IN MEMORIAN : GENE WILDER

GENE WILDER

Senti muito a passagem de Gene Wilder, noticiada ontem. Eu o adorava. Ele foi afinal o Wolly Wonka de minha geração. Tinha um olhar terno, mas capaz de fazer rir sempre. Fosse como membro da troupe de Mel Brooks, ao lado de Richard Pryor (em 4 ótimos filmes) ou como o homem perseguido injustamente como em “Expresso de Chicago” (1976), “Hanky Panky” (1982) entre outros. Foi ao som de Stevie Wonder cantando I just called to say I love you que conquistou Kelly Le Brock em “A Dama de Vermelho” (1984). Sua versatilidade lhe garantiu atuar, escrever (é dele por exempo o roteiro de “O Jovem Frankenstein”), produzir (“O Maior Amante do Mundo” de 1977, e dirigir, o que o fez quatro vezes. Já estava afastado das telas um tempo, mas experimentou a Tv, tendo até uma sitcom por tempo curto “Something Wilder” (1994-1995) e ganhou um Emmy pela participação em “Will & Grace” (2002). Em breve, aqui no blog vou abordar uma materia sobre um dos seus filmes favoritos para mim. Que descanse em paz, Gene.