthor e o monstro Apocalipse, que nas HQs matou o Superman. A semente está plantada para germinar nos diversos projetos com os personagens desse riquíssimo universo de personagens, com uma pegada de videogame que virou moda nos atuais filmes do gênero. Em meio às cinzas dessa batalha titânica será o Batman a proferir “Ser”, o Superman a proferir “Não Ser”, mas será a Mulher Maravilha que os unirá com um “Eis a Questão”, movido a sangue de guerreiros fictícios que falam diretamente pela nossa imaginação.

 

PRIMEIRA IMAGEM – MULHER MARAVILHA

mulher maravilha gadot

DIVULGADA A PRIMEIRA IMAGEM DAS FILMAGENS DO FILME DA MULHER MARAVILHA COM A ATRIZ GAL GADOT. A PREVIS’AO [E QUE O FILME SEJA LAN;ADO EM 2017, COM DIREÇAO DE PATTY  JENKINS. AGUARDAMOS PARA BREVE A CONFIRMAÇÃO DA ATRIZ PARA A RAINHA HIPÓLITA, QUE TALVEZ SEJA A ATRIZ NICOLE KIDMAN.