ESTREIAS DA SEMANA

13 DE DEZEMBRO DE 2018

AQUAMAN

AQ ORM

(AQUAMAN) EUA 2018. DIR: JAMES WAN. COM JASON MOMOA, AMBER HEARD, PATRICK WILSON, WILLIAM DAFOE, DOLPH LUNDGREN, YAHYA ABDUL-MATEEN II. AVENTURA.

Quem diria que um personagem tratado como secundário no panteão de heróis da DC Comics, ridicularizado em vinhetas do Cartoon Network, poderia render um filme tão bom. Levando-se em conta os insucessos recorrentes da DC/Warner, temos um filme de super heroi que consegue captar o melhor que o personagem criado por Paul Norris tem a oferecer concentrado em pouco mais de duas horas de filme. Sim, o filme é longo mas consegue equilibrar ação e humor, embora não fuja aos clichês do filme de origem, esta contada em flashbacks, a medida que o excelente James Wan explora a cultura Atlante com sua câmera inventiva.

Jason Momoa já havia demonstrado estar à altura de seu Arthur Curry de postura marrenta e irônica, propositalmente usada para fugir da imagem de “superamigo” que o personagem por muito tempo carregou. O roteiro capta o melhor que foi feito com o personagem em fases bem distintas das hqs originais: Peter David nos anos 90 e Geoff Johns/Ivan Reis no periodo dos novos 52.

Dada a bilheteria milionária na China, a passagem do filme a nível internacional está garantida. Espera-se que a bilheteria doméstica (nos Estados Unidos) também acompanhe o ritmo vindo não apenas uma sequência (anunciada em sequência pós créditos) como também outros filmes do rico universo da editora. Sexto filme do universo cinemático da Dc e único lançado esse ano, “Aquaman” consegue mostrar a que veio, respeita suas origens quadrinhística e cria um espetáculo que se não é perfeito ao menos torna-se uma divertida passagem pelos cinemas.

COLETTE

colette-1119182

(COLETTE) EUA 2018. DIR: WASH WESTMORELAND. COM KEIRA KNIGHTLY, DOMINIC WEST, FIONA SHAW, ELEANOR TOMLINSON. BIOPIC.

Biografia da escritora francesa Sidone Gabrielle Colette (1873-1954) autora de “Gigi” (vivida por Leslie Caron no filme homônimo de 1958) . Á frente de sua própria época, Colette foi uma rebelde que desafiou as convenções de sua própria época, foi explorada por um marido cafajeste que roubou suas obras, viveu amores com homens e mulheres mas se sagrou uma das maiores autoras francesas do século XX. O filme foca em seus percalços, vitórias e decepções apoiado na caracterização da inglesa Keira Knightly (Elizabeth Swam de “Piratas do Caribe”) no papel da protagonista, que já teve um filme biográfico em 1991.