IN MEMORIAN: BUD SPENCER

Bud Spencer

Com tristesa nos despedimos de Bud Spencer (1929 – 2016), a outra metade de um divertida dupla formada com Terence Hill. Eu assisti a vários dos dezesseis filmes que fizeram juntos, muitos deles exibidos pela Rede Globo aos domingos na segunda metade dos anos 80. Carlo Perdesoli, nascido em Napoli,  foi atleta olímpico e um fantástico nadador, ganhador de medalhas de ouro nos anos 50. Teve pequena participação no clássico “Quo Vadis” (1951), e pouco depois papeis menores se seguiram, nem sempre sendo creditado mas chamando a atenção por seu porte avantajado. Seu nome artistico juntou o nome da cerveja que adorava (Budweiser) e o nome de seu ídolo, o ator Spencer Tracy.

trinity ainda e meu nome

Ao lado de Terence Hill

Sua primeira parceria com Hill foi no western spaghethi “Deus Perdoa … Eu Não” (Dio Perdona . Io no) de 1967, mas o sucesso maior veio com “Chamam-me Trinity” (Lo chiamavano Trinitá). Ambos esbanjavam química como dois irmãos cowboys trambiqueiros mas que recorriam mais aos próprios punhos do que a revolveres. Criaram um estilo juntos, o de violência de desenho animado com humor e ação, entende-se muita pancadaria que encontrou admiração entre o público das duas décadas seguintes. Hill fazia o trambiqueiro galã e Bud o parceiro grandalhão invocado mas de bom coração. Repetiam a fórmula fosse como policiais relutantes (Dois Tiras Fora de Ordem em 1977), piratas (O Corsário Negro em 1971), agentes secretos (Dois Loucos com Sorte em 1983) etc.. Estiveram no Brasil em 1984 para filmar “Eu Você Ele & Os Outros” (Non c’é due senza quattro) sobre dois sosias de uma dupla de bilionários que toma seus lugares. Na passagem pelo nosso país participaram do programa dos Trapalhões na Tv Globo, e quebraram o pau em uma simulação das cenas de briga de seus filmes.

terence_hill_bud_spencer

Embora estivessem esquecidos pelo grande público, muitos ainda se recordam com carinho daquelas divertidas tardes em que assistiamos a dupla de Trinity. Vez ou outra Bud e Hill faziam filmes separados como “Banana Joe” (1982) em que fazia um ingênuo plantador de bananas.Também fez um divertido gêniuo da lâmpada brigão em “Aladim” (Superfantagenio) em 1986.  Falava o Português (além de espanhol e outros idiomas) tendo morado com a familia no Brasil durante um periodo de sua vida. escreveu sua auto-biografia e se reuniu com Hill uma última vez em 1994 em “A Volta de Trinity” (Botte di Natali) que , apesar da tradução em Português, não era uma sequência de Trinity. Em 2010 receberam o prêmio David di Donatelo pelo conjunto de sua obra. Era humilde e sempre dizia que não era ator, seu amigo Terence Hill de fato atuava. Essa humildade não impediu Bud de trabalhar de roteirista ocasionalmente. Fica a memória de uma figura carismática que soube divertir uma geração da qual fiz orgulhosamente parte. Faleceu de pneumonia nesta segunda dia 27, conforme comunicado por seu filho. Segundo este antes de seu último suspiro teria dito “Obrigado”. Que descanse em paz !

Carlo_Pedersoli_1950

O Campeão Olímipico Carlo Perdesoli, futuro Bud Spencer em 1950.